Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

2

GUARDA PORTUÁRIA TEM NOVO COMANDO

FESTA NA GUARDA, BORGHETTI ASSUME





Na última segunda-feira, dia 05 de fevereiro, assumiu o comando da Guarda Portuária de Santos, o Sr. Ézio Ricardo Borguetti.  O novo Superintendente renova as esperança da corporação, com a abertura de um diálogo. No primeiro dia teve um encontro com os representantes do Sindicato, que há muito tempo teve as portas fechados pelo antigo oupante do cargo.

Borghetti foi Inspetor da Polícia Rodoviária Federal, onde ocupou o cargo de Coordenador Geral de Operações; Coordenador de Planejamento de Operações de Segurança Pública; Coordenador do Grupo Especial para a melhoria da segurança nas Rodovias da secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça. Idealizou e implementou o Grupo de Policiamento Especial - GPE do Departamento de Polícia Rodoviária Federal. Coordenou a operação Amazônia II (repressão ao tráfico de drogas nos estados da Amazônia); Coordenou , em nível nacional, as operações da Polícia Rodoviária Federal na Greve dos Caminhoneiros I e II.  Foi Secretário Executivo e Presidente da CONPORTOS. Foi fundador do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Estado de Rondônia; Fundador e Presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Distrito Federal. Implantou e ocupou o cargo de Ouvidor da Ouvidoria Setorial do Servidor do Ministério da Justiça.
SIMONETTI SAI SEM DEIXAR SAUDADES





Ele poderia ter sido um dos melhores comandantes que a Guarda Portuária já teve, defendeu a corporação como Autoridade Portuária, mas deixa o cargo sem deixar saudades, com várias denúncias de irregularidades e de assédio moral.
Em março de 2011, começaram as denúncias dos abusos cometidos, que foram feitas a vários órgãos, tais como Ministério Público, Câmara Municipal e Imprensa, quando foi acusado pelo Sindicato de obrigar os guardas portuários a utilizarem arma de fogo sem porte e realizarem investigações fora da área do Porto.

Matéria Publicada no Jornal ATribuna em 02/03/20111






Posteriormente tentou obrigar os guardas portuários a usarem coletes balísticos de forma coletiva. Os coletes para os guardas são uma EPI – equipamento de proteção individual, portanto de uso individual, o que foi duramente criticado pelo Sindicato e pelos próprios guardas portuários, que denunciaram individualmente, por iniciativa própria, junto ao Ministério Público.
Depois do Sindicato protocolar várias denúncias junto à empresa, em 07/10/2011 os inspetores, confinados no CCOS após o fechamento das Subsedes e cansados de sofrerem assédio moral por parte do Superintendente, Sr. Simonetti, se recusaram a usar o fardamento que foi imposto por ele, numa tentativa de militarizar a Guarda Portuária. Eles também se recusaram a fazer a biometria de mão, imposta pelo Superintendente, para ser feita em cada Gate que eles tivessem que fiscalizar, numa clara demonstração de controle eletrônico em cima dos inspetores. O ato ficou conhecido no cais como o DIA DO JALECO, que sempre foi o uniforme utilizado pelos inspetores.

Notícia publicada no Site Portogente.








Após este dia a insatisfação só aumentou, foram feitas várias denúncias por guardas portuários e inspetores junto a Ouvidoria da CODESP e ao Ministério Público, de irregularidades cometidas pelo Sr. Simonetti, tais como, guardas portuários em desvio de função, horas extras pagas e não exercidas, promoção sem processo seletivo (denúncia publicada no site da APROGPORT- Associação Profissional da Guarda Portuária), nomeação e destituição de inspetores sem critérios e abuso de direito. Em assembleia realizada no sindicato, chegou-se inclusive a ser cogitada uma passeata de repúdio. O ato só não se concretizou porque o presidente do SINDAPORT, Everandy Cirino dos Santos, pediu um voto de confiança ao presidente da CODESP, Sr. José Serra.

Matéria publicada no Jornal a Tribuna em 22/10/2011.

Na realidade, já não havia mais clima para o Sr. Simonett  continuar comandando a Guarda Portuária, pois além da insatisfação dos integrantes da própria corporação, a sua figura não era bem vista pelas demais autoridades do Porto.
A sua saída foi noticiada no SITE PORTOGENTE.


2 comentários:

  1. Que seja bem vindo o novo superintendente da Guarda Portuária. Acredito ser um grande avanço termos um civil no comando da Gport!

    ResponderExcluir
  2. Valeu David. As esperanças de uma Guarda Portuária profissional e justa se renovam. O mínimo que pode se esperar de alguém que foi ouvidor do Ministério da Justiça é "JUSTIÇA".

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES