Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

0

PORTO ADMINISTRADO PELA CODESP É ALVO DE DENÚNCIA DE SUPERFATURAMENTO




Um inquérito da Polícia Federal e uma auditoria da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), à qual o porto está subordinado, comprovaram desvios e diversas irregularidades no Porto de Laguna, em Santa Catarina.

Um dossiê enviado para políticos e autoridades aponta “superfaturamento, má gestão de recursos financeiros, conluio com empresários, entrega de bens públicos sem licitação e recursos públicos para contas pessoais”. As denúncias foram encaminhadas ao Ministério Público Federal. Os atuais gestores do porto foram indicados pelo PT, que administrava a cidade até 2012. As nomeações são atribuídas à ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti. Ideli nega. A Codesp enviou documentação ao ministro Leônidas Cristino, da Secretaria de Portos, relatando as irregularidades.

Uma carta anexada a processo na Justiça Federal sobre irregularidades no porto de Laguna, em Santa Catarina, mostra um integrante da corrente do PT Construindo um Novo Brasil (CNB), Claudionor Dias Pereira, falando com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, sobre a necessidade de manutenção de cargos para o grupo.
 
A direção da Codesp, órgão sediado em Santos (SP) e responsável pelo porto em Santa Catarina, pediu ao ministro a exoneração dos atuais ocupantes de cargos comissionados no terminal. São citados Denise Pegoraro Antonio, Valter Tavares, Luiz Miguel Durek Rivas e Claudionor Dias Pereira. O porto, um terminal público pesqueiro, tem um déficit anual de R$ 2 milhões. Somente no primeiro semestre deste ano o prejuízo foi de R$ 1,5 milhão. A auditoria da Codesp colheu dados de inquérito da PF e comprovou fraude no sistema operacional para faturamento (com registro inferior de valores arrecadados), ausência de cobrança de multas, juros e correção a empresas, ilegalidade de utilização de área do terminal pelo Centro Educacional em Saúde Garra Ltda e contratação de profissionais liberais sem licitação e sem obedecer aos trâmites legais.

Administrador diz que apelos à ministra "sempre são atendidos"

Pereira lembra um acordo firmado em 2010 para a CNB nomear duas pessoas e o ex-prefeito Célio Antônio, outras duas. Cita os indicados e observa que a corrente estava sem uma representação. Também critica uma adversária, Denise Pegoraro (foto), mulher do ex-prefeito e chefe da área financeira, e pede seu afastamento. Ressalta que Ideli buscou sempre "a proteção de nossos companheiros". E conclui: "Tenho muito a agradecer a V.Exª, haja vista que nossos apelos sempre são atendidos, fato que tem trazido facilidades para a manutenção e engrandecimento do PT".

Ideli responsabiliza prefeitura

 
 
A ministra Ideli Salvatti informou que “as indicações para a direção do Porto de Laguna foram feitas pela administração anterior da prefeitura de Laguna”. O ministro Leônidas Cristino, da Secretaria de Portos, não retornou os telefonemas.

Outro ministério quer o porto

O Ministério da Pesca já solicitou que o porto de Laguna passe a ficar sob o seu comando por ser um terminal público pesqueiro. Parecer da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) mantém esse entendimento. A Codesp quer a demissão dos comissionados.

 

Fonte: IG / Brasil Econômico
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES