Postagem em destaque

CONPORTOS CASSA CERTIFICADO DE SEGURANÇA DOS TERMINAIS DA RODRIMAR NO PORTO DE SANTOS

Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos encontra falhas nos sistemas de segurança desde 2016 e a empresa não apontou soluçõe...

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

1

REGULAMENTAÇÃO DA GUARDA PORTUÁRIA SERÁ DISCUTIDA EM BRASÍLIA





A Federação Nacional dos Portuários, na data de ontem (08), enviou circular para todas as entidades filiadas, representativas da Guarda Portuária, para uma reunião em Brasília-DF, para a discussão da regulamentação da que será apresentada a Secretaria Especial de Portos – SEP.

Em reunião na Casa Civil no dia 8 de junho de 2013, quando o tema recaiu sobre a Guarda Portuária, ficou deliberado que a regulamentação é de responsabilidade da Secretaria de Portos, com a garantia da participação dos trabalhadores (guardas portuários), para opinar sobre o tema.

No dia 24 de junho, foi publicado o Decreto nº 8.033/2013, regulamentando a Lei nº 12.815/2013, o qual confirmou que o poder concedente é a Secretaria de Portos da Presidência da República, (Art.1º, parágrafo único). Com isso, ficou legalmente esclarecido que para a administração do porto (autoridade portuária), organizar a Guarda Portuária conforme dispõe o inciso XV, §1.º, Art. 17, da nova lei, depende da regulamentação expedida pelo poder concedente.

Agora, após duas reuniões com o Secretário Executivo da SEP, foi informado que já existe um grupo de pessoas no âmbito da Secretaria de Portos, trabalhando o tema e que a Federação será convidada para participar da formatação do regulamento.

Sendo assim, a Federação marcou uma reunião para o dia 15, próxima quinta-feira, das 09 às 18hs, com o objetivo especifico de debater sobre as propostas de regulamentação a ser apresentada a SEP.

Um comentário:

  1. MAIS IMPORTANTE DO QUE FICARÁ ESCRITO NESSA REGULAMENTAÇÃO, É COLOCÁ-LA EM PRÁTICA.

    NÃO ADIANTA COLOCAR QUE É ATIVIDADE FIM, QUE NÃO PODE TERCEIRIZAR, ETC, SE TUDO ISSO DE NADA VALE.

    MAS, DE QUALQUER FORMA, QUE A REGULAMENTAÇÃO ATENDA AOS ANSEIOS DA CATEGORIA, INCONDICIONALMENTE.

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES