Postagem em destaque

GUARDA PORTUÁRIA APREENDE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS

O contêiner onde a droga estava escondida tinha como destino o Porto de Algeciras, na Espanha. Dois elementos foram presos em flagrant...

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

1

SUICÍDIOS NA GUARDA PORTUÁRIA




Dessa vez, o suicídio ocorreu no posto de trabalho.
Sindicato quer a empresa mantenha um setor de assistência social e psicológica voltado, especificamente, para atender os integrantes da Guarda Portuária.

Lamentavelmente, dezembro de 2015 ficou marcado por mais um caso de suicídio cometido por um funcionário da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) lotado na Guarda Portuária.
Tendo em vista que nos últimos anos este foi o quinto caso de suicídio ocorrido na importante corporação, o Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport) encaminhou o Ofício P.1/2016 ao diretor-presidente da Codesp, José Alex Botelho de Oliva, solicitando que a empresa mantenha um setor de assistência social e psicológica voltado, especificamente, para atender os integrantes da Guarda Portuária, considerando as peculiaridades, características e especificidades de suas atribuições.
O Sindaport sugere que na realização do obrigatório exame médico periódico, todos os guardas portuários sejam previamente avaliados por um profissional da área da Psicologia, devidamente qualificado e especializado em identificar sintomas no ambiente organizacional que possam levar os profissionais ao estresse e transtornos decorrentes do labor sob pressão, aos quais são submetidos cotidianamente.  
Vale destacar que os integrantes da Guarda Portuária trabalham armados em turnos ininterruptos, atuando como legítimos guardiões do complexo portuário com o auxílio da Polícia Federal.
Diante desse quadro, objetivando equacionar o grave problema e colaborar para que outros eventos fatídicos não mais aconteçam, o Sindaport entende que o acompanhamento profissional médico/terapêutico, anual, mensal e até mesmo semanal, quando for o caso, poderá ser mais que oportuno.
O histórico nos leva a concluir que vivemos uma tragédia anunciada, pela qual todos sabem que se nada for feito o surgimento de uma próxima vítima é apenas uma questão de tempo.
Assim sendo, esperamos que a Codesp adote as providências cabíveis e tome de uma vez por todas as medidas eficazes e capazes de salvar vidas, uma vez que de nada adianta a empresa disponibilizar profissionais sem especialização.

Fonte: Sindaport.

*Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                                                                               
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
COMENTÁRIOS
Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


Um comentário:

  1. È FATO LAMENTAVEL E QUE DEVE SER ALVO DE ESTUDOS PARA LEVANTAR O PORQUE DE
    TAL SITUAÇÃO . AS GUARDAS PORTUÁRIAS DEVEM TER O AMPARO DE ASSISTENES SOCIAIS
    E PSICÓLOGOS PARA PODER ATENUAR ESSA SITUAÇÃO AQUI MESMO NO ESPIRITO SANTO
    JÁ TIVEMOS CASOS E É MUITO TRISTE PERDER COMPANHEIROS OU COMPANHEIRAS ASSIM.

    GP ALEXANDRE - ES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES