Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

0

PORTUÁRIOS VÃO À BRASÍLIA CONTRA A MP 595





A luta dos trabalhadores portuários de Santos contra a Medida Provisória 595, que retira dos portuários as conquistas obtidas nas últimas décadas, terá mais um importante capítulo hoje de manhã, em Brasília.

É que as lideranças da categoria, que ontem passaram o dia fazendo articulações junto a deputados e senadores, serão recebidos em audiência pelo presidente do Senado, Renan Calheiros ( PMDB-AL). O encontro acontece às 11h30 no gabinete do senador.

A reunião foi agendada pelos deputados federais Marcio França (PSB-SP) e Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP), que, ao lado de Beto Mansur (PP-SP) formam a bancada paulista de apoio aos trabalhadores.

Também estão em Brasília os presidentes do Sindogeesp (operadores de guindaste empilhadeiras) Guilherme do Amaral Távora, do Sindaport (empregados na administração portuária), Everandy Cyrino dos Santos, do Sindicato dos Estivadores, Rodney Oliveira da Silva e do Sindicato dos Trabalhadores de Bloco, Jozimar Bezerra de Menezes.

“Essa é uma oportunidade de ouro e vamos aproveitá-la para informar o presidente do senado das consequências devastadoras que a MP 595 poderá trazer para os portos nacionais, com reflexos que serão imediatamente sentidos pelos trabalhadores avulsos e empregados das companhias docas”, disse Guilherme Távora.

Ele e Cyrino ficaram impressionados com a propaganda feita pela Força Sindical. Todo o entorno do Congresso Nacional está com baners e bandeiras em favor dos portuários e contra a MP. Além disso, milhares de panfletos com críticas à MP, confeccionados pela Força Sindical, serão lançados de um helicóptero.

A mobilização na Capital Federal será reforçada hoje com a chegada dos dirigentes sindicais das demais categorias. Uma delas é o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Portuários (Sintraport), Robson Apolinário, que manifestou confiança no êxito dessa empreitada.

Caravana

Lotado com 54 trabalhadores ligados ao Sintraport e ao Sindicato dos Estivadores, um ônibus saiu na tarde de ontem de Santos, rumo à Brasília.

Caravanas de trabalhadores de outras cidades portuárias também foram organizadas para aumentar a pressão no Congresso contra a MP.

Plenária

 Após a audiência com Renan Calheiros, será realizada uma plenária na Câmara dos Deputados, com a participação de parlamentares de diferentes partidos, para debater as mudanças previstas nos portos nacionais.

As lideranças do movimento não descartam a possibilidade de deflagração de uma greve nacional da categoria, por tempo indeterminado, caso a MP 595 seja aprovada da forma como foi elaborada.

Um dos defensores da paralização é o deputado Paulinho da Força, para quem a medida prejudica todo o sistema portuário do País. “Ela cria condições para que os portos sejam privatizados, caindo nas mãos de grandes donos de navios (armadores) e operadores internacionais, que irão determinar preços e demandas”.
 
Fonte: Jornal A Tribuna
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES