Postagem em destaque

GUARDAS PORTUÁRIOS PARTICIPAM DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA ADESTRAMENTO DE CÃES NO PARÁ

As instruções teóricas foram realizadas tanto em espaços ao ar livre quanto em sala, com apresentações em slides e considerações impor...

domingo, 27 de maio de 2012

1

MOTORISTA É INDICIADO APÓS TER FARSA DESCOBERTA PELA POLÍCIA.




De mocinho a vilão. Após comparecer à delegacia para comunicar o seu sequestro e o roubo do seu caminhão e da valiosa carga de ferramentas elétricas que transportava, um caminhoneiro foi desmascarado pelas contradições detectadas em sua versão.

Afastada a condição inicial de vítima, restou ao caminhoneiro João Crisóstomo Figueira Ferraz, de 48 anos, por enquanto, o indiciamento em inquérito por furto qualificado e falsa comunicação de crime, conforme informou o delegado Marcelo Gonçalves da Silva.

Responsável pelo Setor de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Santos, Marcelo afirma que não é o primeiro caso descoberto de envolvimento do próprio caminhoneiro no roubo supostamente cometido contra o motorista.

“Não por acaso, nesses episódios as vítimas sempre estão com a chave dos veículos que alegam terem sido roubados”, comenta o delegado. João Ferraz disse que localizou depois o caminhão abandonado com as portas destravadas. Segundo ele, a chave estava próxima, jogada no chão.

“Todas as informações dadas preliminarmente no boletim de ocorrência são checadas. Confrontamos esses dados com os relatos posteriores da própria pessoa que se diz vítima e com as versões de eventuais testemunhas”, adverte o chefe dos investigadores, Marcelo Canuto.

No caso específico de João Ferraz, para complicar a sua situação, até o relato de sua mulher o deixou em situação embaraçosa. Ele contou ter recebido telefonema da Delegacia de Cubatão informando-o que o veículo roubado fora achado naquela cidade, sob um viaduto da Vila Elizabeth.

Para buscar o caminhão, ainda conforme o relato da suposta vítima, ela pediu para um “amigo” levá-la de moto até Cubatão. Sobre o amigo, com quem teria se encontrado em um bar perto de sua casa, em Santos, João Ferraz alegou conhecê-lo apenas por Mário, ignorando o seu endereço e número de telefone.
No entanto, a mulher esclareceu que Mário é compadre dela e revelou o número de seu celular. Porém, o que mais chama a atenção é o fato de João Ferraz não ter comunicado à Polícia Civil o encontro do caminhão e nem existir qualquer registro oficial sobre a sua localização.

Nesses casos é praxe a elaboração do documento denominado auto de encontro, apreensão e entrega de veículo. “A falsa vítima disse apenas que achou o caminhão e o levou até o terreno ao lado de sua casa, onde o encontramos posteriormente durante diligência da qual ela não teve conhecimento prévio e nem imaginava que realizaríamos”, diz Canuto.

PEDÁGIO

Não bastasse essas evidências contra o caminhoneiro, o setor especializado da DIG ainda obteve uma importante prova para incriminá-lo, consistente em informes sobre a passagem do caminhão declarado como roubado em praças de pedágio de rodovias paulistas no dia 22 de janeiro.

Nessa data, à tarde, João Ferraz disse que “achou” o veículo em Cubatão. Porém, o sistema de pagamento eletrônico de pedágio Sem Parar/Via Fácil registrou a passagem do caminhão pela Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva, às 18h58.

Às 19h55, o veículo transitava pela mesma rodovia e passou pelo município de Caieiras. O último registro do Sem Parar/Via Fácil, às 21h04, acusa a passagem do caminhão pelo pedágio da Via Anchieta, no Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, em direção à Baixada Santista.

CARGA IA PARA O PORTO SECO DE UBERABA


João ferraz foi contratado por uma transportadora para fazer um frete de ferramentas importadas Black  Decker no último dia 19 de janeiro. A viagem teve início no Km 38 da Rodovia dos Imigrantes e o destino era o Porto Seco de Uberaba- MG, onde a mercadoria seria nacionalizada. A carga chegou ao Brasil pelo Porto de Santos.

Após conseguir mais contatos telefônicos com o motorista, a transportadora responsável pelo frete comunicou a polícia o seu desaparecimento, informando que o sistema de rastreamento do ceículo por via satélite acusou o seu último sinal no Km 410 da Rodovia Ananhaguera, em Ribeirão Preto, na madrugada do dia 20.

No dia seguinte, a suposta vítima compareceu a Delegacia de Cubatão e relatou que fora rendido em um posto de combustível situado na Rodovia dos Bandeirantes, na região de Campinas-Sp, onde parou para efetuar a regulagem dos pneus, por volta das 22:30 de 19 de janeiro.

Três homens o obrigaram a deitar na cama da cabine do caminhão e circularam com o veículo por aproximadamente oito horas. Depois o passaram para outro veículo e o levaram para um matagal, onde fora mantido em c´rcere privado até o início da madrugada do dia 21 de janeiro.

O motorista percebeu que o cativeiro ficava as margens da Rodovia Cônego Domênico Rangoni. em Cubatão, somente após ser liberado e sair sozinho da mata, conforme alegou posteriormente na Delegacia de Cubatão, onde foi registrado o caso de sequestro e roubo de veículo de carga.

RECEPTADORES NA MIRA DO DEIC


Agentes da 4ª Delegacia de Investigações sobre Crimes Contra o Patrimônio, do Departamento Estadual de Investigações Criminais - DEIC, prenderam em Vicente de carvalho  um homem acusado de receptar uma serra e uma furadeira pertencente ao lote furtado e identificaram parcialmente outro suspeito de receptação.

Também caminhoneiro, Reginaldo Moura da Silva, de 34 anos, estava com o seu veículo em uma oficina na rua Orlando Silva, Jardim Boa Esperança, onde os agentes compareceram. Acondicionados ainda nas caixas originais, as ferramentas elétricas foram achadas dentro do caminhão.

Questionado sobre a origem dos equipamento, Reginaldo disse que os comprou de um homem apelidado por João Cabelo, indicando um gualpão ma Rua Manoel Rodrigues, também em Vicente de Carvalho.

João Cabelo não estava neste endereço, mas lá os policiais do DEIC recuperaram 1669 furadeiras, 919 serras e 60 lixadeiras elétricas. As máquinas estava nas repectivas caixas, fazendo parte da carga supostamente tomada de assalto e se encontravam dentro de um contêiner de 40 pés.

O delegado Amadeu Ricardo dos Santos, da Delegacia do DEIC, autuou Reginaldo em flagrante por receptação. Porém este acusado pode pagar fiança de R4 3.110,00 para responder o crime em liberdade.

Policiais da DIG  de Santos e do DEIC dão continuidade às investigações . Eles tentam identificar João Cabelo e as pessoas que participaram da trama armada pelo motorista João Ferraz. Na hipótese de o grupo estar envolvido em outros casos semelhantes, não está descartada o indiciamento dos acusados também pelo crime de formação de quadrilha.

O VALOR DOBRARIA COM INCIDÊNCIA TRIBUTÁRIA

O valor da carga de ferramentas da Black & Decker declarado no documento de transporte aduaneiro - DTA é de R$ 272.213,46. Porém após a incidência de tributos e outros custos, como transporte, essa mercadoria seria posta à venda no País por,  pelo menos, R$ 500 mil.

Segundo o inspetor da companhia seguradora Pamcary, Ederson da Silva Araújo, os produtos recuperados em Vicente de Carvalho correspondem a 30% da carga desviada. Ele acredita que o restante do lote ainda esteja no Distrito de Guarujá.

"Denúncias anônimas à polícia são importantes para auxiliá-la na recuperação das ferramentas. Aparentemente, os envolvidos no furto não tinham um receptador específico e dividiram o carregamento em lotes para oferecê-lo a possíveis interessados", avalia Araújo.


Fonte: Tribuna Online

Um comentário:

  1. boa esta postagem,mais uma vez o mocinho era o bandido,Parabéns aos agentes que descobriram esta fralde.

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES