Postagem em destaque

ENTIDADES REPRESENTATIVAS DA GUARDA PORTUÁRIA REPUDIAM FALA DE MINISTRO

O ministro disse que no Porto de Santos, alguns guardas portuários ganham 50 mil reais por mês. No início do mês passado, em palestra...

LEGISLAÇÕES

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

0

NA ÚLTIMA APREENSÃO DO ANO NO PORTO DE PARANAGUÁ RECEITA FEDERAL LOCALIZA 342 KG DE COCAÍNA



A droga teria como destino o Porto de Antuérpia, na Bélgica.
Em uma operação conjunta com a Polícia Federal realizada na manhã do dia 26 de dezembro, a Receita Federal apreendeu de 342 kg de cocaína no Porto de Paranaguá, no Paraná.
A droga estava em um contêiner de compensados de madeira que tinha como destino o Porto de Antuérpia na Bélgica.
O contêiner contaminado estava armazenado no 2º andar da pilha, o que significa que os traficantes tiveram que escalar outros contêineres para ter acesso ao contêiner alvo da contaminação. A droga foi localizada com a utilização do escâner, principal ferramenta de fiscalização da Receita Federal no porto.

A droga foi encaminhada para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba que dará o prosseguimento das investigações.
Essa é a 27ª apreensão de cocaína realizada pela Receita Federal no Porto de Paranaguá.
Receita Federal bate recorde de apreensões de cocaína no Porto de Paranaguá em 2019
As apreensões de cocaína realizadas pela Alfândega da Receita Federal no Porto de Paranaguá/PR alcançaram a marca de 15.238 toneladas no ano de 2019. O resultado é um recorde histórico para a unidade aduaneira, já que supera em 211% o montante apreendido em 2018, que foi de 4,89 toneladas.

Esse montante de 15,238 toneladas apreendidas pela equipe da Receita Federal no Porto de Paranaguá representa 26% do total de cocaína apreendida no Brasil, que foi de 57,15 toneladas.
Em 2019 foram realizadas, no total, 27 apreensões de cocaína no Porto de Paranaguá, sendo que todas teriam como destino a Europa, principalmente portos na Bélgica (13 apreensões) e na Holanda (07 apreensões).

Em 20 das 27 apreensões, as drogas foram inseridas em contêineres-alvos sem o conhecimento do exportador, no método conhecido como rip-on/rip-off. Em outras seis apreensões, o método utilizado foi o de ocultação, ou seja, a droga já chegou ao porto inserida no meio da carga, e em uma ocasião a droga foi encontrada abandonada no pátio do terminal portuário.
O incremento nas apreensões de cocaína está relacionado principalmente ao uso de recursos adequados, tais como os escâneres e os cães de faro, bem como investimento no aperfeiçoamento de técnicas de controle aduaneiro, gerenciamento de riscos, ações de inteligência, capacitação de servidores, integração entre as equipes da Receita Federal das Alfândegas de Portos em todo o país e a troca de informações entre a Aduana do Brasil com as Aduanas de diversos países.


A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      
                                                                                       
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.