Postagem em destaque

TERRORISMO PSICOLÓGICO NO PORTO DE SANTOS

Guardas portuários foram obrigados a dobrar a sua jornada de trabalho. No dia 27 de outubro, vários guardas portuários foram obrigado...

LEGISLAÇÕES

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

0

NAVIO CHINÊS SUBMERGE PARA RECEBER EMBARCAÇÃO AVARIADA



Manobra inédita ocorreu no Canal entre São Sebastião e Ilhabela e foi coordenada pela Praticagem.
Uma manobra inédita aconteceu na última semana, no Canal entre São Sebastião e Ilhabela. O navio submersível doca Xin Guang Hua, de Hong Kong, com 255 metros, afundou para depois emergir com outro navio menor em sua plataforma. A ação foi coordenada pela Praticagem do Estado de São Paulo entre terça (19) e quarta-feira (20).
A Marinha do Brasil acompanhou toda a operação, mas previamente já tinha sido constatado que não haveria nenhum risco ambiental.
A Guarda Portuária fez a segurança do perímetro na área da operação

A embarcação chegou na terça-feira (19) e logo foi posicionada com precisão em local específico, onde foi submergido parcialmente até uma a profundidade de 27 metros para receber em seu convés-plataforma o navio Chipol TaihuC, de 188 metros de comprimento.
O Chipol TaihuC estava com os sistemas de propulsão e de geração de energia avariados, tendo sido rebocado do porto do Rio Grande. As duas embarcações são da mesma operadora, a Cosco China.
A empresa resolveu montar esse esquema delicado para garantir que o navio e a carga, de aproximadamente 40 mil toneladas de toras de madeira, fossem levados em segurança para a China.
Operação
Toda a operação foi realizada pela Praticagem do Estado de São Paulo. O prático Hermes Bastos explica que o serviço começou com um levantamento batimétrico usando sonda multifeixe.
“(O procedimento) forneceu dados bastante detalhados das profundidades locais. Encontramos uma área bem grande, de 34 metros de profundidade, ideal para o que necessitavam. As condições meteorológicas também estavam favoráveis para a execução do trabalho”.
Segundo Hermes, o navio doca entrou na Barra Norte na manhã de terça-feira e foi fundeado pelos práticos com precisão. “Na quarta-feira, às 4 horas, começou a operação para submergir parcialmente o Xin Guang Hua, o que só terminou às 8 horas”.

Com parte do navio submersa e alinhada pelos rebocadores, às 6 da manhã o prático Flávio Peixoto começou o procedimento para embarcar o Chipol TaihuC, que era puxado por três rebocadores para dentro do Xin Guang Hua.
“Foram três horas e meia só para deslocar o navio avariado por cerca de 200 metros, tudo muito lentamente para evitar um acidente. A outra etapa seria trazer o navio doca novamente para a profundidade normal, de navegação, após receber a carga”, disse Bastos.
Ainda de acordo com Bastos, para emergir o navio Xin Guang Hua, os profissionais bombearam a água dos tanques de lastro para fora. “Fizeram isso até chegar ao nível de flutuabilidade necessária, com cerca de 11 metros de calado”.

Por fim, foram feitas as soldas das estruturas no convés de carga para apoiar o navio avariado com segurança. “Tudo para garantir estabilidade e sustentar a embarcação até a viagem à China”, complementou Bastos.


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      
                                                                                       
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.