Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

sábado, 8 de junho de 2013

0

BANDIDOS INVADEM PRÉDIO DA CODESP, NO PORTO DE SANTOS




Na madrugada de sexta-feira (7), bandidos invadiram prédio da Companhia Docas do Estado de São Paulo – CODESP, no Porto de Santos, e explodiram o caixa eletrônico existente no local.

O equipamento estava no interior do prédio do Centro de Operações de Tráfego da Companhia, também conhecido como prédio da DIROP, localizado na Praça Cândido Gafrée, ao lado do Portão 7 de acesso ao cais.

Segundo a CODESP, uma embarcação com dez elementos encostou junto ao cais, na retaguarda do prédio. Oito elementos desceram da embarcação e dois permaneceram junto ao barco, conhecido popularmente como piracicabana ou voadora. Cinco dos bandidos renderam um trabalhador portuário que foi feito de refém e utilizado como escudo para o deslocamento deles até a entrada no prédio, onde se encontrava o caixa eletrônico. Dois elementos ficaram na retaguarda do prédio dando cobertura ao assalto, enquanto um dos bandidos ficou junto ao Portão 7 onde se encontravam de serviço dois guardas portuários. Este elemento atirou contra os guardas impedindo que eles saíssem da guarita.

As câmeras do CCCOM registraram todo o assalto
 
 
                                              CCCOM da Guarda Portuária

De imediato os guardas acionaram via rádio o Centro de Controle de Comunicação e Monitoramento – CCCOM da Guarda Portuária que monitorou toda a ação dos bandidos.

A ação aconteceu por volta das 4h. Os bandidos, utilizando um refém como escudo, se deslocou para o interior do andar térreo do prédio, onde estava o equipamento, ao lado da Tesouraria. Neste local, mais dois funcionários, um porteiro e um motorista, também foram rendidos. Enquanto dois dos bandidos cuidavam do refém, os outros três elementos explodiram o caixa eletrônico.

O Supervisor de Segurança Carlos Carvalhal, de serviço no CCCOM acionou todas as viaturas para se dirigirem para o local, informando via rádio, cada passo da ação, e acionou, pelo 190, o apoio da Polícia Militar. 
 
                       Composição ferroviária que passava pelo local impediu o acesso

O Supervisor de Segurança, Messias Batista, de serviço na Ronda Operacional de Fiscalização, junto com a sua equipe, foi o primeiro a chegar ao local, no entanto não pôde entrar no prédio, pois uma composição ferroviária da América Latina Logística – ALL impedia o acesso. Enquanto aguardava a saída dos bandidos em frente ao prédio onde ocorria o assalto, Messias também pediu o apoio de uma viatura da Polícia Militar que passava pelo local.

Várias viaturas foram chegando ao local, duas viaturas, ao verem o acesso pelo Portão 7 impedido, se deslocaram ao Portão 8 e entraram no cais tentando surpreender a quadrilha pela retaguarda.

A ação demorou cerca de cinco minutos, o trem que começou a passar pelo local após a entrada dos bandidos no prédio, impediu a prisão dos meliantes e serviu como cobertura na fuga. 
 
                                                                            Portão 7

Na saída, o bando fez mais um trabalhador de refém, um operador de guindaste, o qual serviu de escudo para a fuga deles na embarcação que aguardava no local. Nesta fuga, eles voltaram a disparar contra os guardas portuários que estavam no Portão 7 e contra os que estavam atrás da composição ferroviária.

Duas explosões
 

Conforme o apurado, os suspeitos precisaram de duas detonações para conseguir ter acesso ao dinheiro. Eles fizeram uma primeira detonação no equipamento, que não foi suficiente. A segunda foi tão forte que arrancou portas e causou outros danos no imóvel. Não foi apurado quanto dinheiro foi levado. Os celulares dos trabalhadores também foram roubados

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) foram até o prédio e apreenderam R$ 21.440,00 que estavam espalhados perto do caixa.

A ocorrência foi registrada no 4° Distrito Policial de Santos, até o momento ninguém foi preso.

 
Fonte: Jornal a Tribuna / TV Tribuna - Edição Segurança Portuária Em Foco
 
 
 
Veja a versão da TV Tribuna:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES