Postagem em destaque

CDRJ INAUGURA MODERNA ESTRUTURA DE SEGURANÇA NO PORTO DO RIO DE JANEIRO

O sistema de monitoramento conta com mais de 150 câmeras, cancelas, catracas, rádios, radares de segurança perimetral, drones, sistemas...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 9 de maio de 2019

0

IBAMA ACHA CEBOLAS PODRES E TONÉIS QUÍMICOS EM CARGAS ABANDONADAS NO PORTO DE SANTOS



Operação especial da autoridade ambiental e da Receita Federal vistoria carregamentos “esquecidos” no cais santista, o principal do país
Contêineres com cebolas podres, tonéis químicos e brinquedos falsificados com baterias vencidas estão entre os carregamentos encontrados por agentes ambientais federais durante operação deflagrada no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. A ação especial visa fiscalizar cargas de importação, principalmente as que foram abandonadas.

A operação Relíqua (o resto, em latim) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ocorre em parceria com a Receita Federal, pela Alfândega. Foram deslocados ao cais santista servidores dos portos do sul do país e também dos aeroportos internacionais de São Paulo e de Campinas.
São alvos da fiscalização cinco terminais portuários e armazéns sob responsabilidade da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a autoridade portuária. O objetivo é localizar e vistoriar cargas importadas que foram abandonadas ou retidas, e que eventualmente podem ocasionar riscos ao ambiente e à saúde das pessoas.

A deflagração ocorreu na segunda-feira (6), mas foi mantida em sigilo até esta quinta-feira (9). Preliminarmente, os agentes já localizaram em terminais distintos carregamento de cebolas podres e outro com itens falsificados, cujas pilhas e baterias estavam vencidas. Todos os produtos estão armazenados em contêineres deixados no cais.
"Queremos identificar essas cargas e fazer com que elas tenham a destinação correta para, assim, poder evitar qualquer dano que possam ocasionar", explica a agente ambiental federal Ana Angélica Alabarce, chefe do Ibama em Santos. Foi a unidade do município que coordenou e planejou a operação junto ao Fisco nos últimos meses.
Por se tratar de importação, as autoridades ambiental e fiscal podem obrigar a devolução dos contêineres à origem, após constatada irregularidade. "O problema é que muitas delas foram literalmente abandonadas e não há mais um responsável. Os riscos são diversos, por isso é preciso encaminhá-las para a destinação final", diz Ana Angélica.
Até a noite de quarta-feira (8), também já tinham sido localizados tonéis, embalagens com produtos de beleza, óleos diversos e tiras secas de bambu. Os carregamentos são procedentes, principalmente, dos países asiáticos. Os responsáveis poderão ser responsabilizados por crime ambiental e devem receber sanções.

A Receita Federal auxilia no mapeamento dessas cargas, assim como a localização delas no porto. A previsão é que essa operação especial ocorra até o fim desta semana, quando o Ibama deverá apresentar um balanço final sobre as cargas encontradas, os riscos identificados para cada uma e as eventuais penalidades aplicadas aos responsáveis.
Fonte: G1 Santos


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.