Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

sexta-feira, 7 de abril de 2017

0

FNP REPUDIA TERCEIRIZAÇÃO IRREGULAR DA GUARDA PORTUÁRIA DO CEARÁ E PREPARA DENUNCIA NO MINISTÉRIO PÚBLICO


Porto de Fortaleza

Vigilância e segurança do porto organizado é função exclusiva e finalística da Guarda Portuária

A Federação Nacional dos Portuários vem a público repudiar a atitude da Companhia Docas do Ceará em contratar uma empresa terceirizada de vigilância para substituir o trabalho da Guarda Portuária.
No último dia 31 de março foi divulgado no Diário Oficial que a Companhia Docas do Ceará – CDC assinou contrato de nº 005/2017 com a empresa WN Serviços de Vigilância LTDA – ME para a contratação de 15 postos 24 horas de vigilância armada e desarmada para atuar em suas dependências, inclusive efetuando o controle de acesso às áreas do porto organizado de Fortaleza.  O valor do contrato é de R$ 2.850.105,84 pelo prazo de 12 meses.
Contrato foi assinado antes da Lei das Terceirizações

Esta contração de vigilância terceirizada para atuar na área do porto organizado, especialmente efetuando o controle de acesso, é irregular. Vigilância e segurança do porto organizado é função exclusiva e finalística da Guarda Portuária, conforme a Lei Portuária 12.815. As portarias da Secretaria de Portos 121/2009 e 350/2014, o Parecer AGU/MT/CONJUR 290/2006 e a Resolução ANTAQ 3274 também possuem o mesmo entendimento.
Por isso, a FNP está preparando uma denuncia junto ao Ministério Público do Trabalho e a outros órgãos competentes contra a Companhia Docas.
Esta notícia chega no momento em que acaba de ser sancionada pelo governo Temer a lei que libera a terceirização ilimitada  (PL 4302/98) . Por isso, mais do que nunca, intensificaremos ainda mais a luta contra a terceirização da Guarda Portuária e de qualquer atividade portuária, pois entendemos que esta prática precariza as relações de trabalho, reduz direitos e prejudica os trabalhadores.


* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                            
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES