Postagem em destaque

DELEGADA ASSUME A PRESIDÊNCIA DA CONPORTOS

Nelbe Ferraz de Freitas, 37, foi designada pelo Ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública Na última quarta-feira (04), Nel...

sexta-feira, 3 de abril de 2015

0

INCÊNDIO ATINGE TERMINAL QUÍMICO, EM SANTOS


(Foto: Paulo Whitaker - Reuters)

Um tanque que armazenava combustível explodiu por volta das 10 horas da última quinta-feira (2) no bairro Alemoa, próximo ao Porto de Santos, litoral sul de São Paulo, dando início a um incêndio que pode durar vários dias, segundo o Comando da Polícia Militar na Baixada Santista.
Após a explosão, o incêndio se alastrou para outros tanques, cada um com capacidade para armazenar 6 milhões de litros de combustível, pertencem à empresa Ultracargo, especialista na estocagem de produtos químicos. Em nota, a companhia informou que todos os funcionários foram retirados do pátio assim que o alerta de incêndio foi disparado. Segundo a Ultracargo, ainda é prematuro especular sobre as causas do incêndio.
Os profissionais do Corpo de Bombeiros seguem tentando conter o incêndio que atinge uma temperatura de 800°C. Durante a manhã desta sexta-feira (3), um quinto tanque acabou sendo atingido e um sexto, que está em uma área próxima dos cinco primeiros afetados, por pouco não incendiou também. A informação foi confirmada pela Ultracargo, empresa responsável pelos tanques.
Efetivo
Brigada de Incêndio da Guarda Portuária em apoio no local (Foto: G1)

Cerca de 80 homens do Corpo de Bombeiros e 35 viaturas (oito da capital e do ABC) trabalham no local. O incêndio também mobilizou funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Defesa Civil, Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Polícia Militar e da Brigada de Incêndio da Guarda Portuária.
A embarcação Governador Fleury, destinada ao combate de incêndios nos Portos de Santos e São Sebastião, foi enviada para o local para bombear água do mar para os caminhões.
Combate Difícil
(Foto: G1)
Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Palumbo, a equipe encontra dificuldades para combater as chamas por causa da alta temperatura, que provoca evaporação da água antes que ela atinja o fogo. Desta forma, a estratégia dos bombeiros é manter o resfriamento, com auxílio de uma espuma especial, e aguardar que todo o combustível armazenado seja consumido pelo fogo.
Durante todo o dia, uma grande coluna de fumaça pôde ser vista de vários pontos de Santos e também de outros municípios da Baixada Santista. Por volta das 17 horas, os tanques começaram a desabar, provocando mais explosões e assustando quem estava próximo ao local.
O Comandante da operação, Wagner Bertollini Junior, afirma que os tanques possuem um sistema para retirar o combustível, entretanto ele não está funcionando. "Os sistemas foram danificados e os tanques não estão podendo ser esvaziados por baixo. Então eles estão em uma situação quase que surreal porque eles continuam cheios em volta de um tanque pegando fogo. Esse que é a nossa grande dificuldade", diz.
Além disso, uma tubulação acabou explodindo nesta sexta-feira, entretanto ela não afetou nenhum outro tanque. Os bombeiros, porém, não descartam a possibilidade de que novas explosões possam ocorrer.
Resfriamento de tanques
(Foto: Corpo de Bombeiros)
O foco dos bombeiros, a partir de agora, é o resfriamento dos tanques que ainda não foram atingidos, afirmou o capitão Palumbo. "Houve evacuação. Durante a tarde, um tanque acabou entrando em colapso e o combustível vazou. Tivemos que mudar de estratégia por causa desse incidente. Nosso trabalho principal é resfriar os tanques para evitar novos problemas", completou.
Segundo os bombeiros, a temperatura média no foco principal do incêndio gira em torno dos 800ºC, o que causou o derretimento de quatro tanques. Por causa do calor, os bombeiros ficam a uma distância de 100 metros do local das chamas para fazer a contenção do fogo. A água não é direcionada para as labaredas, já que o líquido evapora antes de atingir o chão por causa do calor.
Localização

Segundo a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a área atingida fica fora do porto, no entanto, apesar do Terminal da Ultracargo não estar localizado dentro da área da CODESP, ele está nas margens da Avenida Augusto Barata, conhecida popularmente como Reta da Alemoa, via que liga os terminais da área do Saboó ao Terminal da Alemoa.
Navios desatracados

Cinco navios que estavam atracados no Terminal da Alemoa foram retirados do local. A Codesp disse, porém, que o Porto de Santos não interrompeu os trabalhos e desmentiu a informação de que a Capitania dos Portos havia suspendido a navegação no estuário. A companhia informou que o movimento foi interrompido apenas na região do incêndio.
Atendidos
De acordo com a prefeitura de Santos, o Samu atendeu 15 pessoas no local, todos homens com superaquecimento. "Não é queimadura. Isso acontece porque as vítimas são funcionários da área industrial, usam roupas pesadas, sofrem alterações na pressão arterial e aumento na temperatura corporal", afirmou. Ainda conforme a Prefeitura, crises nervosas e inalação de fumaça também foram registradas nos pacientes. Todos foram atendidos no local e liberados. No Pronto-Socorro Central de Santos, três pessoas com crises nervosas também foram medicadas e liberadas.
Trânsito
O trânsito está bloqueado em vários pontos da região. A Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, fechou o acesso ao porto pelo Viaduto da Alemoa, no km 64 da Anchieta. Já a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) bloqueou a Avenida Engenheiro Augusto Barata. Houve congestionamento na Anchieta e na Rodovia dos Imigrantes.
A empresa
O local onde ocorre o incêndio abriga 175 tanques de capacidade de até 10 mil m³, cada um, em uma área de 183.871 m². A Ultracargo armazena produtos como combustíveis, óleos, vegetais, etanol, corrosivos e químicos.

Em nota à imprensa, a Ultracargo, empresa de armazenagem para granéis líquidos, informou que o incêndio em uma parte de seu terminal no porto de Santos atinge, neste momento, cinco tanques, que contêm exclusivamente gasolina e etanol.

* ATENÇÃO: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

O nosso papel é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                
*Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES