Postagem em destaque

PF FLAGRA PORTUÁRIOS COM PACOTES DE COCAÍNA NO CORPO PARA EMBARQUE EM NAVIO

Trabalhadores do Porto de Santos tentaram levar carregamento até navio atracado no cais, que foi cercado pela Guarda Portuária. Tablete...

segunda-feira, 13 de julho de 2015

0

SCANNER GARANTE FISCALIZAÇÃO MAIS ÁGIL E EFICIENTE NO PORTO DE PARANAGUÁ



Já está em funcionamento no cais do Porto de Paranaguá um novo scanner de cargas que torna mais eficiente e ágil a fiscalização. Fruto de um investimento de R$ 15,7 milhões, o equipamento funciona como uma máquina de raio-X que faz a varredura completa nos contêineres que passam pelo porto paranaense. A vistoria tem sido usada, principalmente, no combate à sonegação fiscal.
As imagens escaneadas são enviadas diretamente para o sistema da Receita Federal, que cruza, em tempo real, a imagem captada com os dados descritos na nota fiscal. Desta forma, o processo de fiscalização fica mais rápido e preciso. O scanner também é capaz de detectar qualquer tipo de substância ilícita ou contrabandeada, como produtos químicos e armas. A operação dura menos de um minuto. Segundo dados da Receita Federal, o processo triplica a segurança aduaneira nas fiscalizações.
Segundo o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, a aquisição dá segurança e agilidade ao porto. “Com a nova fiscalização, vamos liberar os contêineres com total segurança e em menos tempo, barateando a logística dos clientes que operam por Paranaguá”, afirma Dividino.
Funcionamento     
           
A fiscalização da Receita nos contêineres é feita por amostragem ou em cargas suspeitas de sonegação ou contrabando. Os contêineres selecionados precisam passar pelo scanner, que fica localizado em uma área sinalizada e cercada dentro da faixa portuária.
Primeiramente, o caminhão passa por uma placa que mede a radioatividade da carga. Se dentro do contêiner houver alguma carga, líquido ou substância com nível radioativo acima do normal, uma luz vermelha se acende e um sinal sonoro é disparado. Automaticamente, o caminhão é bloqueado e a carga fica retida para análise.
Poucos metros à frente, o caminhão passa por uma trave, que faz a leitura em raio-X e gera a imagem da carga na central de controle. As informações são repassadas automaticamente para a Receita Federal, juntamente com os dados da Nota Fiscal e a placa do veículo.
Segurança

O funcionário que acompanha o escaneamento da carga mantém um chip no seu uniforme, chamado de dosímetro, que mede diariamente a quantidade de radiação a que ele é eventualmente exposto. Ainda que a radiação do equipamento seja mais fraca que a de raios solares, o procedimento é fundamental para assegurar que os níveis de exposição não são prejudiciais à saúde do trabalhador.

O scanner também é programado para não emitir raios contra a cabine do motorista do caminhão. Desta forma, somente a carroceria do veículo é alvo da emissão do equipamento.

Fonte: APPA .

*Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                
* Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES