Postagem em destaque

LADRÃO DETIDO É ENCAMINHADO PELA GUARDA PORTUÁRIA AO DISTRITO

O filho da vítima, também caminhoneiro, com a ajuda de outros colegas, conseguiu deter o suspeito antes da chegada da Guarda Portuária...

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

6

GUARDAS PORTUÁRIOS APROVADOS EM CONCURSO NO PARÁ FAZEM PROTESTO




A Associação dos Concursados do Pará (Asconpa) realizou na manhã da última quinta-feira (21), uma passeata de protesto para denunciar a demora nas nomeações de cerca de três mil aprovados em concursos públicos promovidos por diversos órgãos das administrações públicas federal, estadual e municipais.
A passeata teve início em frente à Companhia Docas do Pará (CDP), na Avenida Presidente Vargas, centro de Belém, seguindo até o Ministério Público do Estado, na Avenida 16 de novembro. No local, os concursados protocolaram um pedido de investigação contra o Governo do Estado do Pará, a Prefeitura de Belém e a Companhia Docas do Pará (CDP), em virtude da demora nas nomeações, e denunciaram contratações irregulares de servidores temporários e comissionados.
A realização do ato foi decidida durante assembleia geral promovida pela Associação dos Concursados do Pará (Asconpa), no último sábado (16).
Os candidatos aprovados em cargos administrativos e da Guarda Portuária no concurso da CDP também tentaram marcar uma reunião com o dirigente da instituição, Ernesto Sanchez Ruiz, mas não foram atendidos pelo gestor.
O presidente da CDP teria proposto que os manifestantes se reunissem com um diretor financeiro do órgão, mas eles recusaram a proposta.
A Associação denuncia a demora na nomeação de aproximadamente três mil aprovados em concursos públicos de instituições da administração federal, estadual e municipal. Eles também denunciam contratações irregulares de servidores temporários e terceirizados

A manifestação reuniu aprovados em concursos públicos promovidos pela: Sespa, Seduc, Seas, Semma, Semec, Sesan Secon, Ipamb, Funbosque, Funpapa, Semob, CDP, câmaras municipais de Belém e Ananindeua, prefeituras de Salinópolis, Castanhal e Vigia.





6 comentários:

  1. O Diretor Financeiro da CDP Olívio Gomes quer cortar a todo custo despesas na empresa, independentemente se as famílias dos funcionários estão sendo prejudicadas. Ele quer mostrar serviço para tentar se manter no cargo já que ele é um dos caciques do PSB no Pará que está aliado ao Governo do Estado que é do PSDB. Ainda mais que seu padrinho político que lhe colocou nessa diretoria da CDP foi o presidente regional do PSB Ademir Andrade que já saiu algemado da CDP, quando foi presidente desta, por fraudes em licitações, foi preso e condenado a devolver a CDP mais de $ 1.000.000,00 de reais, o processo corre na Justiça Federal. Então Sr. Olívio, assuma que é Aliado a mais de 10 anos de um partido que é oposição ao governo do PT. Pare de ficar se escondendo e fingindo que não é do PSB, mostre quem você é, mostre que está contra o Governo da Dilma e apoiando o Ademir Andrade para Deputado Federal. Seja honesto, diga a verdad,e já que diz pra todo mundo que é evangélico.

    Empregados da CDP

    ResponderExcluir
  2. Segundo comentários da beira do cais a diretoria da CDP orientada pelo Gerseg e Sspbel não vão nem chamar os oito que ainda faltam para completar os 16 que tem direito as vagas através desse concurso. Alegam que os salários estão muito elevados e querem conter gastos, preferindo manter os vigilantes, segundo eles, porque trabalham mais, melhor e são mais baratos. O Gerseg já afirmou para os guardas que de madrugada se ele for no porto de Belém não encontrará todos os guardas de serviço no portão 17, pois diz que só fica um guarda nessas horas, inclusive já apresentou até relatório para a diretoria da CDP que atesta essa informação. com gravação em do monitoramento e tudo para os diretores.

    GUARDAS PORTUÁRIOS

    ResponderExcluir
  3. O EDITAL DO ULTIMO CONCURSO FOI MAL PLANEJADO. A DEMANDA CERTA DE GUARDAS PORTUARIOS DEVERIA SER PARA A CDP E NÃO SÓ PARA O PVC E STM. TODOS OS PORTOS, DIGO, BELÉM, OUTEIRO, MIRAMAR, PVC E STM (AINDA TEM ITAITUBA) ESTÃO COM SEUS EFETIVOS REDUZIDÍSSIMOS. ASSIM, A DEMANDA CERTA ERA VER A NECESSIDADE DA GP DA CDP, PARA DEPOIS DISTRIBUIR PARA OS PORTOS CONFORME A NECESSIDADE. COMO FOI EM 2006, QUANDO FORAM 56 CONTRATADOS, SENDO 4 INSPETORES, QUE DEPOIS FORAM LOTADOS EM TODOS OS PORTOS CITADOS. EM 1997 FOI DIFERENTE POIS DOS 36 CONTRATADOS, SENDO 8 INSPETORES, TODOS FORAM PARA BELÉM E MIRAMAR, JÁ QUE OUTEIRO NA ÉPOCA NÃO TINHA GUARDAS PORTUÁRIOS ATUANDO. ESSE FOI O ERRO DO EDITAL.

    ASSINA: CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  4. Aí na cdp, os verdadeiros e dignos empregados, só conquistam lutando. O resto é só na base da bajulação e puxasaquismo.

    concursados

    ResponderExcluir
  5. Companheiro Cileno Borges, vc está ligeiramente equivocado, pois a CDP sequer deveria ter feito concurso para inspetor, mas como alguns temiam que "antigões" assumissem por progressão funcional aos cargos de inspetor e rondantes, previstos no Plano Unificado de Carreira (PUCS) que ainda está em vigor, preferiram realização de concurso para inspetor. Só que o egoísmo foi um tiro que saiu pela culatra, bem na cara dos que pretenderam se dar bem no concurso da CESPE UNB. Se deram mal, só passaram no concurso pessoas realmente capacitadas, pois foi feito uma avaliação dentro de diversas áreas do conhecimento jurídico que é a bola da vez. Não existe capacitação para o desempenho de funções públicas que não esteja estritamente dependente de uma formação jurídica, pelo menos básica, para que não cometamos abusos ou improbidades. Afinal a administração pública está CONDICIONADA ao cumprimento da lei e aos parâmetros constitucionais que os inspetores conhecem muito bem, já que todos participaram do teste e foram provados dentre os mais capacitados. Agora a guarda portuária tem que lutar pelo reenquadramento funcional dos antigos empregados e promove-los a inspetor e rondante, conforme previsão no plano unificado de carreiras. Não é uma utopia, já que no porto do rio foram promovidos 80 (oitenta) guardas, por ordem da diretoria da autoridade portuária local. Um grande exemplo de justiça e de gestão, já que seria inevitável o enfrentamento desta crise institucional. Deve este exemplo ser seguido por todos os portos que ainda não cumpriram com as atualizações funcionais previstas no plano unificado de carreira.
    Inspetor Samuel Castelo. GP do Pará.

    ResponderExcluir
  6. É SEMPRE IMPORTANTE TER COMENTÁRIOS COMO OS AQUI TRAZIDOS PELO INSPETOR SAMUEL, TENDO EM VISTA O ENFOQUE JURÍDICO QUE SE FAZ NECESSARIO PARA DETERMINADOS ASSUNTOS.

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES