Postagem em destaque

CONPORTOS REALIZA PESQUISA COM PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA PORTUÁRIA

O formulário de pesquisa foi feito com o objetivo de traçar um perfil dos profissionais de segurança pública A Comissão Nacional de...

LEGISLAÇÕES

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

0

POLÍCIA FEDERAL APREENDE 435 KG DE COCAÍNA NO PORTO DE SANTOS



Ação conjunta com a Receita Federal impediu o tráfico da droga para a Antuérpia, na Bélgica

Em mais uma ação de repressão ao narcotráfico internacional no Porto de Santos, força-tarefa integrada por agentes da Receita Federal e da Polícia Federal (PF) apreenderam 435 quilos de cocaína nesta quarta-feira (3).

Dividida em tabletes e acondicionada em 18 sacas da ráfia, a droga foi escondida dentro de um contêiner, no meio de uma carga de propileno. O destino do produto seria o Porto de Antuérpia, na Bélgica.
Engrenagem criminosa
Ninguém foi preso e a PF instaurou inquérito policial para identificar os envolvidos no esquema. Típica de organização criminosa, com hierarquia e divisão de tarefas, esse tipo de ação envolve várias pessoas, além dos importadores e exportadores dos entorpecentes.
No planejamento dessas remessas de cocaína ao Exterior há as pessoas que dispõem de informações privilegiadas sobre as rotas dos navios, os tipos de cargas transportadas e as datas de atracação e de permanência das embarcações no Porto de Santos.

Os marginais que atuam na parte mais operacional do crime se incumbem da introdução das drogas nos contêineres, sem a violação do seus lacres ou com a sua substituição por outros clonados.
Peças das mais importantes dessa engrenagem criminosa são as pessoas que não importam, não exportam e não têm qualquer contato com o entorpecente, mas financiam o esquema e fomentam esse negócio em escala mundial.
A Lei 11.343/2006 (Lei de Drogas) prevê a conduta daquele que financia ou custeia a prática do tráfico, punindo-a com reclusão de oito a 20 anos. Porém, até o momento, após 12 anos de vigência da legislação, não se tem notícia da efetiva condenação de alguém por esse tipo de delito na Baixada Santista.
Os indícios da atuação de agentes financiadores no narcotráfico internacional via Porto de Santos são reforçados pelo fato de os traficantes não desistirem das ações, apesar dos elevados prejuízos decorrentes das sucessivas apreensões de cocaína.
Apenas neste ano, já foram interceptadas 17,2 toneladas de cocaína no cais santista. Essa quantidade é recorde histórico não só em Santos, como no País. Segundo a PF e a Receita Federal, foram apreendidas no Porto de Santos, em 2016 e 2017, respectivamente, 10,6 toneladas e 11,5 toneladas do entorpecente.


Esta publicação é de inteira responsabilidade do autor e do veículo que a divulgou. A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.                                                                                             
* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.                                                                                                                          

                   COMENTÁRIOS                             
Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário