Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

quinta-feira, 14 de março de 2013

0

MANUTENÇÃO DO CAP COMEÇA A SER CONSENSO



Empresários pedem manutenção do CAP e criticam centralização de decisões portuárias em Brasília
 

 
Em audiência pública realizada na última terça-feira (12/03), na comissão mista que analisa da Medida Provisória (MP) 595/2012, o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, afirmou que o Brasil tem capacidade de aumentar a qualidade da exportação. E defendeu a importância do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) e criticou artigo da MP que reduz o órgão de deliberativo a consultivo, transformando o órgão, segundo ele, numa “rainha da Inglaterra”.

Já o deputado Roberto Santiago (PSD-SP) definiu como “burocrata” quem elaborou a medida provisória, porque retoma a centralização da administração portuária, e decisões, nas esferas governamentais de Brasília. “Esse burocrata que fez esta medida provisória deve estar querendo comandar portos daqui de Brasília, do ar condicionado.”

Sérgio Aquino, ex-presidente do CAP do Porto de Santos, disse que a matéria editada pelo governo federal, em dezembro último, vai de contramão da administração portuária em todo o mundo ao centralizar poderes e dispensar a governança corporativa - fatores que, em seu cálculo, podem inibir a modernização dos portos brasileiros.

Outro crítico da centralização das deliberações portuárias em Brasília foi Paulo Fernando Fleury, presidente do Instituto de Logística e Supply Chaim (ILOS), avaliando, ainda, que as novas regras de licitação impõem aos concessionários, responsabilidades acima de seu alcance e criam desequilíbrio quanto aos direitos adquiridos.

 

Fonte: Agência Senado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES