Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

sábado, 17 de novembro de 2012

0

TRÁFICO INTERNACIONAL DE DROGAS NO PORTO DE IMBITUBA



SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA / POLÍCIA FEDERAL


Tráfico Internacional de Drogas







Uma operação surpresa da Polícia Federal (PF) em Imbituba, no último dia 9, culminou na prisão de um filipino e um dinamarquês, acusados de tráfico internacional de drogas. Um dos homens foi preso no porto da cidade, um dos maiores do país, após a chegada de um navio com a bandeira de Bahamas.
 
A Polícia Federal recebeu uma denúncia que um tripulante de um navio de bandeira de Bahamas, natural das Filipinas, no continente asiático, estaria transportando drogas.
 
De acordo com a Polícia Federal, o homem de 48 anos, Reinaldo D.R, de 48 anos, foi preso no Porto de Imbituba. Com ele foram encontrados sete tabletes de cocaína pura, de 1kg cada, escondidos embaixo da cama. Quando autuado, Reinaldo prestou depoimento alegando que teria comprado a droga de um dinamarquês, na região portuária, no bairro da Vila Nova, que estava hospedado em um hotel da região.
 
O dinamarquês B.L (que só teve as siglas do nome divulgado), de 38 anos, foi encontrado com um carro e nove tijolos de cocaína.
 
Os homens estão reclusos na carceragem da PF, na Agronômica, Capital. Eles deverão ser encaminhados nos próximos dias a um presídio federal.
 
Agora, os trabalhos se concentram no distribuidor da droga pelas vias marítimas. Acredita-se que o entorpecente vem da Europa e teria como destino Grande Florianópolis e Sul do Estado. Os estrangeiros teriam sido utilizados como mulas - quem transporta drogas para traficantes e produtores de entorpecentes.
 
A maior apreensão de cocaína em Santa Catarina ocorreu justamente no Porto de Imbituba, em 2008, quando a Receita Federal apreendeu 627 quilos da droga pura, avaliada em R$ 50 milhões. A cocaína estava escondida em compartimento de um contêiner proveniente do Equador, cuja carga declarada foi descrita como “óleo de palma refinado líquido”.
 
Diário do Sul / Diário Catarinense / G1
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES