Postagem em destaque

TERRORISMO PSICOLÓGICO NO PORTO DE SANTOS

Guardas portuários foram obrigados a dobrar a sua jornada de trabalho. No dia 27 de outubro, vários guardas portuários foram obrigado...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

0

TRABALHADOR PORTUÁRIO TEM PARTE DA PERNA DILACERADA NO PORTO DE IMBITUBA


Madeiras de reflorestamento são transportadas em navio tipo break bulk (Foto: divulgação)

Colegas de trabalho disseram que ele estava no porão quando uma tora de eucalipto rolou e o atingiu.
Um trabalhador portuário avulso, de 55 anos, sofreu um acidente de trabalho no porão do navio Chipol Changjiang e teve o pé e parte do tornozelo esquerdo dilacerados por uma tora de eucalipto enquanto carregava a embarcação com madeira, na noite a última segunda-feira (26), no Porto de Imbituba.
Informações preliminares, de colegas de trabalho do portuário, dão conta que Armando Carlos Tolentino da Rosa Jr. estaria no porão quando uma tora de eucalipto rolou e o atingiu. Contudo, outra versão, estipulada por administradores, apontaria que o guindaste foi colocar um pacote de toras no porão e o trabalhador estaria em uma área de risco e com isso acabou sendo atingido.
Consciente, o trabalhador foi atendido, por volta das 23h30, pelo Corpo de Bombeiros, que realizou a imobilização e a locomoção da vítima até a viatura do SAMU, que foi o responsável pela condução do homem ao Hospital São Camilo. Armando passou por uma cirurgia e se encontra em estado observação. O estado de saúde do trabalhador é estável.
A empresa operadora portuária Simetria, responsável pela operação, investiga o que ocorreu. Também é atribuição da Comissão de Prevenção de Acidentes no Trabalho Portuário (CPATP) fazer a análise.
Em nota oficial, a Autoridade Portuária (SCPar Porto de Imbituba) comunicou que “está oficiando o operador portuário responsável pela operação, solicitando a investigação das causas do acidente e as ações corretivas no prazo de 10 dias".
A Comissão de Prevenção de Acidentes no Trabalho Portuário (CPATP), formada por representantes das classes laboral e patronal, se reuniu no OGMO (Órgão Gestor de Mão de Obra), na manhã seguinte, para discutir a situação e solicitar medidas para eliminar e reduzir os riscos de acidentes, visando melhorar o nível de segurança portuária.
Fonte: Portal AHORA



Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      
                                                                                       
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.