Postagem em destaque

FISCALIZAÇÃO CONSTATA IRREGULARIDADES EM PORTO DO PARÁ

Essas fiscalizações ocorreram em virtude de denúncia de trabalhadores portuários que, sem representatividade de fato, buscaram por mei...

terça-feira, 21 de novembro de 2017

0

CORONEL ASSUME A SUPERINTENDÊNCIA DA GUARDA PORTUÁRIA DE SANTOS




Nocetti foi comandante do 6º Grupamento do Corpo de Bombeiros da PMESP

Na última quinta-feira (16) o Coronel Eduardo Nocetti Holms foi nomeado para assumir interinamente o cargo de Superintendente da Guarda Portuária de Santos, acumulando o cargo de Gerente de Segurança do Trabalho, que já ocupava na Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), administradora do porto.
Nocetti foi comandante do 6º Grupamento do Corpo de Bombeiros da PMESP. “Foi um privilégio ter servido às comunidades de Santos, minha cidade natal, a Baixada Santista e o Vale do Ribeira, nesses quase 35 anos de serviço”, falou quando passou para a reserva, em maio desse ano.
Na frente do Corpo de Bombeiros participou de várias ocorrências de grande vulto, tais como o desabamento do Morro do Itararé, na divisa de Santos com São Vicente, acidente na Ilha Barnabé, implosão do prédio do Gironda, inúmeros incêndios em navios, muitos dias lutando contra o fogo no Terminal da Ultracargo, no bairro da Alemoa em Santos, e no Terminal da Localfrio em Guarujá e mais recentemente no Terminal da Vale, em Cubatão.
Em 2015 foi laureado com o título “Profissional do Ano”, pelo Rotary Clube Santos Porto, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à comunidade santista.
Nocetti também foi coordenador regional da Comissão Regional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Perigosos (P2R2) da gestão 2016-2017.
Borghetti deixa o cargo
Na última terça-feira (14), Ezio Ricardo Borghetthi foi exonerado, depois de mais de cinco anos no cargo, o qual assumiu em 07 de fevereiro de 2012. Em 2013, ao conceder entrevista ao Portal Segurança Portuária Em Foco, Borghetthi afirmou que compete a Guarda Portuária realizar ações de estado. 
Segundo Everandy Cirino, presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport), desde junho a saída de Borghetthi estava sendo pedida pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE), em decorrência do Inquérito Civil (IC) nº 14.0426.0003197/2016-6, instaurado pelo órgão público contra a empresa depois de acolher denúncia formulada pela entidade em 2015, que apontou irregularidades na contratação de pessoas para ocuparem os cargos comissionados. Posteriormente a direção da Codesp solicitou ao MPE a dilação do prazo para a celebração de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                                                                                                                         
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                                                           
                             COMENTÁRIOS                             

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEGISLAÇÕES