Postagem em destaque

GUARDAS PORTUÁRIOS PARTICIPAM DE CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA ADESTRAMENTO DE CÃES NO PARÁ

As instruções teóricas foram realizadas tanto em espaços ao ar livre quanto em sala, com apresentações em slides e considerações impor...

sábado, 16 de março de 2013

0

COM A PARTICIPAÇÃO DA GUARDA PORTUÁRIA, OPERAÇÃO SAFRA DO PORTO DE PARANAGUÁ CHEGA À REGIÃO DE CASCAVEL




Enquanto o Porto de Santos convive com um caos, O Porto de Paranaguá dá exemplo de organização



Nos dois primeiros meses deste ano, dos 46.308 caminhões que chegaram ao Pátio de Triagem, para descarregar grãos no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá, mais de 66% – 30.898 – são do Paraná. Desses, 24% – ou seja, mais de 7,4 mil caminhões – chegam do Oeste do Estado. É por isso que a Operação Safra está sendo intensificada a partir desta semana na região.

Criada pelo Governo do Estado e desenvolvida pela Administração dos Portos do Paraná, em parceria com o Departamento da Polícia Rodoviária Federal (DPRF) e com a Concessionária Ecocataratas, a ação está sendo realizada no posto da Polícia, no quilômetro 580, da BR 277, a quatro quilômetros da entrada da cidade.


Com a ajuda de oito agentes da PRF da região, Guardas Portuários entregam aos caminhoneiros os folders da Operação Safra. “Nosso objetivo é informar sobre as novas regras de descarga de grãos no Porto de Paranaguá. Se cada um dos agentes responsáveis pelo escoamento da safra fizer a sua parte, todos ganham. O campo consegue escoar a produção, com tranquilidade, segurança e sem a formação de filas nas estradas, o que melhora a vida de todos os demais usuários”, explica o superintendente dos Portos do Paraná, Luiz Henrique Dividino.






Como explica o diretor empresarial da Appa, Lourenço Fregonese, entre as principais mudanças que estão sendo anunciadas pela Operação, estão as novas rotas de acesso aos terminais de grãos. “Foram estabelecidos caminhos alternativos para cada um dos terminais de descarga, para evitar dificuldades no tráfego dentro de Paranaguá. Além disso, instalamos placas de sinalização para orientar os motoristas e fizemos uma série de adaptações operacionais para fazer a safra fluir”, afirma.

A operação tem o objetivo de informar quais são os procedimentos operacionais do porto, as regras e as mudanças logísticas que foram estabelecidas para melhorar o fluxo de mercadorias. Acredita-se que, com a sincronia de todos os atores deste sistema, o porto atingirá maior eficácia operacional diante da expectativa de novos recordes na produção.

Regras

O sistema Carga Online continua sendo usado, com ajustes que vieram aperfeiçoar o sistema de triagem e endereçamento das cargas para os terminais privados. Com relação à programação de cargas, nada mudou do ano passado para agora, pois somente serão programados para descarga os caminhões que tiverem programação de embarque e que tenham espaço para descarga nos terminais públicos e privados de carregamento. A novidade este ano será a integração de todas as informações no sentido de dar conta desta super safra.

O Porto é um ponto de passagem no processo de escoamento da safra e por isto se faz necessário o aperfeiçoamento e ampla divulgação dos processos de forma a facilitar a programação para os exportadores. “Para que tudo isso funcione adequadamente, é necessário dar ampla divulgação principalmente aos exportadores sobre as regras e com isso evitaremos transtornos como formação de filas nas estradas”, explica Dividino.

Operação

A Operação Safra foi lançada no início de fevereiro. As primeiras ações foram na BR 277, sentido Paranaguá. A partir desta, o programa começou a ser interiorizado. O direcionamento às demais regiões do Estado foi marcado com a ação na BR 376, em Ponta Grossa, e com o lançamento da Caravana que viaja todas as regiões do Estado e leva informação a todos os envolvidos no escoamento da safra deste ano.

A campanha com três principais frentes: comunicação com o exportador, caminhoneiros e com os operadores portuários. Essa comunicação é feita através dos folders impressos – distribuídos pela Caravana, pelas ações nas estradas, junto com a PRF, e também disponíveis nas praças de pedágio e no pátio de triagem da Appa -; folders eletrônicos; outdoors instalados nas estradas; totens informativos no Pátio; e mapas com a rota de cada um dos nove terminais de descarga do Corredor de Exportação.

Além dessas mídias, no início deste mês a Appa também lançou o hotsite www.operacaosafra.pr.gov.br. Este traz matérias, contato direto com a Administração dos Portos do Paraná e parceiros e esclarecimentos sobre essa grande operação.

Na região Oeste do Estado, a Operação começou na segunda-feira (11), nas cidades de Palotina, Toledo e Céu Azul. Depois de Cascavel, os próximos destinos são Matelândia, Foz do Iguaçu, São Miguel do Oeste e Santa Tereza do Oeste. Até o final de março, o material estará sendo distribuído na região de Cascavel e no interior de São Paulo, no entroncamento das estradas que ligam o Mato Grosso ao Paraná.

A Operação Safra foi desenvolvida pela Appa e conta com apoio dos Terminais Portuários Privados do Porto de Paranaguá, Grupo Ecovia, CCR Rodonorte e, institucionalmente, pela Polícia Rodoviária Federal. “Com informação, ajudamos os caminhoneiros a manterem a qualidade de vida e segurança, além de colaborarmos com a segurança viária do fluxo. Qualquer ação que visa evitar transtorno nas rodovias é positiva e tem o nosso apoio”, conclui o inspetor responsável pela PRF, em Cascavel, Wesley Rotta.

Movimento na Região

Segundo dados da Ecocataratas, concessionária que administra a BR277, na região de Cascavel, nos dois primeiros meses deste ano, passaram pelas praças de pedágio da região 59.994 caminhões e carretas. Destes, 13.436 transportavam produtos agrícolas – o que representa mais de 20%.

Este ano, ainda de acordo com a empresa, tanto o movimento total quanto o tráfego agrícola aumentaram significativamente. Em 2012, no mesmo período, o número total de caminhões era de 53.308. Representando o movimento fruto da agricultura, foram 11.827 veículos de carga que trafegaram pelas rodovias da região.

“Com certeza, essa operação trará mais segurança e agilidade às estradas da região. Isso reflete não apenas no transporte da safra, mas em todo o fluxo de veículos na BR 277, desde aqui a origem até o Porto de Paranaguá”, afirma o diretor superintendente da Ecocataratas, Jeancarlo Mezzomo.


Fonte: Revista Portos S.A.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES