Postagem em destaque

PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL REALIZA CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA OS AGENTES DA GUARDA PORTUÁRIA

O objetivo do curso é capacitar os agentes para exercerem suas funções em toda a área portuária A Administração do Porto de São ...

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

0

PORTUÁRIOS FECHAM ACORDO E DESOCUPAM NAVIO CHINÊS ZHEN HUA 10



Embraport concorda em requisitar trabalhadores para descarregar equipamentos


A tensão no Porto de Santos, com a invasão na madrugada de segunda-feira do navio chinês Zhen Hua 10, terminou na noite desta terça-feira (19) quando a Embraport, em cujo terminal está atracada a embarcação, fechou acordo com o Sindicato dos Estivadores para desocupação do navio. A empresa vai requisitar os trabalhadores, via Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), para descarregar seus equipamentos.

Três barcos foram utilizados na desocupação, que aconteceu de forma pacífica. As embarcações foram escoltadas pela Capitania dos Portos e Polícia Federal (PF).

Os estivadores desocuparam o navio sob os gritos de “Estiva unida, jamais será vencida”. O presidente do sindicato, Rodnei Oliveira da Silva, declarou que, foi a primeira grande vitória dos trabalhadores” “Esses trabalhadores são heróis vitoriosos, pois permaneceram esses quase dois dias em vigília no navio lutando por seus direitos, ficando a maior parte do tempo sem água e sem alimento”.




E concluiu: “Agora, a nossa outra batalha será a partir de amanhã (quinta) em Brasília sempre lembrando que na sexta-feira, o Porto de Santos estará em greve por seis horas”.

Durante toda à tarde desta terça-feira, agentes da PF permaneceram a bordo do Zhen Hua 10 para negociar a saída pacífica dos trabalhadores. Cogitou-se a retirada deles à força da embarcação, caso houvesse resistência.

Acordo

Um acordo, firmado entre o Sindicato dos Estivadores, Sindicato dos Operários Portuários e a Embraport, irá garantir a utilização dos trabalhadores no descarregamento dos equipamentos - três portêineres, equipamentos usados na remoção de cargas dos navios, e 11 transtêineres, utilizados para movimentar a carga já desembarcada - que estão no navio. Esse trabalho estava sendo realizado por trabalhadores chineses, o que motivou a invasão ao navio.

Embraport

Em nota, a Embraport confirmou o acordo com os sindicatos e trabalhadores, e esclareceu que é absolutamente infundada a alegação de que teria contratado profissionais chineses para o desembarque e a montagem dos equipamentos de seu terminal.

A empresa disse ainda que, estes procedimentos são realizados pelo fabricante dos equipamentos e seus funcionários, conforme exigência contratual do fornecedor, aspecto esclarecido desde o primeiro momento da negociação com os sindicatos. Excepcionalmente, neste caso, a Embraport contratará equipe de trabalhadores avulsos para o acompanhamento do desembarque dos equipamentos.

O terminal portuário da Embraport, um investimento de R$ 2,3 bilhões, ainda não tem movimentação de cargas.

Cruz Vermelha levou alimentos para estivadores

Após 16 horas sem alimentos e 12 horas sem água fresca, os 46 estivadores e cinco operários portuários que ocupavam o navio ‘Zhen Hua 10’, atracado do cais público da Embraport, comeram e beberam.

A Cruz Vermelha Brasileira, filial de Santos, conseguiu transpor a proibição imposta pela Capitania dos Portos e Polícia Federal (PF), que desde a tarde desta segunda-feira (18), impedia o abastecimento.

Às 14 horas desta terça-feira (19), o barco alugado pelo Sindicato dos Operários Portuários (Sintraport), chegou a bordo do navio chinês, com o representante santista da Cruz Vermelha, Bento Ferreira.

Ele e o presidente do Sintraport, Robson de Lima Apolinário, tiveram que mostrar sua documentação aos representes da Marinha do Brasil e da PF, antes de subir a bordo.

Os policiais revistaram os mantimentos, compostos de frutas, lanches e água mineral climatizada, e orientaram o embarque, após verificar que estava tudo certo.

Para Robson Apolinário, a Cruz Vermelha “fez toda a diferença. Não fosse ela, até agora os companheiros estariam sedentos e famintos, com risco de passar mal por problemas de saúde”.

Nas primeiras avaliações, eles contataram um portuário diabético que precisava urgentemente de insulina. Também houve tomada de pressão arterial e outras análises de praxe nessas situações.




Tensão será transferida amanhã para Brasília

A tensão nos portos do País deve crescer nesta quinta-feira (21), com a instalação, às 10 horas, da comissão mista no Congresso Nacional que irá avaliar a Medida Provisória (MP) 595. Portuários, que iniciaram nesta terça uma plenária nacional em Brasília, prometendo invadir o Congresso Nacional para protestarem.

Eles articulam uma greve nacional para março e preparam paralisação de protesto por 6 horas, na próxima sexta-feira.

O descontentamento com a MP é geral e envolve não só os trabalhadores, como também as empresas já estabelecidas no sistema portuário. Já, os grandes investidores defendem a aprovação da MP-595 junto com as grandes empresas que pretendem instalar terminais de uso privativo (TUPs).

Líderes sindicais prometem hoje muita pressão e uma das armas será a deliberação de uma greve em todos os portos do País.
Texto e fotos extraídas do Jornal A Tribuna, G1 e Diário do Litoral











Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES