Postagem em destaque

TERRORISMO PSICOLÓGICO NO PORTO DE SANTOS

Guardas portuários foram obrigados a dobrar a sua jornada de trabalho. No dia 27 de outubro, vários guardas portuários foram obrigado...

LEGISLAÇÕES

segunda-feira, 1 de abril de 2019

0

PASSAGEIROS DO NAVIO COSTA FAVOLOSA SÃO FLAGRADOS COM 306 KG DE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS



10 brasileiros, três franceses e três belgas, sendo oito mulheres e oito homens, todos menores de 30 anos
Na última quarta-feira (27), foram apreendidos 306 kg de cocaína, distribuídos na bagagem de 16 passageiros do navio Costa Favolosa, que fazia sua última escala no Porto de Santos da temporada brasileira de cruzeiros e iniciava a viagem de travessia do Oceano Atlântico.
A droga foi localizada já á bordo pelos agentes de segurança do navio por meio de escâneres, depois que os passageiros envolvidos já tinham despachado as malas e passado pela segurança do terminal. Em cada bagagem havia entre 16 e 17 tabletes de cocaína no estado mais puro da droga.

Foto: G1 Santos
A Polícia Federal foi notificada e após a identificação dos proprietários das malas, 10 brasileiros, três franceses e três belgas, sendo oito mulheres e oito homens, todos menores de 30 anos, eles foram localizados pelos funcionários, por agentes federais, e por guardas portuários, sendo então desembarcados e conduzidos à delegacia da Polícia Federal, localizada dentro do próprio terminal de passageiros.
Depois de ouvidos pelas autoridades, os passageiros foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória da região para aguardar audiência de custódia na Justiça Federal. Segundo a Polícia Federal, o destino da droga era a Europa, uma vez que o navio tem escalas finais previstas na Espanha e na Itália.
Mulas
A suspeita inicial é que traficantes tenham utilizado os passageiros como "mulas", uma vez que cada preso também estava com quantia igual ou superior a U$ 1 mil. O valor seria uma espécie de adiantamento pelo "trabalho" de transporte do entorpecente.
O inquérito aberto pela Polícia Federal visa identificar se os passageiros presos, que também não tinham passagem criminal, foram usados por traficantes ou se juntos integram uma organização criminosa. Entre eles, havia casais e pessoas que aparentemente se relacionavam, mas ainda não se pode afirmar que todos realmente se conheciam.
CESPORTOS
A Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos (Cesportos), que além da Polícia Federal, que coordena a comissão, conta com representantes das autoridades marítima, alfandegária e portuária notificou a empresa Concais, responsável pela administração do terminal de passageiros Giusfredo Santini, para além de apresentar o Relatório de Ocorrência de Incidente de Proteção (ROIP), explicar o porquê de escâneres da instalação não detectarem os 306 kg de cocaína em bagagens despachadas.
Receita Federal
A Alfândega da Receita Federal do Porto de Santos informou que a operação e manutenção dos escâneres são de responsabilidade do terminal, no entanto, não informou se algum servidor acompanhava a fiscalização das bagagens.
Guarda Portuária
A Guarda Portuária as operações envolvendo a ação dos cães farejadores do seu canil só ocorre através de solicitação da Polícia Federal ou da autoridade alfandegária, e que durante a escala do navio com os passageiros presos em Santos não utilizou os cães de faro da corporação, que poderiam ter detectado a presença do entorpecente.

Foto: G1 Santos
Investigação
As investigações da Polícia Federal visam agora descobrir quais as reais circunstâncias do embarque da droga, também quer entender a participação e o envolvimento de cada preso com o narcotráfico internacional. Entre os investigados estão 10 brasileiros, três franceses e três belgas. Entre eles, havia casais e pessoas que aparentemente se relacionavam, mas ainda não se pode afirmar que todos realmente se conheciam.
Como os passageiros presos não tinham passagem criminal, a Polícia Federal que descobrir se  foram usados por traficantes ou se juntos integram uma organização criminosa. Até o momento não há informações sobre eventual envolvimento de tripulantes do navio ou de funcionários da instalação na tentativa de ação de tráfico internacional.
Prisão Preventiva
Na sexta-feira (29), em audiência de custódia, juiz substituto Décio Gabriel Giminez, da 6ª Vara Federal de Santos, converteu em preventiva (por tempo indeterminado) a prisão dos 16 passageiros.  Ele não acatou o pedido de liberdade provisória solicitado pelas defesas por considerar que as provas do crime eram claras,
Seguem presos as oito mulheres e os oito homens, sendo dez brasileiros e seis estrangeiros.
Brasileiros:
Catrynne Bida Izidoro
Paula Nicole Brizola dos Santos
Eduarda dos Santos de Souza
Odara Niagara Cardoso
Luma Cunha Lopes
Amanda Pimentel Garcia
Priscila Ariadne Marinho de lima
Cassiano Murillo Gonçalves do Livramento
Mateus Volf de Castro
Allyson Sales de Castro
Estrangeiros:
Amira Mama Halima Benramdane (francesa)
Mohamed Amine Jeddy (francês)
Michel Sebastien Pulisciano (francês)
Morad El Arrass (belga)
Adan Abdedrkim Dehmani (belga)
Giuliano Luigi Cuculo (belga)
Alegação da defesa
A advogada Karina Rodrigues de Andrade, das sete brasileiras, todas de Curitiba(PR), alegou que elas foram vítimas de um golpe e que não sabiam que estavam transportando drogas. “Elas aceitaram uma oferta para trabalhar na Europa por três meses e, ao chegar em Santos, receberam malas para levar à viagem”, disse a advogada.
Após a audiência, a francesa foi encaminhada a um hospital da região para exames, pois alegou à justiça que tinha problemas de saúde. Os demais foram encaminhados respectivamente para as alas feminina e masculina para a penitenciária de São Vicente, onde devem permanecer presos durante as próximas etapas do processo.
O defensor público federal Cristiano dos Santos de Messias disse que em um primeiro momento vai representar os estrangeiros e que prestará assistência necessária. "Nós vamos informar os [respectivos] consulados para informar as condições pessoais deles e assim tomar alguma medida cabível", declarou à imprensa na porta do fórum.
Não é a primeira vez
Entre 2003 e 2005, a Receita Federal registrou três ocorrências semelhantes, que resultaram na apreensão de 100 kg de cocaína em cada e na prisão de argentinos.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                           
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.