Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

0

ANTAQ ANUNCIA REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL



O diretor-geral da ANTAQ, Mário Povia, anunciou, na segunda-feira (18), as mudanças no regimento interno e a reestruturação organizacional da Agência, que passa, a partir agora, a funcionar não mais com superintendências setoriais (Portos, Navegação Marítima e de Apoio e Navegação Interior), mas sim por superintendências organizadas sob a forma de processos de trabalho (Outorgas, Regulação e Estudos e Estatística).
Foi também criada, no âmbito da Superintendência de Fiscalização e Coordenação das Unidades Regionais, a Gerência de Planejamento e Inteligência da Fiscalização. Não houve alteração na Superintendência de Administração e Finanças.
Foram promovidas também alterações nas competências e na estrutura do Gabinete do Diretor-Geral: i) a Assessoria Internacional assume a coordenação do cerimonial da ANTAQ; ii) a Assessoria Parlamentar foi transformada em Assessoria de Relações Institucionais; iii) a Assessoria de Planejamento foi transformada em Secretaria de Planejamento e Coordenação Interna; iv) foi criada a Secretaria-Executiva da Comissão de Ética; e v) a Biblioteca, a Editora ANTAQ e o Centro de Informações em Transporte Aquaviário – CITAq foram transferidos da Assessoria de Comunicação Social para a Superintendência de Estudos e Estatística. As Unidades Administrativas Regionais (UAR) passam a serem denominadas Unidades Regionais e assumem a sigla URE.
De acordo com a Diretoria Colegiada, as principais razões para as mudanças são: adequação da Agência ao novo marco regulatório (Lei 12.815/2013); aumento da produtividade operacional; formalizar as alterações de competências e atribuições; reconhecer no Regimento Interno o planejamento estratégico e operacional; e uniformizar a redação e modernizar a estrutura do Regimento Interno.

Para o diretor-geral, “as mudanças são necessárias. A ideia é melhorarmos o trabalho da Agência. Com essas alterações, pretendemos que haja um equilíbrio de competências. Essa nova estrutura tem o potencial de ser mais justa em termos de distribuição de trabalho para que não haja sobrecarga de trabalho, propiciando um maior desempenho das atividades”.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES