Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

quinta-feira, 11 de julho de 2013

0

AGENTES DA POLÍCIA FEDERAL E DA CDRJ FAZEM PROTESTOS NO RIO



PF quer que presidente Dilma Rousseff inclua a segurança pública no pacto nacional feito após as manifestações de junho.
 
 
O grupo saiu em caminhada pela avenida Rio Branco em direção à Candelária Foto: Giuliander Carpes / Terra
 

Cerca de 30 agentes da Polícia Federal (PF) fizeram uma paralisação nesta quarta-feira (10) e protestaram em frente ao prédio da Superintendência da corporação, no Centro do Rio de Janeiro. Eles pediram que a presidente Dilma Rousseff inclua a segurança pública no pacto nacional que propôs cinco pontos após as manifestações que tomaram as ruas do País em junho.

"Nós queremos que a segurança pública seja efetivamente discutida, assim como saúde e escola. Precisamos fazer uma reforma profunda na questão da investigação policial. O inquérito policial é uma coisa arcaica, burocrática, que não atende às necessidades da população. Só 10% dos crimes têm uma solução”, disse Valéria Manhães, presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro e agente da PF há 16 anos.

O grupo saiu em caminhada pela avenida Rio Branco em direção à Candelária. Ele pretende reunir 10 mil assinaturas para pressionar o Congresso a implementar a Frente Parlamentar de Segurança no próximo dia 16. Os agentes também defendem a valorização das demais carreiras das polícias. “A PF não é só feita de delegados. Eles são só 15% do corpo de funcionários. Temos agentes altamente capacitados, mas há uma fuga de talentos porque muitas vezes é difícil fazer investigações profundas e amplas”, afirmou Valéria.

Também na manhã da quarta-feira, funcionários concursados da Companhia Docas do Rio de Janeiro fizeram paralisação e protesto em frente à sede da empresa, no centro da cidade. Eles reclamaram da piora das condições de trabalho dos agentes portuários e da flexibilização das normas trabalhistas devido à MP dos portos, recentemente sancionada pela presidente da República.
 
Fonte: Site Terra
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES