Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA PARTICIPA DO DESFILE DA INDEPENDÊNCIA

A Guarda Portuária voltou a participar após 35 anos de ausência. A última participação ocorreu em 1982 Ontem (07) a Guarda Portuár...

sábado, 24 de outubro de 2015

0

QUADRILHA ATIRA E FOGE PELO MAR




Policiais perseguiram os bandidos até a Praia do Goes.
Polícia Militar realizava operação para combater o tráfico na Favela da Prainha.
Comunidade fica localizada na Margem Esquerda do Porto de Santos.


Policiais militares tiveram que utilizar uma catraia (embarcação de madeira de baixa velocidade) para perseguir bandidos que estavam em um barco rápido de alumínio, na noite desta quarta-feira (21), em Guarujá. Os criminosos tinham trocado tiros com oficiais do Batalhão de Ações Especiais (Baep) durante operação na Comunidade da Prainha.
Após receberem uma denúncia anônima sobre tráfico de drogas, os policiais do Baep, a tropa de elite da Polícia Militar na Baixada Santista, se deslocaram até o bairro, localizado em Vicente de Carvalho e às margens do Canal do Estuário. Eles foram recebidos a tiros, enquanto caminhavam pela praia, rente aos imóveis.
Após os disparos, houve revide. Os bandidos, porém, conseguiram fugir em uma embarcação verde, semelhante àquela usada na fuga de criminosos que realizaram um arrastão no Terminal de Barcas e de um shopping em Guarujá, na última segunda-feira (19). Na ocasião, toda a ação foi flagrada por uma equipe da Receita Federal.

Sem qualquer embarcação que pudesse dar apoio à ação do Baep pelo mar e que pudesse colaborar com o cerco, um alerta foi emitido via rádio. Outros policiais, mas de patrulhamento comum, flagraram o momento em que o barco dos bandidos seguiu em direção à Praia do Góes. Eles, então, utilizaram uma catraia para chegar até o local.
No entanto, até chegarem à praia, os bandidos já tinham escapado. Eles depararam-se com a embarcação utilizada por cerca de seis criminosos abandonada na areia. Devido à escuridão, também não foi possível fazer varreduras pelo matagal próximo que, provavelmente, foi utilizado como esconderijo do bando.

O caso foi levado para Delegacia Sede de Guarujá e será investigado pelo 2º Distrito Policial. A comunicação da Polícia Militar esclareceu que os policiais não utilizaram lanchas do Grupamento Marítimo dos Bombeiros ou da Polícia Militar Ambiental em razão do imediatismo da emergência. Até deslocar as viaturas náuticas, seria tarde demais.
Por enquanto, nenhum dos envolvidos nesse caso foi preso. A Polícia Civil não soube informar se eles tinham alguma relação com o crime ocorrido na última segunda-feira.



*Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                                                                               
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                              
* Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES