Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

terça-feira, 21 de junho de 2016

0

CODESP ALTERA PROCEDIMENTOS PARA SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO ÀS EMBARCAÇÕES




Mudanças visam melhoria nas ações preventivas de segurança e proteção ao meio ambiente
A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) efetuou duas alterações nos procedimentos para serviços de abastecimento de combustível e fornecimento de óleos lubrificantes às embarcações, através da Resolução nº 126, de 20 de maio deste ano.  A nova norma altera e substitui a Resolução DP nº 36, de 14 de fevereiro de 2014, que regulava os referidos procedimentos.
Uma das mudanças está contemplada no item 2 da nova norma e refere ao cerco preventivo nos arredores das embarcações com barreiras de contenção. A Resolução 36/2014 estabelecia que as barreiras deveriam ser colocadas somente quando as operações ocorressem no período noturno. Já a Resolução 126 amplia essa obrigatoriedade para todas as operações, independente de horário.
A segunda alteração foi feita através do item 4, que substitui o termo “cargas explosivas” por “mercadorias perigosas de classe 1 – explosivos e de classe 5 – substâncias oxidantes”, tendo em vista que o termo anterior não incluía a simultaneidade das operações de embarque e desembarque de fertilizantes, como o Nitrato de Amônio e Nitrato de Potássio, que se tornam explosivos quando interagem com óleos minerais. A probabilidade de ocorrência dessa interação não pode ser descartada em caso de acidentes de derrames durante o abastecimento das embarcações que transportam esses produtos a granel.
A primeira ação visa a diminuição do tempo de resposta e a área de influência do acidente, evitando que o óleo atinja áreas sensíveis sob o aspecto ambiental, facilitando o seu recolhimento e evitando a interrupção do tráfego marítimo, que pode ocorrer mesmo em casos de derramamento de pequenos volumes em relação a capacidade dos atuais equipamentos de transferência de óleos e combustíveis e de tancagem das embarcações. Já a segunda mudança é de caráter preventivo e diminui a probabilidade de ocorrência de reações perigosas entre o produto operado e o óleo eventualmente derramado.
As alterações foram motivadas pela necessidade de melhorias nas ações preventivas de segurança e proteção ao meio ambiente, tendo em vista análise dos riscos oriundos dessas operações e de alguns incidentes ocorridos no Porto de Santos e em outros portos.
A íntegra da Resolução 126/2016 pode ser acessada através do link:http://www.portodesantos.com.
br/pdf/RES-126-2016.pdf

Fonte: AssCom Codesp / Sindaport

* Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                                                                               
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                                                 
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES