Postagem em destaque

OPERAÇÃO ENVOLVENDO PF, RFB E GPORT APREENDE MAIS DE UMA TONELADA DE COCAÍNA NO PORTO DE SÃO SEBASTIÃO

  A troca de informações entre as autoridades envolvidas foi crucial para o sucesso da operação. Na tarde da última sexta-feira (02) uma o...

LEGISLAÇÕES

quarta-feira, 6 de maio de 2020

0

POLÍCIA CIVIL PRENDE PROCURADO POR TRÁFICO NO PORTO DE SANTOS DESDE 2014



Gilcimar de Abreu, o Poocker, foi encontrado em Pedro de Toledo, e chegou a apontar arma aos investigadores, segundo a polícia; um rapaz que atirou contra os policiais foi baleado na perna.
Foragido da Justiça Federal desde 2014 e acusado de envolvimento com o tráfico internacional de cocaína via Porto de Santos, Gilcimar de Abreu, o Poocker (também conhecido como Nego) foi capturado pela Polícia Civil na tarde do último sábado (02), em Pedro de Toledo, quando participava de uma festa de aniversário em uma chácara. Ele chegou a apontar um revólver aos investigadores, segundo a polícia. Um rapaz que estava com ele na entrada da casa, Lucas Estevam de Jesus, de 20 anos, atirou contra os policiais usando uma pistola e foi baleado na perna esquerda.
Lucas é acusado de ter atirado contra os mesmos policiais, da 2ª Delegacia (antiga Dise) da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) da Baixada em 6 de dezembro de 2019, no Morro da Nova Cintra, em Santos.
Para a ação na tarde de sábado, os policiais civis, sob o comando do delegado Rubens Eduardo Barazal Teixeira, titular da delegacia, e do investigador-chefe, Luiz Fonseca, obtiveram informações precisas sobre a presença de Poocker e Lucas na festa na chácara e para lá se deslocaram em viaturas descaracterizadas.
Por volta das 15h, os policiais surpreenderam os dois alvos da diligência, que estavam na entrada da casa e que logo sacaram suas armas de fogo. Ao contrário do comparsa, Poocker não realizou nenhum disparo.
Poocker, de 35 anos, estava foragido desde a época da deflagração das operações da Polícia Federal (PF) Hulk e Oversea, em 2014. Em março do ano seguinte, foi decretada a prisão preventiva dele pela 5ª Vara Federal de Santos. O endereço atual de Poocker fica no Morro da Nova Cintra, em Santos.
"Foi uma prisão importantíssima. É evidente que ele faz parte, já desde aquela investigação da Polícia Federal, de uma organização criminosa que movimenta o tráfico de drogas internacional através do Porto de Santos. Isso já foi comprovado. É um elemento que estava armado, o que demonstra que ele continua articulado na questão do crime", disse ao Diário do Litoral, o delegado Rubens Barazal.
Revólver apreendido com Poocker (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Cessada a troca de tiros, Lucas foi socorrido a um pronto-socorro, onde foi medicado, para depois ser conduzido à delegacia, em Santos. Na especializada, os dois presos nada quiseram declarar.
Barazal também destacou ao Diário a importância da prisão em flagrante de Lucas, que já tinha atirado contra os mesmos policiais em 2019.
"Vai agora ser responsabilizado criminalmente pela tentativa de homicídio contra os policiais e pela posse de arma de uso restrito", frisou o delegado.
Dois homens que estavam na confraternização também foram levados à delegacia e disseram que não têm envolvimento com o tráfico. Eles afirmaram que estavam no local pelo aniversariante, um homem que ainda não tinha chegado à chácara.
A 2ª Delegacia (antiga Dise), sob o comando de Barazal, conforme ele frisa, tem como principal foco de atuação o combate ao tráfico de média e grande escala.
Participaram da ação deste sábado os policiais Adriano, Marcelo, Lindolfo, Artur, Fábio, Joaquim e Maurício, bem como o delegado-assistente Leonardo José Piccirillo. 
Pandemia
Os trabalhos investigativos da 2ª Delegacia da Deic e de todo o Departamento de Polícia Judiciária do Interior-6 (Deinter-6) prosseguem em meio à pandemia do novo coronavírus seguindo os protocolos sanitários necessários, como uso de máscaras e higienização de viaturas.
"Os policiais estavam nessa investigação há um tempo. A atividade policial envolve determinadas escolhas. Se não fosse nessa oportunidade, muito certamente não haveria tão cedo outra com tanta clareza", disse Barazal.
O investigador-chefe, Luiz Fonseca, ressaltou ao Diário que a investigação durou cerca de três meses e demandou diligências em Santos e até viagens. "Diante da análise do perímetro da chácara, preparamos um cerco para evitar a fuga dos criminosos, com policiais pela frente e pelos fundos", afirmou.



Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      
                                                                                       
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.