Postagem em destaque

CONPORTOS ANUNCIA A DATA DA 17ª EDIÇÃO DO CURSO ESPECIAL DE SUPERVISOR DE SEGURANÇA PÚBLICA PORTUÁRIA – CESSP

O período de inscrição será de 17 de julho a 21 de agosto de 2017 Na última quarta-feira (12) a Comissão Nacional de Segurança Públi...

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

0

A MENSAGEM – COMUNICAÇÃO VIA RÁDIO




A comunicação-rádio, por voz, destina-se basicamente à transmissão de mensagens concernentes a sua destinação.
Princípios básicos
Na elaboração de uma mensagem (msg) devem ser levados em conta alguns princípios básicos, como: clareza ou da transparência; precisão ou da objetividade; e, concisão ou da economicidade.
Clareza ou da transparência
Por princípio da clareza ou da transparência, entende-se que o texto da mensagem deva ser de fácil entendimento para aquele que a irá receber, sendo dispensáveis as demonstrações de eruditismo, de conhecimento da língua falada ou da matéria tratada, demonstrados pelo emprego de palavras ou expressões pouco usuais ou complicadas.
Precisão ou da objetividade
Por precisão ou da objetividade, como princípio, entende-se que o assunto a ser tratado deva ser abordado de maneira direta, sem rodeios ou desnecessárias introduções ou prefácios.
Concisão ou da economicidade
Por princípio da concisão ou da economicidade, entende-se que, nas comunicações-rádio, sem prejuízo da clareza, a mensagem deva ser curta; evitando-se o aumento desnecessário do número de palavras para transmiti-la. Qualquer palavra, mesmo padronizada, que não acrescente conteúdo a mensagem deve ser abolida.
Meios auxiliares
Dentre os meios considerados auxiliares da transmissão da mensagem, destacam-se:
- as palavras e expressões convencionais;
 - o alfabeto fonético internacional;
 - os algarismos fonéticos; e,
 - o “Código Q”.

Por Jorge Lordello
Fonte: Jornal da Segurança








Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES