Postagem em destaque

DELEGADA ASSUME A PRESIDÊNCIA DA CONPORTOS

Nelbe Ferraz de Freitas, 37, foi designada pelo Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública Na última quarta-feira (04), Nel...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

0

Trabalhador é morto a facadas no Porto de Santos


Coordenador (Inspetor) Evangelista no Ponto de Escalação do Ogmo (Foto G1)

Um trabalhador portuário avulso (TPA) foi morto no cais do Porto de Santos, na noite da última segunda-feira (8), na frente de um Posto de Escalação do Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO), localizado no bairro Saboó.
Segundo testemunhas, o crime aconteceu entre 18h30 e 19h, no momento em que acontecia a distribuição do trabalho noturno para os trabalhadores, dentro do posto de escalação do OGMO. Emerson Fernandes de Souza, de 42 anos, discutiu com um colega de trabalho, os dois estivadores se afastaram do local. Quando ambos chegaram à frente do posto, um deles deu três facadas no outro e fugiu. Nenhum objeto foi levado.
Mesmo ferido, na altura da barriga, o estivador se dirigiu ao interior do posto, situado na Rua Antônio Prado, e pediu ajuda, mas desmaiou sem explicar o que tinha acontecido. Ele foi levado até o Pronto Socorro Central de Santos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
Uma equipe da Guarda Portuária que fazia ronda próximo ao local chegou logo depois do crime e não encontrou o agressor e a faca que teria sido usada no crime.

Reprodução TV Tribuna

Investigação
“Ainda não sabemos o que causou a suposta briga e se ela teve início no próprio posto. Já estivemos no local, mas não encontramos testemunhas do crime. Apenas pessoas que se depararam com a vítima já ferida ou desmaiada” disse Luiz Durante, chefe dos investigadores do 1º DP de Santos.
“Analisamos também as câmeras de monitoramento do OGMO, mas os equipamentos só registram o que ocorre na área interna da unidade”, acrescentou o investigador.

Motivação e autoria do crime ainda é um mistério para a polícia.
Câmeras
Após o homicídio, policiais civis se deslocaram à cena do crime e analisaram câmeras de monitoramento do posto do Ogmo.
Nas imagens, a vítima aparece entrando no local com uma das mãos na altura da barriga e faz gestos pedindo socorro. Com perfurações no abdômen, ele caiu próximo às catracas de controle de entrada da unidade.
A cena do homicídio não foi captada porque ocorreu em uma área externa onde não há monitoramento.
Testemunha
Um vigilante de 24 anos que estava trabalhando no posto no momento em que o crime ocorreu disse à polícia que “apenas viu a vítima pedindo ajuda”.
A testemunha disse que desconhece a cena do crime e o modo de fuga do autor do homicídio.
Denúncias
Informações que ajudem a polícia a esclarecer o homicídio podem ser transmitidas pelo telefone 181 (Disque-Denúncia). Não é necessário se identificar.



Fonte: Jornal a Tribuna / TV Tribuna / Diário do Litoral / G1

Edição: Segurança Portuária Em Foco





Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES