Postagem em destaque

CONPORTOS PROMOVE RECADASTRAMENTO DE SUPERVISORES DE SEGURANÇA

Sandro Torres Avelar, presidente da Conportos O objetivo é de manter atualizado o cadastro interno da CONPORTOS e das demais organiza...

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

0

SIMULAÇÃO DE INCÊNDIO NA ÁREA CINCO DO PORTO TERMINA ANTES DO PREVISTO



Os trabalhos deveriam ser realizados em cerca de 90 minutos, mas conseguiram realizar em 67

Foram necessários 10 minutos para a chegada das primeiras viaturas do Corpo de Bombeiros ao simulado de incêndio da área 5 do Porto de Santos, que engloba as instalações portuárias localizadas nas proximidades da Ponta da Praia. O exercício, inédito nesta região, aconteceu no Terminal XXXIX (39 externo), operado pela Caramuru, no Corredor de Exportação. Os trabalhos deveriam ser realizados em cerca de 90 minutos, mas foram concluídos em 67 minutos.
Durante este período, foi realizado o atendimento da ocorrência pelo Corpo de Bombeiros, com o auxílio das brigadas de incêndio da própria empresa, de terminais vizinhos e da Guarda Portuária (Gport). Instalações portuárias localizadas em outras regiões do complexo santista também encaminharam apoio.



O objetivo do exercício foi avaliar o tempo de resposta da comunidade portuária e de outras autoridades durante uma ocorrência envolvendo a propagação de fogo. Situações como essa já aconteceram no cais santista. Em abril do ano passado, tanques do terminal da Ultracargo, na Alemoa, foram destruídos pelas chamas. O sinistro levou nove dias para ser controlado e foi considerado a maior ocorrência deste tipo no País. Em janeiro último, as chamas consumiram contêineres no terminal retroportuário da Localfrio, na Margem Esquerda, em Guarujá.
As respostas das empresas e das autoridades foram supervisionadas através do Plano de Auxílio Mútuo (PAM) do Porto, coordenado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e que reúne terminais, prefeituras, o Corpo de Bombeiros e órgãos ambientais.
Agora, os responsáveis pelo PAM vão avaliar os resultados do exercício. “A partir de agora, as pessoas que ficaram incumbidas de fazer as anotações e observações vão se reunir e dizer tudo o que foi bem feito e o que precisa de melhorias. Vamos fazer esse saldo e apresentar isso na próxima reunião, no dia 15 de dezembro”, destacou o gerente de Segurança do Trabalho da Codesp, Ernesto Henriques da Costa Júnior.
Cerca de 300 pessoas, sendo 100 do Terminal XXXIX, participaram da atividade. A ideia do PAM foi simular, em um terminal de grãos, um incêndio com as mesmas características de acidentes que já aconteceram no Porto, com a propagação das chamas a partir de correias transportadoras de grãos – no caso, farelo de soja.
Avaliação



Para o coordenador do PAM do Porto de Santos, Evandro Lourenço, o tempo de resposta da chegada do Corpo de Bombeiros ficou dentro do esperado, assim como os procedimentos adotados durante o resgate das vítimas. “A gente tem, em média, de 7 a 10 minutos para a chegada do Corpo de Bombeiros. O resgate das vítimas foi muito mais rápido porque foi feito através da brigada de incêndio da própria empresa”, explicou.
Segundo o 1º tenente João Carlos Carvalho, do Corpo de Bombeiros, as equipes sempre trabalham para reduzir o tempo de chegada nas ocorrências. Segundo ele, as viaturas deslocadas partiram da sede, que fica na Avenida Ana Costa, no Gonzaga, em Santos.
“O importante é a integração que está havendo entre brigadistas, Corpo de Bombeiros e a segurança do trabalho de todas as empresas. As pessoas estão se conhecendo e sabendo o que cada um faz na ocorrência. Está virando uma engrenagem e, cada vez mais, as pessoas estão trabalhando de maneira integrada. Assim, vai ser mais fácil quando tiver uma nova ocorrência, que a gente acredita que pode acontecer a qualquer momento. Estamos preparados”.
Durante o exercício, as equipes que atuaram no combate ao fogo testaram a possibilidade de passar mangueiras por dentro do armazém até atingir a correia transportadora. A medida foi bem avaliada pelos técnicos que acompanhavam o exercício.
Treinamento envolveu atendimento a 40 m de altura
O simulado do Terminal XXXIX (39 externo), operado pela Caramuru no Corredor de Exportação, na Ponta da Praia, foi iniciado com a propagação das chamas em uma das correias transportadoras de grãos da empresa. O equipamento fica a 40 metros de altura. A ideia dos organizadores do Plano de Auxílio Mútuo (PAM) era reproduzir o cenário de terminais graneleiros que já sofreram incêndios semelhantes no Porto.
As correias transportadoras do terminal contam com sensores que indicam alterações no aquecimento, alinhamento ou ainda na movimentação das cargas. Por conta disso, o simulado começou com a visualização de um problema por um funcionário no centro de controle da instalação.
Em seguida, a informação foi transmitida para um outro operário, que trabalha no armazém. Ele seria a pessoa mais próxima das esteiras para confirmar o início das chamas. Esta foi uma das vítimas do simulado e precisou ser resgatado a uma altura de 30 metros porque teve uma mal súbito.
O outro funcionário removido foi encenado por um eletricista. O trabalhador teria passado mal durante a evacuação de uma outra estação de trabalho em uma esteira próxima. Ambos receberam os primeiros atendimentos de brigadistas do próprio terminal.
Em casos de acidentes em áreas portuárias, logo após a detecção do sinistro, são os brigadistas os primeiros a serem acionados. Em seguida, o Corpo de Bombeiros é informado, assim como a Guarda Portuária (Gport), responsável pelo acionamento do PAM.

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES