Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA APREENDE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS

O contêiner onde a droga estava escondida tinha como destino o Porto de Algeciras, na Espanha. Dois elementos foram presos em flagrant...

segunda-feira, 9 de março de 2015

0

DOCUMENTOS DA DOCAS DE SANTOS SÃO INVESTIGADOS



A Companhia Docas de Santos (CDS), que construiu e explorou o Porto de Santos de 1888 a 1980, tem sua atuação durante a ditadura militar investigada pela Comissão Estadual da Verdade, da Assembleia Legislativa de São Paulo.
Em depoimento na última segunda-feira (02), durante audiência da comissão, na Capital, antigos trabalhadores da companhia disseram ter sido perseguidos e demitidos após greves na empresa. E relataram a presença de militares dentro da firma portuária, na época.
“Temos vários casos de trabalhadores que foram punidos, não com demissão, mas que sofreram uma sorte de perseguições. Há trabalhadores, por exemplo, que levaram 20 dias de suspensão”, disse Antônio Fernandes Neto, que pesquisou a história dos portuários de Santos durante a ditadura. 
Um dos pedidos feitos por portuários, durante a audiência, foi para que a Docas abrisse seus documentos referentes à ditadura militar. O pedido deverá ser encaminhado pela comissão à Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), que assumiu as funções da CDS em 1980, quando a concessão para a exploração do Porto de Santos terminou.
A Docas de Santos continua em atividade, mas não atua mais no Porto de Santos. Ela diversificou seus negócios, atuando nas áreas petrolífera, de energia elétrica, reparos navais e logística portuária especialmente no Rio de Janeiro.
Representando a Codesp na audiência, Rodrigo Octavio Franco Morgero, do Departamento Jurídico da empresa, disse que esse tema era desconhecido pela direção: “Desconhecemos, em caráter oficial, a presença de qualquer órgão de repressão dentro da companhia”, afirmou ele, durante a audiência pública.

Sobre o pedido feito pelos trabalhadores de abertura dos arquivos, Morgero não soube dizer se ele poderá ser atendido pela empresa, mas que isso será analisado.


Leia Também:


*Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor. O nosso papel é apenas manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto.
                                                    
*Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES