Noticias e artigos em tudo que envolve a segurança nos portos do Brasil

Postagem em destaque

AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS PUBLICA EDITAL DE CONCURSO PARA A GUARDA PORTUÁRIA

As inscrições serão aceitas durante os dias 1º de abril a 06 de maio. A data prevista para a prova é 23 de junho A Autoridade Portuária de...

LEGISLAÇÕES

terça-feira, 28 de março de 2023

0

JUSTIÇA MANDA SOLTAR INVESTIGADOR - EX-PRESIDENTE DO SANTOS - E MAIS TRÊS POLICIAIS

Orlando Rollo, investigador da PC preso em operação do GAECO -Foto: Reprodução/TV Tribuna

Eles estavam presos preventivamente desde novembro, por investigação conduzida pela PF sobre tráfico internacional de drogas

Uma busca pessoal feita por agentes federais contra um advogado criminalista anula uma investigação conduzida pela Polícia Federal sobre tráfico internacional de drogas e coloca nas ruas quatro policiais civis presos sob a acusação de desviar 790 kg de cocaína de um narcotraficante.

Foram expedidos na sexta-feira (17) alvarás de soltura em favor dos investigadores Orlando Galante Rollo, 44 (ex-presidente do Santos F.C.); Joaquim Carlos de Freitas Bonorino Filho, 61, Marcelo Silva Paulo, 49, e Ricardo de Almeida Razões, 50.

Eles estavam presos preventivamente desde novembro do ano passado por decisão do juiz federal Roberto Lemos dos Santos Filho. A PF havia pedido a prisão dos quatro investigadores após analisar os telefones celulares apreendidos com o advogado João Manoel Armôa Júnior, 47, detido em agosto.

Segundo a PF, em um dos aparelhos havia mensagens de um policial negociando com o advogado R$ 4 milhões para devolver os 790 kg de droga apreendidos pelos investigadores com comparsas do narcotraficante Vinycius Soares da Costa, 33, o Evoque, cliente do criminalista.

Na última quarta-feira (15), a 5ª Turma do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região (juiz Walter Luiz Esteves de Azevedo) considerou ilegal a busca pessoal realizada pelos agentes contra Armôa, quando ele já estava nas dependências da delegacia da PF e os mandados de busca e apreensão já haviam sido cumpridos. A decisão anula as provas obtidas pela Polícia Federal após a apreensão dos dois celulares do advogado.

Os agentes federais tinham apurado que as negociações para o pagamento da propina aos policiais civis ocorreram dentro do 3ª DP de Santos e foram conduzidas por um policial civil que tinha um grupo no WhatsApp chamado "Todo lo peligro se covierte em plata".

A frase é atribuída ao megatraficante colombiano Pablo Escobar. Ele era chefe do cartel de Medellín e foi morto pela polícia em 2 de dezembro de 1993 naquela cidade. Na tradução do espanhol, o termo significa "todo perigo se converte em prata (dinheiro)".

A PF já tem suspeitas da identidade do "Peligro" brasileiro. As suspeições foram reforçadas após análises das imagens de câmeras de segurança do Porto de Santos, onde o contêiner com a droga foi aberto para ser periciado por técnicos do IC (Instituto de Criminalística), da Polícia Científica.

Os vídeos mostram um grupo de policiais civis acompanhando os trabalhos dos peritos do IC. Segundo as investigações, foi nesse momento que Orlando Rollo enviou um aúdio para o advogado Armôa, advogado de Evoque, o dono da cocaína desviada.

Armôa é acusado de ter intermediado as negociações entre o narcotraficante Evoque e os policiais civis acusados de desviar a droga e exigir propina. A PF acredita que foram pagos ao menos R$ 2 milhões. O narcotraficante está preso na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP).

"Peligro" articulou o acerto. Até hoje ninguém soube dizer onde foram parar os 790 kg de cocaína desviados. A informação que se tem é a de que a droga seria entregue no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, para integrantes da facção ADA (Amigo dos Amigos), aliada ao PCC (Primeiro Comando da Capital) da qual Evoque é apontado como integrante.

 Polícia exibe os 168 de cocaína oficialmente apreendidos – Foto: Polícia Civil/Deinter-

As polícias Civil e Federal procuram Tiago Lima Gregório, 36, motorista do caminhão que transportava a cocaína. Antes de serem presos, os investigadores disseram em depoimento que no dia da apreensão ele abandou o veículo e fugiu. No caminhão havia uma pistola Glock 9 mm e 16 cápsulas.

Autor/Fonte: Josmar Jozino/Uol


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.      

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário e insira o seu e-mail.