Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

0

MARIMEX É NOTIFICADA POR ARMAZENAR EXPLOSIVOS


SEGURANÇA PORTUÁRIA / TERMINAIS


Vistoria do Exército foi feita no Porto de Santos


 

A empresa Marimex Despachos, Transportes e Serviços Ltda, que atua no Porto de Santos, foi autuada por armazenamento irregular de explosivos no local. A fiscalização foi feita por militares da 1ª Brigada de Artilharia Anti-aérea do Exército.

A empresa tem o único terminal que armazena material explosivo do porto. Os militares descobriram que ela estava trabalhando com a licença vencida desde 2009.

De acordo com a vistoria, feita em dezembro, o terminal armazena desde fogos de artifício a explosivos de alto potencial destrutivo.

Há informações, não confirmadas, de que armas poderiam estar sendo guardadas no terminal.

O R-105, regulamento que normatiza o uso e armazenagem de explosivos, estabelece que deve haver distância em relação à linhas férreas e à passagem de pedestres, normas que, segundo o Exército, não eram respeitadas.
 
Marimex

A empresa Marimex Despachos, Transportes e Serviços, que atua no porto de Santos, informou que funciona regularmente. 

Segundo a empresa, ela tinha dois terminais, mas apenas um está em funcionamento. "Com a construção da Avenida Perimetral do Porto de Santos, o terminal 1 foi entregue à Codesp, que utilizou o terreno na avenida. Como o terminal 1 deixou de existir, não há motivo para que tenha autorização de funcionamento", diz a Marimex em nota.

A empresa apresentou o certificado de registro do Terminal 2 (o único, hoje), que vale até 28 de fevereiro de 2014. Em nota, o Comando Militar do Sudeste informou que o documento está válido.

Em dezembro, a empresa foi notificada para apresentar documentos sobre os produtos que estão no terminal. A resposta foi dada e o Exército pediu informações adicionais.

Segundo o Exército, o parecer definitivo será emitido após o cumprimento da exigência.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES