Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

0

RECEITA FEDERAL APREENDE ARMAS DE BRINQUEDO NO PORTO DE SUAPE




A Alfândega da Receita Federal no Porto de Suape, Litoral Sul de Pernambuco, divulgou, na terça-feira (14), que apreendeu cerca de 12 mil produtos, entre brinquedos, itens de material escolar e capas para tablets. Alguns produtos possuem forte indício de falsificação, outros não cumprem os requisitos de segurança (estavam declarados como outros produtos para fugir da licença de importação) e alguns nem declarados estavam.


A mercadoria foi retida na Alfândega em cinco apreensões distintas de cargas importadas da China e está avaliada em quase US$ 50 mil (cerca de R$ 120 mil).


Na lista de produtos apreendidos estão 2.880 conjuntos infantis para pintura, 2 mil armas de brinquedo que dão choque e 1,1 mil capas de marcas famosas para tablets. A Alfândega ainda contabilizou quase 5 mil pianos infantis, 960 bolas de futebol tipo F50 da Adidas e 80 cadeiras com personagens Disney Muitos estavam declarados como outros produtos com o objetivo de fugir da licença de importação. “Outros itens nem declarados estavam”, conta o inspetor-chefe.


É importante ressaltar que produtos falsificados ou que não são aprovados pelos órgãos reguladores, como o Inmetro, podem causar danos à saúde das crianças que os utilizam.


Para Carlos Eduardo Oliveira, inspetor-chefe da Alfândega, a atenção com as importações de produtos como brinquedos e material escolar é redobrada nesta época. “Temos que ficar vigilantes, pois nem sempre a mercadoria que foi declarada pelo importador é aquela que vamos encontrar no interior das caixas”. 


De acordo com o inspetor-chefe da Alfândega da Receita Federal em Suape, Carlos Eduardo Oliveira, o aparelho que realiza raio-x nos contêineres foi fundamental para a localização dos produtos. “O primeiro passo é aplicar a perda das mercadorias para quem ia recebê-las. Em seguida, os donos das marcas podem também entrar com uma ação”, explica. Ninguém foi preso.



Dessas cinco apreensões realizadas pela Alfândega da Receita Federal no Porto de Suape, apenas uma aconteceu em 2014, na última sexta-feira (10). As restantes aconteceram ainda no ano passado. De acordo com a Receita Federal, produtos falsificados ou não aprovados pelos órgãos reguladores podem causar danos à saúde das crianças.



Fonte: Receita Federal / G1 / TV Globo Nordeste










Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES