Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

0

GUARDA COSTEIRA AMERICANA VISITA COMPLEXO PORTUÁRIO DE ITAJAÍ



SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA / ISPS CODE





 
O Complexo Portuário do Itajaí recebeu na última quinta-feira (08/11) uma comitiva da Guarda Costeira Americana que veio fazer uma vistoria nos procedimentos de segurança adotados pelo Porto Público e demais terminais que compõem o complexo.
 

Fizeram parte da delegação os oficiais Eric M. Carrero, Sharmine Jones, John Hurst, Steve Barry, acompanhados do coordenador da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos/SC), Ricardo Garcia Duarte e do gerente de Segurança do Porto de Itajaí e membro da Cesportos/SC, Roberto Carlos Cunha, mais representantes dos setores de segurança da APM Terminals Itajaí, Portonave Terminais Portuários Navegantes e Teporti.
 

Os procedimentos em Itajaí envolveram visitas técnicas ao porto e terminais, além de reuniões com os responsáveis pelos setores de segurança das respectivas entidades e vistorias aos equipamentos e procedimentos de segurança utilizados no Complexo.
 

“Essa visita é muito importante para nosso Complexo Portuário, uma vez que teremos a possibilidade de trocarmos experiências e adquirirmos um pouco do know-how da Guarda Costeira dos EUA, país que implantou o ISPS Code, código de segurança que rege nossos procedimentos nesta área”, disse Antonio Ayres dos Santos Júnior, superintendente do Porto de Itajaí.
 

A comitiva da Guarda Costeira Norte Americana ao se despedir de Santa Catarina, entregou um relatório para melhoria dos procedimentos de segurança, que devem ser adotados pelo Complexo Portuário de Itajaí para a Copa e a Olimpíada.
 

A comitiva de especialistas norte-americanos já passou pelo Rio de Janeiro. Eles vão conhecer portos de todo o país. A visita faz parte das exigências norte-americanas relacionadas ao ISPS Code, código internacional para proteção de navios e instalações portuárias que foi criado depois do ataque as Torres Gêmeas, em 11 de setembro.
 

Com todo um esquema de segurança utilizando dispositivos tecnológicos, os Estados Unidos buscam medidas para tentar evitar e combater o terrorismo. No Brasil, os procedimentos seguem o mesmo padrão, mas a preocupação aqui é voltada para o tráfico de drogas, de armas e as mercadorias que são furtadas dos portos.
 

Não há registros de terrorismo, mas o país deve estar preparado para os dois grandes eventos internacionais, a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Com a troca de experiências proporcionada com a visita, algumas técnicas voltadas para tentar evitar esse tipo de crime devem ser adotadas no transporte marítimo do Brasil.
 

“Cada terminal, cada país que visitamos tem os seus problemas. a gente tem que tentar resolver isso da melhor forma possível, compartilhando informações.”, afirmou John Gohnjohn, Chefe delegação dos Estados Unidos.
 
 

Fonte: Guia Marítimo /Band SC / O Sol Diário
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES