Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

3

EMPRESA DE SEGURANÇA É AUTUADA PELA GUARDA PORTUÁRIA




No último sábado (07), por volta das 17h a Guarda Portuária do Porto de Santos autuou uma empresa de segurança que cometeu uma irregularidade na área portuária.

O Centro de Controle, Comunicação e Monitoramento da Guarda Portuária – CCCOM/GPORT flagrou quando os vigilantes da empresa de segurança Soldier, após trafegarem com veículos da empresa na contra mão de direção, pararam o trânsito da Avenida Perimetral, nos dois sentidos, para a conversão irregular de três carretas da empresa Transportadora Ecoporto, a fim de transpor aquela via.
 

Viaturas foram acionadas para comparecer ao local e flagraram a irregularidade. Um dos veículos da escolta e os três caminhões foram autuados baseados no Código de Trânsito Brasileiro (CBT), por “Executar operação de retorno com prejuízo da livre circulação ou da segurança, ainda que em locais permitidos”.
 

Polícia Federal foi notificada

Como a fiscalização da atuação das empresas de segurança é de competência da Polícia Federal, ali compareceu uma viatura da Polícia Federal, que ficou ciente dos fatos.

Posteriormente a Polícia Federal poderá analisar o procedimento executado, bem como, verificar se os vigilantes da escolta eram habilitados para àquela função.

O proprietário da Soldier, Ricardo Fortes Guimarães compareceu no local e alegou que os vigilantes tomaram aquela atitude para preservar as carretas que eram escoltadas, pois mais adiante, na saída da Avenida Perimetral com a Avenida Mario Covas havia uma manifestação de caminhoneiros, e eles poderiam depredar os caminhões.
 

Policiais tumultuam

Enquanto os guardas estavam efetuando as multas, pararam do outro lado da via, dois veículos, um Fiat Uno de cor branca e um Fiat Palio de cor preta. Destes veículos desceram dois homens que começara a insultar os integrantes da Guarda Portuária. Demonstrando total despreparo, começaram a gritar que a Guarda Portuária não tinha autoridade para efetuar aquelas multas, chegando a ponto de um deles sacar do coldre a sua arma.

Esses dois elementos foram identificados, inclusive pelos próprios vigilantes da empresa Soldier, como policiais, que prestam serviço particular para a empresa Marimex Inteligência Portuária.

A corregedoria da Polícia deverá ser notificada para a apuração do ocorrido.

Caminhoneiros registram B.O.

Caminhoneiros registraram um Boletim de Ocorrência (B.O.).  O episódio ocorreu por volta das 16h20 do sábado, logo após seis caminhões identificados com a marca do Terminal Marimex passaram pelo local de concentração dos manifestantes. De acordo com o relato dos caminhoneiros, o passageiro de um Fiat Uno, que seguia os veículos, efetuou um disparo, usando uma arma calibre 380.


 

Os manifestantes identificaram as placas dos veículos e conseguiram entregar a bala à polícia. O atirador foi identificado como um homem branco, alto de olhos azuis, que aparenta ter cerca de 25 anos. Ele estava acompanhado de outro homem, que aparenta ter 50 anos, tem bigode e cabelos grisalhos.

Segundo o B.O., os dois homens permaneceram no local e o mais velho, que se que se apresentou como policial, ameaçou os manifestantes. “A noite vai chegar e vocês vão ver como vai ficar e nós marcamos a cara de vocês todos”, disse o homem, de acordo com o relato registrado pela polícia.
 
 
 
 
 
 
 

3 comentários:

  1. Ta na cara que alguem ligou para os mao branca irem e botar uma pressao, pois servem para fazer o servico necessario em qualquer horario e situacao, e geralmente esse pessoal nao tem muito escrupulo, e sao protegidos pelo corporativismo, agora fiquei curioso, se a vtr da PF estava no local qdo da abordagem dos mao branca, e qual foi a atitude dos guapores diante do QRU, prq na minha opiniao se os homens estao fardados, vissem uma arma, nao interessa ta armado, rende os caras, e se for necessario meu camarada...sendo o agressor pm ou nao, mas a guarda nao deve de ter um treinamento a altura que a funcao exige, hj em dia o q decide e o instinto, com um treinamento de tiro instintivo, de pref ministrado por israelenses, prq em combate urbano, cochilou o caximbo cai, ainda mais se o inimigo tiver preparo tatico tbem. Mas tbem se os vig de escolta estavam trabalhando, acredito q nao precisava tanto aue, prq sao homens pais de familia q as vezes tem duas pistolinhas e uma cal 12 para encarar ladroes de carga na noite onde so se ve canos de fuzis por tras de vidros de caminhonetes potentes, deve haver bom senso , pois somos todos guerreiros, cada um na sua funcao, mas todos unidos no proposito da execucao da missao, ou seja se nao puder ajudar, nao atrapalhe. Palhaço Guerreiro. Ad Sumus.

    ResponderExcluir
  2. esse fiat uno branco é o mesmo que aparece com esses dois milicianos ( PMS) , em outra ocorrência,
    inclusive esses elementos disparando na área portuária.
    É o negocio quando os mesmos vieram intimidar a guarda portuária deveriam ser enquadrados e se
    houvesse resistência era na hora de mandar os mesmos de volta pro inferno.
    GP ALEXANDRE -ES

    ResponderExcluir
  3. Mãos brancas bagunçando o coreto no porto de Santos e ninguém faz nada.
    inclusive os mesmos já se evolveram em outras ocorrências inclusive disparando
    arma de fogo contra caminhoneiros. tem que sentar é o aço e mandar esses safa-
    dos de volta pro inferno de onde com certeza vieram.

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES