Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

1

PUBLICAÇÃO DA PORTARIA REGULAMENTANDO A GUARDA PORTUÁRIA FOI ADIADA






Após a paralização de 06 horas no dia 24, e de 24 horas no dia 30 de Janeiro, a Federação Nacional dos Portuários (FNP) restabeleceu o processo de dialogo com o Governo. Em reunião realizada no dia 5 de fevereiro, com o Secretario Executivo da Secretaria Especial de Portos da Presidência da República (SEP/PR), Dr. Eduardo Xavier, a FNP e os Sindicatos filiados que estiveram em Brasília foram informados que será montado um cronograma de reuniões com a participação de representantes da categoria.
Anteriormente a intenção da SEP, ouvidas somente as empresas e as chefias da Guarda Portuária, era a de publicar ainda no mês de Dezembro, uma Portaria possibilitando a terceirização de parte das atividades da corporação. Porém, após intervenção da FNP e dos Sindicatos, em reunião realizada no dia 19 de Novembro, o quadro mudou radicalmente. 
Já no dia 20 de dezembro, em reunião com o Ministro, a FNP foi notificada de que a Portaria regulamentando a Guarda Portuária não seria publicada enquanto os representantes da categoria não fossem ouvidos e o tema bastante debatido.
A SEP-PR deverá apresentar à FNP um cronograma de trabalho para discussão com uma comissão a ser indicada pela FNP. Este grupo, após formado, deverá apresentar resultados em 60 a 90 dias e que as melhorias para a Guarda Portuária serão buscadas e implementadas. 
A intenção da SEP é publicar a Portaria ainda no primeiro semestre, no entanto, somente após uma ampla discussão com as partes envolvidas.
Estas novas discussões contarão com a participação de representantes das Autoridades Portuárias, da CONPORTOS e do CONAPORTOS.
Cobrança de melhorias e investimentos
Jorcy de Oliveira Filho, Diretor de Relações Institucionais do SINDGUAPOR-ES, reiterou a necessidade de melhorias das condições gerais de trabalho, cursos de capacitação, novos armamentos e a realização de concursos para substituir os terceirizados da Guarda Portuária de todo o País.  
Ele entregou ao Secretário Executivo uma cópia da Lei 10.935, de 12 de agosto de 2004, através da qual o Governo Federal abriu crédito extraordinário aos orçamentos fiscal e de investimento da União em favor dos Ministérios da Justiça, dos Transportes e da Defesa para os fins de implantação dos NEPOMS e dos Sistemas de Segurança Portuária nas Companhias Docas para atender às exigências do ISPS-CODE, investindo através desta Lei, na Segurança Portuária para atender às exigências de um tratado internacional do qual o País é signatário.
No entanto, o Governo se esqueceu de que todo investimento exige custeio e que hoje tanto o Governo Federal quanto as Companhias Docas não querem custear o funcionamento adequado da Guarda Portuária.
Participaram da reunião na SEP, Edurado Lirio Guterra (Federação Nacional dos Portuários), Ernani Pereira Pinto (Sindicato Unificado da Orla Portuária – SUPORT/ES), Sérgio Magalhães Giannetto (Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro – STSPPERJ), Jorcy de Oliveira Filho (Sindicato da Guarda Portuária no Estado do Espírito Santo – SNGUAPOR-ES), Domingos Valdenir de Sousa Barbosa (Sindicato Unificado Dos Trabalhadores Nos Serviços Portuários do Estado Da Bahia – SUPORT/BA), Eduardo Xavier SEP), Martinho Candido Veloso dos Santos (SEP) e Antonio Maurício Ferreira Netto (SEP).











Um comentário:

  1. TOMARA REALMENTE QUE A CATEGORIA SEJA OUVIDA..VAMOS AGUARDAR AQUI EM BELÉM, PARA VER SE VEM ALGUÉM NOS OUVIR.

    ATT

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES