SEGURANÇA PORTUÁRIA EM FOCO

SEGURANÇA PORTUÁRIA EM FOCO

Postagem em destaque

PRESIDENTE DA CODESP RECEBE COMISSÃO DA GUARDA

A reunião serviu para confirmar que o problema da Guarda Portuária é de gestão Na última quinta-feira (09), o presidente da Comp...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

0

CAMINHONEIROS SOFREM COM ROUBO DE CARGAS EM PARANAGUÁ




Os criminosos rompem as bicas, que ficam na parte traseira, derramando parte da carga pela rua, muitas vezes sem que o motorista perceba

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) organizou um novo sistema de agendamento de descarga no Porto de Paranaguá. O grupo também avalia medidas de segurança que devem ser tomadas para evitar a abertura de bicas dos caminhões no caminho entre o pátio de triagem e os terminais. O objetivo é evitar o furto de cargas e as ações fazem parte da Operação Safra.
As cargas mais visadas são grãos e fertilizantes. Normalmente, o furto ocorre durante a noite ou quando o caminhão está trafegando em baixa velocidade. Os criminosos rompem as bicas, que ficam na parte traseira, derramando parte da carga pela rua, muitas vezes sem que o motorista perceba. Imediatamente, outros recolhem e levam para depósitos clandestinos nas imediações do porto.
O caminhoneiro Marcio Augusto Cordeiro transporta farelo de soja de Ponta Grossa para o litoral do estado. Ele faz o trajeto semanalmente e afirma que teve o caminhão saqueado duas vezes. “Eles trancam a rua e abrem os caminhões, derramam as cargas e saqueiam. Todo dia, há uma média de dez ou quinze caminhões, às vezes mais, que estão sendo saqueados. Eles ficam na beira das rodovias, da BR-277 que é o acesso ao porto, e nas avenidas principais. Quando o caminhão passa devagar, eles vão atrás de bicicleta ou a pé, abrem e roubam a carga”, lamenta.
Para coibir a ação, os próprios caminhoneiros desenvolveram uma trava que impede a abertura das biqueiras. Mas os criminosos seguem encontrando novas formas de roubar os itens. “Agora, como todo mundo está dificultando a ação deles, eles estão partindo para a violência. Já houve caso de assassinato, mataram o motorista a tiros. No último final de semana, um motorista foi atingido na coluna, ficou paraplégico. Eles quebram para-brisa, vidros. Eles estão demais. Nunca esteve desse jeito. Está difícil trabalhar”, conta Marcio.
O caminhoneiro Jair Bassani afirma que faz de quatro a cinco viagens por semana para o Porto de Paranaguá. Ele também acredita que a situação está pior neste ano. “A gente fica inseguro, porque precisamos trabalhar. Esse ano está terrível. Todo dia eles saqueiam caminhão. Teve dois amigos meus que levaram tiros em Paranaguá. Teve um amigo que teve o caminhão apedrejado, estourou os vidros, caiu dentro do caminhão”, afirma.
Para coibir a ação dos bandidos, a PRF afirma que já há um trabalho integrado. O chefe do Núcleo de Comunicação da PRF, Fernando Oliveira, afirma que o setor de inteligência da polícia tenta identificar os responsáveis pelos saques, depósito e receptação da carga furtada. “A Polícia Rodoviária Federal, além das viaturas caracterizadas, tem também feito um trabalho de inteligência buscando identificar os responsáveis. Identificar não apenas os autores do crime, mas também quem está por trás”, garante. “Com base nessas informações, em conjunto com outras forças de segurança, a gente tem tentado estabelecer uma ação conjunta”.
Para agilizar a descarga e evitar saques, a Operação Safra, organizada pela Appa determinou que os caminhões devem sair do local de origem com o horário de descarga nos terminais já definido. O objetivo é de que a chegada dos grãos seja feita de maneira ordenada, sem acúmulo de caminhões. De acordo com a assessoria da Appa, já foram realizadas reuniões com a Polícia Militar (PM), Guarda Municipal e Polícia Rodoviária Federal (PRF). Com o auxílio da Unidade Administrativa de Segurança Portuária (Guarda Portuária), deve ser formada uma ação integrada para evitar os saques.
A assessoria de imprensa do governo estadual informou que não existe um registro do número de ocorrências envolvendo saques de cargas no Porto de Paranaguá, que rondas periódicas são feitas na região para coibir os saques e que elas serão intensificadas nas próximas duas semanas.


* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►
0

PORTO DE PARANAGUÁ FAZ SIMULADO PARA PREVENÇÃO DE ACIDENTES




O objetivo é promover um ambiente mais seguro aos trabalhadores que exercem suas atividades no porto

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) promoveu no dia 09 desse mês, o primeiro Simulado Prático para Atendimento a Emergências envolvendo Equipamentos de Grande Porte. O objetivo da ação é medir o tempo de resposta em caso de acidentes envolvendo trabalhadores e equipamentos utilizados na operação portuária como, por exemplo, guindastes, portêineres e shiploaders.
O exercício simulado ocorreu na operação de descarga de granéis minerais. No cenário criado pela Appa ocorreu um incêndio (em um dos guindastes MHC da empresa Harbor) com a necessidade de apagar e controlar o fogo e ainda resgatar o operador do equipamento que estava com a sua saída bloqueada, devido à grande quantidade de fumaça na escadaria do equipamento.

No decorrer da ação foi solicitado o apoio do guindaste do operador Rocha, que operava ao lado, para conexão de cabo de resgate e retirada da vítima.
O simulado levou 35 minutos, incluindo o atendimento à vítima e o combate ao incêndio. O tempo de resposta foi de 5 minutos.

Durante o exercício de resgate foram avaliados os recursos de combate das empresas que integram o Plano de Auxílio Mútuo (PAM), criado e coordenado pela Appa desde 2014. Entre os níveis de avaliação estão a eficácia da comunicação do acidente, o tempo de resposta para o atendimento (chegada ao local) e a eficiência das entidades envolvidas, entre elas, Appa, empresas signatárias do PAM e Corpo de Bombeiros.
De acordo com o diretor presidente da APPA, Luiz Henrique Dividino, o Plano de Auxílio Mútuo permite atendimentos mais eficientes e céleres.

“O objetivo é promover um ambiente mais seguro aos trabalhadores que exercem suas atividades no porto. Além do Plano de Auxílio Mútuo, a Appa possui um Plano de Controle de Emergência, que inclui ações de mitigação em caso de incêndios, explosões, acidentes ambientais e com vítimas”, explica Dividino.
Os dois planos, assim como a Licença Ambiental de Operação da Appa, emitida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), exigem a realização de simulados.
“O principal objetivo destes simulados é avaliar estratégias de resgate e atendimentos para as situações emergenciais, priorizando o cuidado com a vida humana, o meio ambiente e o patrimônio”, declarou o diretor de Meio Ambiente da Appa, Bruno Guimaraes.
Segundo ele, a Appa promove reuniões periódicas com todos os arrendatários, operadores e a comunidade portuária para integrar as ações individuais de prevenção nas questões de segurança, saúde e meio ambiente.
Um exemplo de acidente com equipamentos de grande porte que os exercícios simulados podem evitar foi o ocorrido no Porto de Itaqui, em setembro de 2016, quando um guindaste da empresa Brazil Marítima pegou fogo no porto maranhense.

Integram o Plano de Auxílio Mútuo da Appa as empresas: AGTL - Armazéns Gerais Terminal Ltda; InteralliI Administração e Participações S/A; Louis Dreyfus Commodities Brasil S/A; Cotriguaçu Cooperativa Central Regional Iguaçu Ltda; Bunge Alimentos S/A; Aocep; Pasa – Paraná Operações Portuárias S/A; Cargill Agrícola S/A (Coord.); Coamo Agroindustrial Cooperativa; Teapar – Terminal Portuário de Paranaguá S/A; SIPAL; Rocha; Andali Operações Industriais, Sal Diana; Fospar Fertilizantes Fosfatados do Paraná; Fertipar; Terminais Portuários da Ponta do Félix, Centro Sul, Cattalini Terminais Marítimos Ltda, Terminal de Álcool, União Vopak; CPA Armazéns Gerais, BRF Brasil Foods – Sadia, Fransilva Fornecedora de Material de Estiva, Rumo ALL, Martini Meat, Volksvagen, Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) e Techint.
Fonte: APPA

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►

sábado, 18 de fevereiro de 2017

1

PF E GUARDA PORTUÁRIA APREENDEM 12 KG DE SKANK NO PARÁ




Os agentes observaram o aparente nervosismo de uma passageira e ao solicitarem a abertura da bolsa que transportava, foi localizado em seu interior 6 tabletes da droga

Por volta de meio-dia deste sábado, a Polícia Federal (PF) e a Guarda Portuária (Gport) apreenderam no Porto de Óbidos, no Pará, aproximadamente 12 Kg de maconha concentrada (Skank).
Durante a fiscalização, na embarcação “Golfinhos do Mar II”, que faz o transporte de passageiros entre Manaus e Santarém, da qual participavam os guardas portuários Gonçalves e Matos, juntamente com cinco policiais federais, os agentes observaram o aparente nervosismo de uma passageira e ao solicitarem a abertura da bolsa que transportava, foi localizado em seu interior 6 tabletes da droga, cada um pesando aproximadamente 2kg.


A passageira, identificada como sendo Railane Sampaio da Silva, de 21, disse que que tinha recebido a importância de R$ 3.000.00 para levar o entorpecente até Santarém, para posteriormente ser enviado para Macapá-PA. Essa fiscalização é realizada rotineiramente em todas as embarcações que fazem esse tipo de transporte.
Após o flagrante, ela e a droga que foi apreendida foram encaminhadas para a sede da Polícia Federal em Santarém.
Skank
Skunk é uma variedade de maconha (cannabis sativa) criada a partir do cruzamentos das variedades Columbia Gold, Mexican Acapulco Gold e Afghani; duas Sativas e uma variedade Indica (75% Sativa, 25% Indica) criando uma espécie hibrida perfeita para cultivo em locais fechados por não crescer muito como  as Sativas tradicionais.
O skank não chega a ser uma maconha transgênica, porque a estrutura molecular da semente não é modificada. A diferença está no cultivo, feito em estufas com tecnologia hidropônica — plantação em água.  

O que diferencia o skank da maconha comum é a capacidade entorpecente. Em ambos, o princípio psico-ativo é o tetra-hidro-canabinol (THC). Na maconha, a concentração percentual nas folhas, flores e frutos prensados fica em torno de 2,5%. No skank, estudos apontam que o índice de THC pode ser de até 17,5%. Com isso, a quantidade necessária para a planta modificada produzir a mesma sensação da normal é muito menor. Os cuidados com a produção fazem com que a droga tenha um alto preço no mercado.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

0

COCAÍNA AVALIADA EM R$ 263 MILHÕES PROCEDENTE DE SANTOS É ENCONTRADA NA ITÁLIA




Carregamento com 390 quilos da droga foi localizado durante operação no Porto de Gioia Tauro

Autoridades italianas localizaram e apreenderam 390 quilos de cocaína procedentes do Porto de Santos. A droga foi encontrada nesta sexta-feira (17) em um contêiner durante fiscalização no Porto de Gioia Tauro, na região da Calábria, na Itália. O carregamento tem valor estimado em R$ 263 milhões (80 milhões de euros).
A cocaína estava dividida em 354 tabletes coloridos armazenados em bolsas pretas escondidas em meio a uma carga com tambores com miudezas bovinas. As malas foram achadas dentro de um dos recipientes. O contêiner, segundo o Comando Provincial de Reggio Calábria, tinha como destino final Odessa, na Ucrânia.
As equipes do Comando Provincial, da Agência Aduaneira de Gioia Tauro e do Comando Distrital Antimáfia, que monitoram o narcotráfico naquele país, estimam que o carregamento ilegal seria vendido por 80 milhões de euros na Europa. As autoridades verificaram que a cocaína apresenta teor de pureza "altíssimo".
Em comunicado, o procurador Federico Cafiero de Raho, da divisão antimáfia do Tribunal de Calábria, disse que o carregamento foi localizado após análise de risco em contêineres. Cães farejadores e escâneres auxiliaram nos trabalhos. Por enquanto, ninguém foi preso e uma investigação foi aberta para identificar envolvidos.

A Polícia Federal e a Receita Federal brasileira já estão cientes da apreensão - a primeira do ano realizada por autoridades estrangeiras. Em agosto de 2016, um balanço de quatro países indicava a apreensão de mais de uma tonelada da mesma droga procedente do cais santista em um período de dois meses.
Nesta ocorrência, a suspeita inicial é que os criminosos tenham utilizado a técnica conhecida como rip-on /rip-off, quando o material ilícito é escondido em um contêiner sem o conhecimento do dono. As autoridades devem trabalhar em conjunto para determinar possíveis envolvidos no crime dos dois países.
Somente este ano, mais de 3 toneladas de cocaína já foram encontradas no Porto de Santos prontas para serem embarcadas para a Europa. A última apreensão - a maior do ano - foi feita na quarta-feira (15) quando 760 quilos da mesma droga foram encontrados em um terminal na Margem Esquerda (Guarujá) do cais.



* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

0

CARREGAMENTO DE 760 QUILOS DE COCAÍNA É INTERCEPTADO NO PORTO DE SANTOS




É a maior apreensão da droga este ano no cais santista: acumulado passa das 3 toneladas

Equipes da Receita Federal localizaram 760 quilos de cocaína escondidos em um contêiner no Porto de Santos, na tarde desta quarta-feira (15). Trata-se da maior apreensão da droga no cais em 2017, cujo acumulado já passa das 3 toneladas encontradas. Até o momento ninguém foi preso.

O carregamento clandestino foi interceptado durante fiscalização em um terminal da Margem Esquerda (Guarujá), antes de ser embarcado em um navio para Antuérpia, na Bélgica (Europa). A cocaína estava dividida em tabletes coloridos, armazenados em 27 bolsas de viagem (12 em um contêiner e 15 em outro).  A droga foi escondida em em meio a carga de fubá de milho.
As autoridades federais acreditam que os narcotraficantes tentaram desviar a atenção do monitoramento ao colocar o entorpecente em uma carga regular, declarada corretamente. Trata-se de uma técnica já conhecida pelo Fisco e pela Polícia Federal, que agora apura possíveis envolvidos.

Com esta apreensão, o cais santista acumula 3.017 quilos de cocaína encontrados somente nos primeiros 45 dias deste ano. Em 2016, o recorde histórico foi quebrado, quando o balanço das autoridades fechou o ano com ao menos 10,6 toneladas da droga interceptadas no Porto de Santos.



 * Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Continue lendo ►

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

0

MANIFESTAÇÃO ELEVA O NÍVEL DE SEGURANÇA NO PORTO DE SALVADOR




A Guarda Portuária conseguiu conter os manifestantes no saguão da recepção do prédio administrativo

Um grupo de pescadores, marisqueiras e quilombolas da Ilha de Maré, em Salvador, ocupou na manhã de ontem (14), a sede da Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), no Bairro do Comércio, em Salvador, em protesto a contaminação química causada pelo Porto de Aratu.
Apesar de contar com apenas um guarda no local, a Guarda Portuária conseguiu conter os manifestantes no saguão da recepção do prédio administrativo. Eles chegaram em um ônibus com cerca de 40 pessoas por volta das 7h45. Com o passar do tempo a quantidade de manifestantes foi aumentando, chegando a ter um número estimado de aproximadamente 80 pessoas. 
Em virtude da ocupação da sede da Codeba, a Comissão Estadual da Segurança Pública dos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (CESPORTOS-BA) elevou o Nível de Segurança do Porto para o "Nível 2" e a Polícia Federal foi acionada para tentar controlar a situação. Duas viaturas chegaram ao local e a lancha da PF ficou no costado. A Marinha também ficou de prontidão, caso os manifestantes tentassem acessar à área restrita.



A Guarda Portuária também aumentou o efetivo no local, chegando inclusive, devido ao baixo efetivo, a convocar guardas portuários de folga para reforçar a segurança. Uma viatura ficou posicionada na área do cais.



Reivindicações
Segundo Eliete Paraguassu, coordenadora do Movimento de Pescadores e Pescadoras (MPP), o grupo decidiu ocupar a sede após Pedro Dantas, presidente da CODEBA, se negar a recebê-los para conversar.
O movimento reivindicava a adoção de políticas públicas de saúde na Ilha de Maré, cumprimento das leis nacionais do meio ambiente, publicidade sobre a natureza e quantidade dos produtos químicos que transitam no Porto de Aratu.
"Tem acontecido grandes derramamentos de óleo e essa contaminação está afetando a saúde da população e do pescado. A gente sobrevive da pesca e isso está diminuindo a qualidade de vida da nossa população", reclamou Eliete Paraguassu, coordenadora do movimento.
Negociação

As negociações foram inicialmente realizadas com um negociador da Polícia Federal, sendo permitido o acesso ao banheiro e a entrada de almoço dos manifestantes.

Posteriormente compareceu ao local uma representante da Defensoria Pública que intermediou uma reunião de uma comissão dos manifestantes com o presidente da Codeba. Participaram também dessa reunião representantes da Polícia Federal, Receita Federal e Marinha.

Algumas das reivindicações envolviam situações referentes a alguns terminais privativos e não da Codeba.

Por volta das 16h30, os manifestantes decidiram que fariam uma nova reunião depois do Carnaval com alguns órgãos estaduais juntamente com a Codeba, evacuando todo o local às 19 horas.

. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

2

CODESP ABRE CONCURSO PÚBLICO




Serão preenchidas 29 vagas e formado cadastro de reserva
A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) publicou hoje (14) no Diário Oficial da União edital para realização de concurso público objetivando o provimento de 29 vagas e formação de cadastro de reserva em cargos de níveis, médio e superior. As inscrições estarão abertas de 14 de fevereiro a 19 de março, no endereço eletrônico da Caipimes – Coordenadoria de Apoio às Instituições Públicas (www.caipimes.com.br), responsável técnica pelo concurso público.
O edital de abertura está disponível nos sites da Codesp (www.portodesantos.com.br), da Caipimes (www.caipimes.com.br) e na edição do Diário Oficial da União de hoje (14), Seção III (www.portal.imprensanacional.gov.br).
Serão aceitos pedidos de isenção de pagamento da taxa de inscrição somente para pessoas amparadas pelo Decreto Federal nº 6.593/2008, que comprovem estar inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e tenham renda familiar mensal igual ou inferior a três salários mínimos ou renda familiar per capita de até meio salário mínimo mensal. Os requerimentos de isenção devem ser realizados no período de 14 a 21 de fevereiro de 2017. Os resultados das análises dos requerimentos estarão disponíveis no endereço eletrônico da Caipimes, a partir do dia 07 de março.
A aplicação das provas objetivas está prevista para o dia 07 de maio de 2017 na cidade de Santos e, se necessário, em cidades vizinhas na Baixada Santista. A confirmação da data, horário e locais das provas será divulgada, oportunamente, no endereço eletrônico da Caipimes. O resultado final do concurso público será publicado no Diário Oficial da União e nos websites da Codesp e da Caipimes.

Cargos e Remunerações

Fonte: CODESP

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►
1

MP É ACIONADO CONTRA NOVA TENTATIVA DE TERCEIRIZAR A GUARDA PORTUÁRIA



O fim dessa terceirização só foi possível graças a intervenção do MPT-PA

Não obstante o fim da terceirização da Guarda Portuária, atividade finalística da Companhia Docas do Pará (CDP), a qual vinha acontecendo irregularmente há mais de 20 anos, eis que esta Companhia, algo totalmente descabido, tenta agora novamente terceirizar a Guarda Portuária sob uma nova modalidade, agora querendo contratar porteiros, conforme notícia do Diário Oficial da União (DOU), de 01 de fevereiro de 2017.


Mesmo diante dessa gravíssima irregularidade, onde nenhum gestor da CDP sofreu no tempo em que ela vigorou quaisquer penalidades de responsabilidade por neste período fazer a administração pública gastar desnecessariamente milhões de reais com os contratos, anos a fio, com as empresas de vigilância, o fim dessa terceirização só foi possível graças a intervenção do MPT-PA, ocorrida efetivamente desde 31 de outubro de 2015, data a partir da qual a segurança dos patrimônios e portos organizados administrados e pertencentes a CDP passou a ser feita direta e regularmente somente por integrantes do quadro efetivo da Guarda Portuária.
Cabe ainda lembrar que o próprio MPT-PA, em audiência realizada em 21/06/2016, onde nesta a CDP era ré, já se posicionou contra a contratação de porteiros que esta Companhia tenta agora contratar para ocupar os postos da Guarda Portuária, por meio desta licitação, pois este Ministério não concorda com a contratação desses agentes, tendo em vista que seria uma nova modalidade de terceirização e que tais empregos públicos não existem na estrutura organizacional da companhia.
Segundo foi apurado pelo Portal Segurança Portuária Em Foco, após o Procurador-Chefe da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região (PA/AP) receber denúncias visando resguardar a área de atuação de competência exclusiva da Guarda Portuária contra essa nova tentativa da CDP em querer terceirizar irregularmente seus postos de serviço, a Companhia, alegando falhas no edital Nº 001/2017, anulou a licitação, conforme nova publicação no DOU datada de 6 de fevereiro de 2017.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

0

PRESIDENTE DA CODESP RECEBE COMISSÃO DA GUARDA




A reunião serviu para confirmar que o problema da Guarda Portuária é de gestão

Na última quinta-feira (09), o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (CODESP), José Alex Oliva, se reuniu pela primeira vez com a Comissão da Guarda Portuária. O encontro ocorreu na sede da Presidência da empresa para tratar de assuntos relativos ao setor. A iniciativa de criação da comissão partiu do próprio presidente da Codesp durante os encontros que manteve, em duas oportunidades, com o efetivo da Gport. A ideia é ampliar a comunicação entre a corporação e a Presidência através da discussão dos assuntos pautados e suas providências.
Na Reunião, os integrantes da Comissão apresentaram a seguinte pauta:
1 – Entendendo que a Guarda Portuária precisa melhorar sua apresentação e exposição mediante o setor portuário assim como a toda sociedade, foi sugerido:
a) Desenvolvimento de trabalhos sociais envolvendo as unidades do Canil e da Brigada de Incêndio, apresentando o trabalho da Gport em escolas da região.
b) Desenvolvimento de trabalhos envolvendo toda a Companhia, como doações de sangue, arrecadação de alimentos e campanhas do agasalho.
c) Criação de uma página oficial da Gport no site da Autoridade Portuária, com a finalidade de maior divulgação das ocorrências e projetos sociais envolvendo a corporação.
d) Designação de uma pessoa para atuar como Relações Públicas específico da Guarda, com a finalidade de maior divulgação das ocorrências e projetos sociais envolvendo a corporação.
e) Retomar hábitos cíveis como o hasteamento da bandeira nacional diariamente pela guarnição de serviço, tanto na Presidência como no COS 1, assim como o seu recolhimento, assim como, a participação da Guarda Portuária no desfile de 7 de setembro.
2 – Visando a melhor prestação de serviço e atribuições devidas da categoria, foi sugerido:
a) Revisão dos procedimentos de segurança e dos procedimentos técnicos, bem como, padronização do Modus Operandis em tudo no tocante as Ordens de Serviço da Guarda Portuária, tanto na correta divulgação destas, como no acesso da categoria as mesmas, visando assim, acessibilidade e agilidade.
b) Avaliação técnica periódica, assim como reciclagens técnicas, práticas e sobre a legislação, mediante a implantação do Plano de Capacitação da Guarda Portuária.
c) Implantação do sistema de avaliação dos guardas em funções comissionadas, utilizando a mesma ferramenta e visando criar representação de como a categoria enxerga seus superiores.
d) Respaldo ao guarda portuário no exercício de suas funções, certificando-se de que determinações superiores não podem gerar conflito com obrigações legais exigidas por órgãos como Receita Federal, Polícia Federal e legislações internacionais (ISPS Code).
3 – A fim de buscar um melhor desempenho no cotidiano, foi solicitado:
a) Acompanhamento jurídico ao guarda no tocante as ocorrências de serviço.
b) Proteção à maternidade durante a gestação e lactação.
c) Isonomia entre todos os funcionários da Companhia no tocante aos itens do Regulamento Interno de Pessoal (RIP).
4 – Como logística é fundamental quando se busca aprimorar uma atividade, foi sugerido:
a) Mapeamento das áreas de maior incidência de ocorrências sejam elas delitos, acidentes ou fluxo pesado de trânsito, assim como os navios atracados com maior incidência de atos criminosos, permitindo assim o combate mais eficaz a essas ocorrências.
5 – Sobre Convênios e adequação da Guarda Portuária a fim de executar suas atividades, foi sugerido:
a) Que a presidência da Companhia intervenha junto a Polícia Federal pedindo celeridade na expedição do porte de arma.
b) Celeridade na renovação dos convênios com a Diretoria de Trânsito do Guarujá (DITRAN) e Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), de Santos.
c) Criação de novos convênios com a INFOSEG, SENASP, CONSEG e Polícia Rodoviária Federal.
d) Verificar junto a CET e DITRAN, a possibilidade do repasse de pró-labore das respectivas multas aplicadas pelos guardas portuários.
6 – Sobre a atuação efetiva da atuação da Guarda Portuária no desempenho das suas atividades, foi sugerido:
a) Maior atuação da Guarda Portuária na fiscalização dos operadores portuários, assim como, de seus colaboradores.
b) Autonomia do guarda no tocante ao registro de ocorrências.
7 – Sobre os equipamentos de trabalho da Guarda Portuária, foi sugerido:
a) Manutenção adequada dos armamentos, assim como capas e placas de coletes balísticos, rádios, tonfas e detectores de metal.
b) Manutenção e/ou substituição de equipamentos defeituosos nas bases, gates, e CCOS, sendo eles prioritariamente cadeiras, ventiladores, bebedouros, ar-condicionado e mesas.
c) Criação ou adequação de vestiários femininos nas bases 2, 3 e 4, assim como nos gates.
d) Atenção especial a Base 4, pois a mesma se encontra sucateada e com grande deficiência em sua segurança.
7 – Como a ideal prestação de serviço passa pela necessidade de maior efetivo, foi sugerido:
a) Em médio e longo prazo, ampliação do quadro da Guarda Portuária mediante concurso público.
b) Reativação ou adequação das unidades de Corpo de Bombeiros Civis (Brigada), Canil, Rocam, Patrulhamento Marítimo e Gates.
c) Em curto prazo, viabilização de horas extras afim de suprir a efetiva necessidade de serviço.
d) Revisão do Plano de Segurança Portuária.

Após a reunião o presidente se comprometeu a analisar as sugestões apresentadas, ficando de dar um retorno em breve quanto às possibilidades e posicionamento do que foi proposto, afirmando que a reunião serviu para confirmar que o problema da Guarda Portuária é de gestão.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Continue lendo ►

LEGISLAÇÕES