Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

quarta-feira, 4 de abril de 2012

11

GUARDA PORTUÁRIA APREENDE CARRETA CLONADA




No último dia 30 de março, quando a viatura da Guarda Portuária, integrada pelo Inspetor Pouza e o GP Carlos, trafegava em ronda pela Avenida Xavier da Silveira, eles foram interceptados pelo motorista Leandro Mendes Muniz, que relatou ter avistado uma carreta com a mesma placa da sua carreta, transportando um contêiner.

Após a denúncia e apuradas todas as características do caminhão, da carreta, do contêiner que transportava, do motorista e a direção tomada; foram iniciadas diligências por toda a área portuária, logrando êxito em localizá-la, trafegando pela Avenida Mario Covas, onde o veículo foi abordado com o apoio da Ronda de Policiamento integrado pelos guardas portuários Alberto e Tavares.

Em seguida compareceu ao local o motorista Leandro, onde pôde ser constatado que realmente as duas carretas tinham a mesma placa.

Cavalo-mecânico e carreta do motorista Leandro Mendes Muniz

Habilitado pelo Curso de Indentificação Veicular realizado na CODESP, o GP Alberto, em inspeção realizada localizou na longarina lateral esquerda, a marcação do chassi desta carreta.



Já na carreta transportada pelo motorista Anderson não havia nenhuma marcação.


 
Cavalo-mecânico                                                                       carreta clonada
 

Na carreta clonada não foi encontrada nenhuma marcação do chassi. Esta carreta também não tinha o adesivo da ANTT - Agência Nacional de Transportes Terrestres e o motorista não possuía o RNTRC - Registro Nacional do Transporte Rodoviário de Carga, deste veículo.

O motorista Anderson Alberto Cesária, ao ser abordado, apresentou como documentação da carreta uma 2ª via da CRLV em nome de Leandro Mendes Muniz, o mesmo proprietário da outra carreta. Inquerido á respeito, ele alegou ser apenas o motorista, não sabendo nada sobre a procedência da carreta.

CRLV original                                                                                          CRLV 2ª Via
Diante da suspeita de ser uma carreta clonada, os veículos e as partes envolvidas foram conduzidas a DPJ – Delegacia de Polícia Judiciária, que após ouvir os envolvidos, elaborou o B.O. nº 435 de natureza receptação, recolhendo a carreta ao pátio para perícia do IC – Instituto de Criminalistica.









11 comentários:

  1. Importante divulgar esse tipo da trabalho, parabéns aos envolvidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante notar é que tanto a carreta clonada, quanto a carreta verdadeira, ambas adentravam o cais normalmente. Quanto a carreta verdadeira, tudo bem, seus documentos estão todos legais. Mas e quanto a carreta clonada? Como ela entrou? Pois está registrado no sistema que até exatamente 30 de março do mês março, tal motorista acessou o costado, provavelmente com a mesma carreta. Não digo em relação ao documento pessoal do motorista, mas sim o da carreta. Por acaso a Codesp forneceu 2 cartões MIFARE pertencentes ao mesmo veículo?? E se por ventura o motorista estava utilizando o cartão de outro veículo, por que é que o mesmo ainda continua com o cartão ativo no sistema?

      Excluir
    2. Marcos que eu saiba só o cavalo mecanico que possui cartão mifare entao a carreta pode entrar livremente no cais...falha do sistema como sempre

      Excluir
    3. Marcos acho que vc se confundiu pois as carretas não precisam de cartão mifare apenas os cavalos mecanicos...

      Excluir
    4. GPI/Credenciamento5 de abril de 2012 11:50

      A Autoridade Portuária não fornece credencial eletrônica para carretas, apenas para o cavalo mecânico.

      Excluir
  2. parabéns à equipe da rda de policiamento pelo brilhante trabalho,(isso sim tem que ser divulgado para que outros se sintam motivados a honrar esta farda.).

    ResponderExcluir
  3. Pegando carona nos comentários acima, não deixei de notar uma correlação entre a ação, o dever e a legitimidade. Isto por que, como bem lembrou o colega, como foi possível o trânsito irregular de tal carreta violando o protocolo ISPS CODE, sem nenhuma providência? Ora, a Autoridade Portuária não deveria exercer sua competência e inibir tais coisas de ocorrer? Esta carreta, na realidade, reflete apenas uma amostra de um problema que pode muito bem ser corriqueiro e que não deveria acontecer, senão, de nada adianta operacionalmente atuar se não houver a desestimulação de tais práticas. É correr atrás do vento.

    ResponderExcluir
  4. Excelente matéria. Ações desse tipo merecem ser divulgadas sempre. Parabéns a toda equipe q esteve mobilizada nesse trabalho.

    ResponderExcluir
  5. Muito boa reportagem... Vamos divulgar nas nossas redes sociais....Pareabens!

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES