Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA APREENDE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS

O contêiner onde a droga estava escondida tinha como destino o Porto de Algeciras, na Espanha. Dois elementos foram presos em flagrant...

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

4

CDP FIRMA CONTRATO MILIONÁRIO COM EMPRESA DE VIGILÂNCIA



Sede da Companhia Docas do Pará (CDP)

A Companhia Docas do Pará (CDP), assinou no dia 30 de junho, o aditamento do contrato que mantém com a empresa Vidicon Serviços de Vigilância Ltda., prorrogando por mais 12 (doze) meses e reajustando o valor para R$ R$ 6.248.161,60.
O termo aditivo do contrato foi assinado por Jorge Ernesto Sanchez Ruiz, antes de ser substituído, em 30 de julho, do cargo de presidente da CDP e pelo Diretor Administrativo Olívio Antônio Palheta.
Este ato do ex-presidente contraria as portarias 121/09 e 350/14 da Secretaria Especial de Portos da Presidência da República (SEP/PR), que vedam a terceirização da Guarda Portuária.
Jorge Ruiz contrariou o Termo de Ajuste de Conduta firmado entre CDP e MPT em maio de 2006 para que a CDP se abstivesse da mão de obra contratada, além de acordo referente à Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Estado (MPE), que determinou a imediata contratação de todos os concursados de 2012 e a cessação imediata da contratação de novos vigilantes.
Postos desguarnecidos
A CDP tem deixado postos desguarnecidos e portões fechados diuturnamente, com uma escala diária reduzida e com postos internos ainda terceirizados, preferindo, vejam bem, firmar um contrato de mais de seis milhões com empresa de vigilância ao invés de promover concurso ou mesmo chamar guardas para serviços extras, em caráter emergencial, para preencher os postos que se encontram descobertos, com a mão de obra legal, que neste deva atuar.
Multa
Segundo o juiz Amílcar Guimarães, do Tribunal de Justiça do estado do Pará, foi constatado, através de inquérito civil; do Termo de Ajuste da Conduta firmado com o MPT; da fiscalização da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ); e da Superintendência Regional do Trabalho do Pará (SRTE/PA), o descumprimento do referido TAC e de normas constitucionais, em especial a ilegal terceirização da atividade-fim da CDP referente à Guarda Portuária.
Cita o juiz ainda que, o descumprimento dos acordos poderá implicar na imposição de multa, na pessoa do Presidente da CDP, equivalente a R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).
Concursados reagem
Empregados da CDP e aprovados no último concurso, ao tomarem conhecimento da assinatura desse contrato mantiveram uma audiência com uma Procuradora do MPT e com uma Promotora do MPE.
Na audiência a procuradora do MPT afirmou que os vigilantes terceirizados vão ter que sair dos postos da CDP, por mais que isso possa demorar um pouco, mas vão sair, provavelmente até dezembro desse ano isso deva acontecer.
Ao tomar conhecimento do aditamento desse contrato com a empresa Vidicon, no valor de mais de seis milhões de reais, ela se declarou surpresa, e na visão dela, esse contrato deve ser cancelado.
Sindicato
A categoria aguarda uma manifestação do Sindicato da Guarda Portuária, que apesar de se declarar estar ao lado da categoria e dos candidatos aprovados no último concurso, oficialmente ainda não se manifestou sobre esse novo contrato e, tampouco, tem se manifestado quanto à precariedade no serviço, mesmo a sede do Sindiguapor sendo ao lado do portão 17 do Porto de Belém, posto onde essa precariedade é mais acentuada.

Alguns guardas portuários manifestaram o desejo de que a Federação Nacional dos Portuários (FNP), diante da inércia do sindicato local, assuma a frente dessa luta, assim como foi feito no Porto do Itaqui, no Maranhão.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

4 comentários:

  1. PURA E DESCARADA IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. SINDICATOS. DEBALDE

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  2. PURO CABIDE DE EMPREGOS

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  3. ESSES CONTRATOS MILIONARIOS SE ARRASTAM POR DECADAS. SE FOR CONTABILIZADO O QUE JA SE GASTOU INDEVIDAMENTE, QUANTOS CONCURSOS JA NAO TERIAM SIDO REALIZADOS. AGORA CENTENAS DE VIGILANTES DEMITIDOS INDO CONTRA A CDP NA JUSTIÇA, PEDINDO EQUIPARAÇAO SALARIAL.

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  4. PORQUE SERÁ QUE O TAL DE JORGE RUIZ , ASSINOU ESSE CONTRATO NO APAGAR DAS LUZES ?
    ESSES TERMOS DE AJUSTE DE CONDUTA NÃO ESTÃO SURTINDO O EFEITO DE INIBIR CONDUTAS
    COMO ESSA, QUE SÃO BASTANTE SUSPEITAS . O CAMARADA ESTA PARA SAIR DA PRESIDENCIA
    DA COMPANHIA E VEM COM UM CONTRATO DESSE, CONTRARIANDO O JÁ AJUSTADO ENTRE AS
    PARTES. JÁ ESCREVI NESSE ESPAÇO QUE ENQUANTO ESSES ELEMENTOS NÃO FOREM RESPONSA-
    BILIZADOS , SEJA CRIMINAL E CIVILMENTE NÃO ADIANTA . ELES LARGAM O PROBLEMA PARA A EM-
    PREZA PÚBLICA .
    GP ALEXANDRE - ES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES