Postagem em destaque

GUARDAS PORTUÁRIOS PARTICIPAM DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA ADESTRAMENTO DE CÃES NO PARÁ

As instruções teóricas foram realizadas tanto em espaços ao ar livre quanto em sala, com apresentações em slides e considerações impor...

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

0

RECEITA FEDERAL APREENDE PAPEL IMPORTADO NO PORTO DE SANTOS





A Receita Federal desmantelou um esquema que sonegava impostos desviando papel com imunidade tributária. A “Operação Papel Imune" resultou na apreensão da mais de 7,2 toneladas de papel.

Dezenas de Auditores Fiscais e Analistas Tributários foram mobilizados para atuar no combate ao desvio de papel imune.

Desde o início de 2013, foram apreendidos, pela Alfândega de Santos, aproximadamente 250 contêineres de papéis (5 mil toneladas). O valor estimado atinge 15 milhões de reais. Já em zona secundária, a Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Superintendência da Receita Federal em São Paulo realizou três grandes apreensões (2,2 mil toneladas), atingindo o montante de 7 milhões de reais.

Até o momento, já foram abertas fiscalizações contra todas as grandes importadoras envolvidas no desvio de papel imune. Também serão fiscalizados os clientes que se aproveitaram da fraude.

Faziam parte do esquema oito importadoras e 35 empresas de fachada, que apenas emitiam nota de compra ou venda, as chamadas noteiras. Outras 150 pessoas eram as reais beneficiárias do esquema fraudulento.

Além das apreensões, a Receita Federal lançou multa de 150% mais juros. Também foi emitida representação fiscal para fins penais, em que as empresas ou pessoas envolvidas respondem criminalmente. Para garantia dos valores cobrados, a Aduana iniciou o arrolamento de bens, em casos em que a medida for possível.

De acordo com a Receita Federal, a importação irregular dessa mercadoria gera prejuízos para as empresas brasileiras produtoras de papel, além de gigantesca evasão fiscal, Fraudes como as descobertas reduzem a arrecadação tanto da União, quanto dos estados.

No esquema flagrado pela Receita Federal, empresas importadoras, portadoras de regime especial para trabalhar com papel imune, realizavam a importação. Elas destinavam a maior parte do material importado às empresas de fachada, com quadro societário composto por laranjas.

Isenção fiscal

A Constituição Federal concede isenção de impostos a carregamentos de papel importados utilizados na produção de livros, jornais e periódicos. O objetivo da norma é viabilizar o acesso à informação, estimular a difusão do conhecimento e o hábito da leitura na população brasileira.

Para isto, busca-se a redução de custos de produção e, consequentemente, a diminuição do preço final. No entanto, a imunidade tributária não vale em papéis usados para outras finalidades. A fraude ocorre exatamente quando importadores ou despachantes mentem sobre a utilidade da carga, a fim de não recolher os impostos devidos.

 

Fonte: Receita Federal
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES