Postagem em destaque

NOVO COMANDO NA GUARDA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO

Capitão reformado da Polícia Militar, Hugo, já comandou a Guarda Portuária em outra oportunidade No dia seis de setembro, o presid...

sábado, 5 de julho de 2014

1

NOVOS GUARDAS PODERÃO ELIMINAR POSTOS TERCEIRIZADOS


Cerimônia de Encerramento

No dia 09 de junho, ocorreu no auditório da Polícia Civil, o encerramento da 6ª etapa do curso de habilitação ao cargo de Guarda Portuário do Concurso Público 02/2012, da Companhia Docas do Pará (CDP).
O curso foi ministrado pela Guarda Municipal de Belém com o apoio da Companhia Docas do Pará (CDP), através do Termo de Cooperação Técnica e Financeira da CDP e a instituição ministrante.
O curso teve a participação de 52 candidatos, com duração de 21 dias, onde foram ministradas 10 disciplinas: Armamento e Tiro, Vigilância/Segurança Física de Instalações, Legislação Aplicada, Qualidade no Atendimento ao Público, Criminalística e Técnica de Abordagem, Drogas, Sistema de Segurança e Crime Organizado, Prevenção e Combate a Incêndio, Noções de ISPS-CODE e Segurança Portuária e Defesa Pessoal.
Cerimônia de Encerramento

A cerimônia de encerramento contou com a presença do Diretor Administrativo-Financeiro da CDP, Olívio Antônio Palheta Gomes, da Inspetora Joana Melo, representando o Comando Geral da Guarda Municipal e os membros da Comissão do Concurso Público: Maria Irene Cardoso Maia e Olívio Souza da Costa.
Dos 52 participantes do curso de formação, 02 foram reprovados, mas por enquanto só 20 serão chamados, ficando os demais no cadastro de reserva. A validade do concurso é de dois anos, renovável por mais dois.
Segundo fontes da própria empresa, os novos guardas portuários, deverão ocupar dez postos terceirizados, com cerca de 40 vigilantes. A substituição deverá causar uma economia para a empresa, pois cada posto consome cerca de R$ 180.00,00 reais por mês para a CDP. Esta medida faz parte de uma política de contenção de despesas implantada para fazer parte ao novo Plano de Emprego e Salários (PES).

O fim dos postos terceirizados está incluído em um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) de 2006, aditado em 2008, firmado em o Ministério do Trabalho e Empresa (MTE) e a CDP, nunca cumprido pelo ex-presidente Carlos José Ponciano da Silva.




Um comentário:

  1. O DISCURSO DA CIA É O DE QUE SE CONTRATAM OS SERVIÇOS E NÃO PESSOAS.
    NA QUESTÃO PONTUAL DA SEGURANÇA, ONDE CONTRATOS SE ARRASTAM HÁ ANOS, DESCUMPRINDO TODOS OS NORMATIVOS QUE LHES DÊEM RAZÃO DE SER; E SEM ESQUECER QUE ALGUNS CONTRATADOS CUMPREM BEM SUAS ATRIBUIÇÕES; CONSIDERANDO CERTOS VICIOS DA ADMINISTRAÇÃO PUBLICA, DENTRE ELES A INTERFERENCIA POLITICA PARTIDÁRIA NAS GESTÕES; A CIA TEM SIDO UM VERDADEIRO CABIDE DE EMPREGOS, COMPROVANDO-SE AGORA COM ESA DISPENSA DE 40 CONTRATADOS, MESMO QUE MUITOS POSTOS PASSEM A FICAR SEM A PRESENÇA DELES, COMO TAMBÉM DOS GUARDAS PORTUARIOS.

    ATT

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES