Postagem em destaque

NOVO COMANDO NA GUARDA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO

Capitão reformado da Polícia Militar, Hugo, já comandou a Guarda Portuária em outra oportunidade No dia seis de setembro, o presid...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

4

ASSOCIADOS PEDEM A RENÚNCIA DO PRESIDENTE DO SINDIGUAPOR




O Presidente diz que não renuncia e que pretende cumprir seu mandato até o final

Vários associados do Sindicato da Guarda Portuária do Pará e Amapá (Sindiguapor) procuraram esse Portal para informarem que na última quinta-feira (22), no auditório do Porto de Vila do Conde (PVC), ocorreu uma reunião entre os membros da Guarda Portuária da Companhia Docas do Pará (CDP), lotados naquele porto.
Além da presença de 40 associados (o efetivo é 46) estava presente o presidente desta entidade de classe, Jonas Melo; o Gerente de Segurança (GERSEG), GP João Gualberto e o Supervisor de Segurança Substituto (SSPCON SUB), GP Denis Uilton, que ficou responsável pela confecção da Ata dessa reunião.
O principal item de pauta por parte dos guardas que atuam no PVC foi que o efetivo atual, de cerca de 10 guardas por turno de serviço, está incompatível com a demanda de serviço no referido porto, solicitando estes, um aumento na escala diária, além do fato de que muitos postos se encontram atualmente descobertos, solicitando ainda a escalação de 05 guardas de serviço fixos na portaria por turno de serviço.
Segundo foi apurado por esse Portal, em 2010, quando o PVC foi certificado, na visita realizada pela Conportos, havia um efetivo de 18 guardas portuários no turno de trabalho, inclusive sendo esse fato destacado pelo representante da Receita Federal, Cnéio Lucius de Pontes e Souza – Inspetor Chefe da Alfândega do Porto de Belém, em reunião do Conselho de Autoridade Portuária (CAP).
Ressalte-se que em 2008, quando Cileno Borges era o SSPCON SUB, GP Cileno Borges, ele fez um oficio ao Diretor Presidente à época solicitando o aumento do efetivo para 17 guardas por turno de serviço, pois o efetivo era incompatível para operacionalizar o Plano de Segurança.
O GERSEG afirmou aos presentes que o efetivo por turno hoje no PVC é o que reza no Plano de Segurança deste porto, pois o mesmo sofreu alterações e emendas recentes propostas pelos representantes da Guarda em cargos de gestão na CDP e que, segundo estes, acatadas pela CESPORTOS. No entanto, diante da solicitação exposta na reunião, o GERSEG firmou compromisso com os presentes do aumento de efetivo da escala diária para 11 guardas e de 05 guardas efetivos e fixos na portaria, sendo que esta escala para ser cumprida deverá contar com convocação de serviços extras; da escalação de assistentes administrativos 24 horas no posto cadastro, atualmente coberto por guardas portuários; a escalação de técnicos portuários para o serviço de controle de cargas através do uso dos coletores de dados e o remanejamento dos guardas dos portinhos (ÓBIDOS, ITAITUBA e ALTAMIRA) para o PVC, que segundo o GERSEG depende da determinação do MPT. Afirmando ainda o GERSEG que a CDP poderá promover um novo concurso para o quadro da GP.
Os associados discordaram do remanejamento dos guardas dos portinhos, pois isso representa perda de postos de serviço e acreditam que nessas audiências a procuradora do MPT possa estar sendo levada a cometer certos equívocos por informações que possam estar sendo passadas erradas pelos representantes da Guarda Portuária nos sindicatos.
Foi apurado, que os guardas estão dispostos a marcar audiência com a referida procuradora para se certificarem se a supressão dos guardas dos portinhos é determinação deste Ministério e alertaram ainda que se o acordo firmado entre o GERSEG e a guarnição do PVC presente nesta reunião não for cumprido, deverão paralisar legalmente as atividades da GUAPOR neste porto, até que o acordo seja cumprido.
Os guardas presentes, ao final da reunião, em virtude da falta de representatividade dos guardas do PVC; em face a manobra deste presidente para ser removido para o Porto de Belém, mesmo estando liberado da escala de serviço e em face a um áudio postado no grupo de WhatsApp do Sindiguapor, no qual ele afirma que os guardas que não dão conta do serviço entreguem seus lugares, todos os associados presentes, sem exceção, pediram verbalmente a renúncia do presidente desta entidade.
Porém, o mesmo disse que não renuncia e que pretende cumprir seu mandato até o final, cuja próxima eleição será em fins de 2017.

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto, não cabendo a esse Portal a emissão de qualquer juízo de valor.
                                                                                                                                                                                          
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.
                                                                                                                                                
COMENTÁRIOS

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.


4 comentários:

  1. Bando DE trairas.
    tudo farinha DO mesmo SACO.
    TAO acabando COM nossa área SE SERVIÇO.

    RAIMUNDO
    GP DA CDP
    PORTO DE BELÉM

    ResponderExcluir
  2. Todo povo TEM o governo QUE merece.
    Vcs DE conde botaram ele lá.
    AGORA nao serve.
    JONAS TO contigo Meu presidentÉ

    JUNIOR
    PORTO DÉ BELEM

    ResponderExcluir
  3. Você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todas as pessoas durante algum tempo, mas você não pode enganar todas as pessoas o tempo todo.
    Abraham Lincoln

    CILENO BORGES

    ResponderExcluir
  4. SENTA A PUA NELES!

    GP ALEXANDRE - ES

    ResponderExcluir

LEGISLAÇÕES