Postagem em destaque

CONPORTOS PRORROGA VALIDADE DOS CERTIFICADOS DO CESSP

A prorrogação se deu diante da impossibilidade da realização do Curso de Atualização dos Supervisores de Segurança Portuária - CASSP, ...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

1

OSAMA BIN LADEN QUEBRA PARADIGMA NA SEGURANÇA PORTUÁRIA

A Segurança Portuária pode ser dividida antes e depois de Bin Laden ou antes e depois de 11 de setembro de 2001




Após o atentado terrorista contra o World Trade Center e ao Pentágono nos EUA, matando mais de 4 mil pessoas, em 11 de setembro de 2001, onde o seu espaço aéreo foi invadido, constatou-se que os seus Portos também eram vulneráveis, pois como eles mantém relação comercial com vários países e as cargas procedentes desses países seriam um risco potencial, poderiam vir a ser um meio de entrada de bombas. Diante desta constatação eles exigiram da IMO – Organização Marítima Internacional, medidas urgentes a serem adotadas por todos os países, para garantir, na origem, a segurança nas cargas que chegassem ao seu território, nascendo assim, o ISPS-CODE.

A QUEBRA DO PARADIGMA!


Este paradigma foi quebrado por uma pessoa ou
porum acontecimento externo ao meio portuário



A Segurança Portuária sempre foi considerada uma despesa, depois deste atentado ela passou a ser encarada como um investimento, os Portos de todo o mundo tiveram que investir em segurança para poder atender aos requisitos exigidos pela IMO, através do ISPS-CODE, e obterem o seu DC – Declaração de Cumprimento, pois quem não conseguisse, não teriam as suas cargas recebidas nos Portos Americanos.

Quem foi Bin Ladin?
Data do Nascimento: 10/03/1957 Data da Morte: 02/05/2011




Osama bin Mohammed bin Awad biin Laden (1957-2011) foi o fundador da al-Qaeda e principal responsável por vários atentados em todo o mundo, filho de um empresário da Construção Civil da Arábia Saudita, era o mais novo de 20 filhos.

Bin Laden e a Al-Qaeda foram acusados pelos Estados Unidos de serem os responsáveis de diversos ataques terroristas durante a década de 90, incluindo os perpetrados contra 100 militares norte-americanos no Yemen (que causaram a morte de três civis), um contra militares norte-americanos na Somália em 1998 (do qual resultaram 18 mortos), dois na Arábia Saudita em 1995 e 1996, e contra as embaixadas dos Estados Unidos na Tanzânia e no Quênia, que provocaram 224 mortes.

Osama Bin Laden reconheceu o seu envolvimento ou o envolvimento de grupos leais à sua organização. Bin Laden aliou- se aos combatentes da liberdade do Afeganistão, financiando as atividades dos Mujahedin que durante anos combateram as forças de ocupação Soviéticas a partir de finais da década de 70 e 80, fundando a "Al Qaeda", ou "A Base", uma espécie de centro operacional para os extremistas Islâmicos. Após a retirada Soviética, em 1989, Bin Laden voltou para a Arábia Saudita para trabalhar na empresa da família, a Bin Laden Contruction Corp. Mas as suas ideias radicais e o contato que tinha com os grupos extremistas, tornaram-no alvo da atenção das autoridades da Arábia Saudita, que lhe retiraram em 1994 a cidadania. Abandonado pela família e exilado do seu país, Bin Laden procurou refugio no Sudão, onde utilizou contatos adquiridos durante a sua participação nos negócios da sua família, para ajudar o país a construir estradas e aeroportos. A pressão diplomática exercida pelos Estados Unidos obrigou o Sudão a expulsar Bin Laden, que voltaria para o Afeganistão sob a proteção do movimento Taliban.

Um comentário:

  1. Ótimo texto. Inclusive nós mesmos podemos comprovar na prática o quão falho é o sistema do ISPS-Code, q falavam q era infalível...

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES