Postagem em destaque

CDRJ É CONDENADA A PAGAR DANOS MORAIS POR NÃO RENOVAR O PORTE DE ARMAS DE UM GUARDA PORTUÁRIO

  O magistrado assinalou que, ao proceder assim, a CDRJ expôs a vida e a integridade física do trabalhador a risco A Companhia Docas do Ri...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 5 de maio de 2022

0

TERMINAIS PORTUÁRIOS DE PARANAGUÁ RECEBEM DECLARAÇÃO DE CUMPRIMENTO

 

A certificação garante que os terminais cumprem o ISPS Code

Três terminais portuários que operam no Porto de Paranaguá, no Estado do Paraná, receberam no dia 25 de abril, a Declaração de Cumprimento (DC).

O documento, entregue as instalações portuárias Catallini, Interalli Grãos e Fospar, é emitido pela Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Conportos),

“A certificação garante que os terminais cumprem o Código Internacional para Segurança de Navios e Instalações Portuárias (ISPS Code, na sigla em inglês). Isso significa que o local realiza os mesmos controles de acessos e monitoramento que são usados em portos do mundo inteiro, seguindo o código internacional passado pela Organização Marítima Internacional”, explica Bruno Bassani Rebelo, delegado da Polícia Federal (PF), instituição coordenadora da Conportos.

Segundo Cesar Kamakawa, chefe da Guarda Portuária (GPort), da empresa pública Portos do Paraná, que administra os portos de Paranaguá e Antonina, as normas garantem maior segurança, impedem o tráfico de drogas e crimes como terrorismo. “Para o mercado, significa o aumento de contratos, entrada e saída de navios de carga. A certificação ISPS Code impacta diretamente em toda movimentação portuária”, afirma.

Certificados

Durante o processo de certificação, as três empresas e outras instituições públicas trabalharam unidas. Fábio Martins Jorge, controller (agente de controles) dentro da Catallini, conta que a empresa é a primeira do Paraná e uma das primeiras do Brasil a ser aprovada na nova Resolução 53 da Comissão.

“Tivemos um bom trabalho conjunto com a Autoridade Portuária do Paraná, Receita Federal do Brasil (RFB), Polícia Federal (PF), Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e Capitania dos Portos”, afirma.

Segundo o gerente de Operações do terminal marítimo da Fospar, Leandro Samuel Joaquim, o processo criou um grupo que coopera como comunidade portuária, unindo poder público e terminais privados. “Essa interação não é comum. As empresas que atuam no Paraná entenderam que, na busca pela segurança, não somos concorrentes, mas parceiros”, completa.

Helder Sorgi Catarino, gerente-geral da Interalli Grãos, comemorou a certificação. “Estamos cumprindo a Resolução 53 já atualizada. É um selo de qualidade e referência nos procedimentos de segurança que executamos dentro do terminal e no Corredor de Exportação”, acrescenta.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.