Postagem em destaque

LADRÃO DETIDO É ENCAMINHADO PELA GUARDA PORTUÁRIA AO DISTRITO

O filho da vítima, também caminhoneiro, com a ajuda de outros colegas, conseguiu deter o suspeito antes da chegada da Guarda Portuária...

sexta-feira, 25 de julho de 2014

0

VEREADOR QUESTIONA SISTEMA DE SEGURANÇA DO PORTO DE SANTOS


Na opinião de Banha, a intervenção do Ministério Público levará a Codesp a corrigir erros de segurança (Foto: Matheus Tagé/DL)

O vereador Antônio Carlos Banha Joaquim (PMDB) questiona a eficiência do sistema de segurança do Porto de Santos, baseado na demora do resgate dos trabalhadores que morreram, no último dia 10, quando o carro em que estavam, a serviço da Codesp, caiu no Canal do Estuário, no Saboó, em Santos. O parlamentar enviou representação ao Ministério Público Federal para apuração do acidente.
A Codesp afirma que o veículo Gol caiu no mar às 2h55 do dia 10. No entanto, somente foi detectada a ausência dos profissionais no horário que deveriam estar retornando à garagem da estatal, por volta das 7h30 daquele mesmo dia. Na opinião de Banha, é inaceitável a demora na constatação do acidente, tendo em vista que toda a faixa do cais santista é monitorada por câmeras durante 24 horas.
O vereador questiona o sistema de segurança do Porto de Santos, que deve seguir as regras estabelecidas pelo Código Internacional para Segurança de Navios e Instalações Portuárias (ISPS Code, na sigla em inglês). Trata-se de uma norma internacional de segurança para controle de acessos e monitoramento.
As medidas de segurança foram impostas depois dos atentados de 11 de setembro em Nova York. Por exigência dos Estados Unidos, todos os portos do mundo tiveram que adotar medidas especiais de segurança mais rígidas. “O que se espera com essa representação é que as mortes desses dois trabalhadores não sejam em vão. A intervenção do Ministério Público certamente levará a Codesp a corrigir os inúmeros erros de segurança e prevenção de acidentes que ficaram patentes no ocorrido”, diz o vereador.
Além da demora no socorro às vítimas, Banha também questiona a falta de sinalizações e alertas de segurança no cais santista. Segundo o vereador, o vídeo das câmeras de monitoramento mostra que o local estava muito escuro na hora do acidente, sem faixas ou placas de sinalização.
O acidente
O técnico de fiscalização da Codesp Raul Serafim Campos e o motorista da prestadora de serviços Vila Rica Claudio Xavier dos Santos foram as vítimas do acidente que ocorreu no cais santista. Os corpos e o carro foram encontrados e retirados do mar pelo Corpo de Bombeiros no final da manhã do dia 10 de julho.
De acordo com a Codesp, os trabalhadores saíram da garagem para serviços de fiscalização cerca de 25 minutos antes do acidente. O Gol ocupado pelos dois homens caiu no Canal do Estuário, no Saboó, às 2h55.
Imagens do sistema de monitoramento da estatal, que mostram o momento da queda do automóvel, estão sendo analisadas no inquérito da Polícia Civil.
Codesp

Procurada pelo Diário do Litoral, a Codesp se posicionou a respeito das denúncias do vereador Antônio Carlos Banha apenas dizendo que “os fatos estão sob análise na Codesp e também da Polícia Civil”.

Fonte: Diário do Litoral







Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES