Postagem em destaque

MULHER ASSUME A PRESIDÊNCIA DA CONPORTOS

Nelbe Ferraz de Freitas, 37, foi designada pelo Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública Na última quarta-feira (04), Nel...

quinta-feira, 26 de junho de 2014

0

EMBRAPORT CRIA APLICATIVO PARA AUTOMATIZAÇÃO DE OPERAÇÃO



Reduzir em cerca de 50% o tempo de entrada de contêineres de importação que desembarcam em outros terminais é o objetivo da Embraport com o uso de um aplicativo que permite a automatização do processo. Ele foi desenvolvido pela equipe do terminal em parceria com uma empresa terceirizada e será responsável pelo monitoramento das caixas metálicas até o acesso ao gate da instalação, que fica na Área Continental de Santos.
Foram necessários pelo menos dois meses para o desenvolvimento do aplicativo e sua fase de testes, durante a operação do terminal. Ele servirá apenas para os contêineres que tem como destino a Embraport, mas desembarcaram em outras instalações do cais santista.
Há cerca de trinta dias, o novo sistema eletrônico começou a ser utilizado por caixeiros e vistoriadores e é considerado um sucesso. Os primeiros são responsáveis por conferir os contêineres no momento em que eles desembarcam em outros terminais. Já os outros profissionais têm como obrigação fazer a conferência dos dados antes da entrada na Embraport.
Antes do aplicativo, os caixeiros se deslocavam até os terminais que recebiam o contêiner importado. Lá, conferiam dados de lacre, o estado do cofre, além da documentação para, só assim, autorizar a liberação da caixa metálica. Tudo era feito de forma manual, com o preenchimento em duas vias de um formulário.
Agora, com o aplicativo Sistema Embraport Online (EOL), os caixeiros recebem telefones celulares conectados a internet e nele inserem os mesmos dados. A partir do momento da liberação da carga, os vistoriadores já recebem as informações e o setor de segurança patrimonial pode monitorar o tempo necessário para a entrada da carga no terminal.
“Com o celular com tecnologia 3G ou 4G, o caixeiro tem um campo para o preenchimento de informações como o número do contêiner, o navio em que ele veio, as avarias e lacres, além da placa do veículo e do nome do motorista que irá transportá-lo. Quando ele confirma, gera um agendamento”, explicou o coordenador de TI (Tecnologia da Informação) da Embraport, Marcio André Mateus.
Já na entrada do terminal, o vistoriador, que também utiliza telefones celulares com internet, digita o número do contêiner no aplicativo e obtém todas as informações disponibilizadas pelo caixeiro.
A partir daí, ele fica responsável por conferir todos os itens que foram descritos. Em caso de divergência, ele é obrigado a reportar o caso à segurança. Mas, caso esteja tudo correto, é autorizada a entrada do caminhão que transporta o contêiner na Embraport.
“Se todos os terminais usassem essa tecnologia, com o tempo se evitaria o uso do papel e tudo poderia ser feito eletronicamente. O objetivo é fazer com que outras instalações vejam que ele (o aplicativo) funciona”, destacou o coordenador da Embraport.
Pesagem
Clientes da Embraport podem, agora, pedir a repesagem de cargas pela internet. O procedimento é feito no site da empresa e envolve a retirada do contêiner para uma das balanças móveis no pátio.
Se não houver divergência em relação ao último peso informado, o cliente arca com os custos da movimentação. O mesmo acontece ao contrário, caso seja constatada uma divergência acima de 10% do volume.
Para a Embraport, a medida estabelece um padrão no processo que evita prejuízos de receita e, ao mesmo tempo, gera controle e segurança para o cliente, que pode consultar os gastos com repesagens feitas anteriormente.


Fonte: Jornal A Tribuna





Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES