Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

0

RECEITA FEDERAL APREENDE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS



SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA / RECEITA FEDERAL






Uma operação conjunta entre duas repartições da Receita Federal apreendeu 10 baldes com cerca de 100 quilos de pasta de cocaína. A droga foi apreendida dentro de um contêiner que transportava polpa de frutas de sucos, que saiu de Manaus (AM), com destino ao porto da Antuérpia, na Bélgica. A apreensão aconteceu na última segunda-feira (26), mas só foi divulgada na quarta-feira (28/11).


Baldes de polpa de caju congelada que tinham como destino a Europa foram usados por uma quadrilha internacional de narcotraficantes para ocultar uma carga tão valiosa quanto ilícita. Dentro delas, durante inspeção de agentes da Receita Federal realizada no Porto de Santos, foram achados cerca de 100 quilos de pasta base de cocaína.


Polpas de caju e manga congeladas foram embarcadas em Manaus (AM), tendo como destino o Porto de Antuérpia, na Bélgica. Durante escala do navio em Santos, agentes da Divisão de Vigilância e Controle Aduaneiro da Alfândega (DIVIG) e da Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho (DIREP) vistoriaram a carga.


A fiscalização ocorreu na tarde de segunda-feira. Inicialmente, foi utilizado um aparelho de Raio-X, que não detectou diferença de imagem em 140 baldes de 20 litros cada examinados, apesar de eles supostamente conterem polpas de frutas diferentes (caju e manga), da marca Amazônia Polpas.


 

O carregamento estava acondicionado em um contêiner e os baldes encontravam-se lacrados. Após a inspeção preliminar com o aparelho de Raio-X, a cadela farejadora Grace, da DIREP, entrou em ação, detectando pasta base de cocaína em dez dos 140 baldes. Perícia acusou elevado grau de pureza do entorpecente.



A cocaína só estava em recipientes que continham polpa de caju. Ninguém foi preso, sendo a Polícia Federal acionada para dar sequência às investigações. Exportadores, importadores e demais pessoas envolvidas na operação comercial intercontinental são alvos da apuração da PF.

 

Fonte: Jornal A Tribuna / G1- Video.
 
 
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES