Postagem em destaque

ANGPB BUSCA TREINAMENTOS PARA A GUARA PORTUÁRIA JUNTO AO SIPRON

A reunião teve o objetivo de apresentar as dificuldades da Guarda Portuária na segurança dos produtos de Classe 7 (materiais radioativo...

quarta-feira, 27 de junho de 2018

0

DELEGADO DA POLÍCIA FEDERAL QUER AMPLIAR COMBATE AO TRÁFICO E À CORRUPÇÃO



O novo titular da Delegacia da Polícia Federal em Santos, Gilberto de Castro Júnior, apesar de atuar na função desde o mês passado, tomou posse no dia 6 de junho

Intensificar as ações de repressão ao tráfico internacional de drogas no Porto de Santos e comandar investigações de escândalos de corrupção na região estão entre as prioridades do novo delegado-chefe da Polícia Federal (PF) em Santos, Gilberto Antônio de Castro Júnior. Apesar de atuar na função desde o mês passado, tomou posse no dia 6 de junho, em cerimônia no Teatro Coliseu, em Santos.
O novo delegado de Santos tem 43 anos e iniciou a carreira em Mato Grosso do Sul (MS), em 2003.
Desde então, atuou na Superintendência Regional da PF no Paraná, no Aeroporto Internacional de Guarulhos e também em São Sebastião, no Litoral Norte.
Castro Júnior substitui o delegado Júlio César Baida Filho, que foi chefe da PF por cinco anos. Agora, o antecessor atua como coordenador-geral de Repressão a Drogas e Facções Criminosas da corporação, em Brasília.
"A PF atua no combate a um rol de crimes muito extenso, além das atividades administrativas. Combater o tráfico internacional de drogas é um dos principais. Apenas neste ano, foram 6 toneladas apreendidas de cocaína. Todas as atividades são feitas em conjunto com a Receita Federal e demais órgãos. Essa integração já existia e será mantida”, destacou o novo delegado-chefe.
Segundo ele, entre suas metas, está a desmistificação de que combater os embarques de drogas pelo cais santista é uma atividade que privilegia outros países. “Acontece que o lucro desse tráfico internacional é recebido pelas organizações criminosas nacionais que estão aqui e elas acabam contribuindo para inúmeros outros crimes de natureza violenta”.
Para o superintendente da PF em São Paulo, Disney Rosseti, atuar na repressão ao tráfico de drogas e na segurança do Porto é o maior desafio de Castro Júnior à frente da delegacia de Santos. Além disso, outra questão importante a ser observada é a manutenção do nível de eficiência obtido pela corporação nos últimos anos.
“Nós sabemos que o Porto é complexo, assim como toda a atividade portuária. E a segurança é um item fundamental para essa atividade. Não somente no transporte da cargas mas também em relação a crimes que possam ocorrer ou não no Porto de Santos”, destacou Rosseti.
Além do combate ao tráfico, Castro Júnior destaca a forte atuação da delegacia da PF em Santos nas investigações de crimes de corrupção. Ultimamente, muitos desses casos envolvem escândalos no Porto, como suspeitas de favorecimentos a empresas portuárias.
“(Atuamos como) apoio, dependendo muito do alvo, da implicação nacional. Muitas vezes você inicia uma operação, como ocorreu na Prato Feito (que apurou fraudes em licitações de merenda escolar, uniformes, material didático e outros serviços na área de educação) em determinado município, mas percebe que o grupo criminoso estendeu seus tentáculos a diversos outros municípios. Nesse momento, nós demos apenas o apoio”, destacou Castro Júnior.
Batismo de fogo
O primeiro grande desafio do delegado-chefe em Santos foi a solução do conflito com caminhoneiros, que bloquearam, por 10 dias, os acessos ao Porto, durante a greve nacional da categoria iniciada no último dia 21 de maio. Para Rosseti, esse foi o “batismo de fogo” de Castro Júnior.
“Passamos por situações extraordinárias nos últimos dias. Acredito que tenhamos passado com louvor porque resolvemos (o conflito) de forma pacífica. Lógico que é sempre desejável que se solucionem todas as questões com a maior rapidez, mas foi a rapidez possível diante de um quadro nacional”, destacou o novo delegado.
Para Baida, que disse ter ficado feliz com a indicação de Castro Júnior ao cargo, a solução deste primeiro conflito foi um reflexo do bom trabalho já desempenhado pelo delegado em outras funções. Ao deixar o cargo, ele agradeceu a sua equipe e pediu empenho do novo delegado ao projeto de uma nova sede da PF na Cidade.
“Foram cinco anos de muito aprendizado em todas as áreas de polícia judiciária e administrativa. É o maior porto da América Latina, nas áreas de segurança portuária, tráfico de drogas, além de todas as atividades que se entendem por 24 municípios, da Baixada Santista, ao litoral Sul e Vale do Ribeira”, disse.


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                          

                   COMENTÁRIOS                             
Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES