Postagem em destaque

A 3ª EDIÇÃO DO CURSO NACIONAL DE AUDITORIA FOI REALIZADA NO PORTO DE ITAJAÍ

  O CNA, realizado entre os dias 8 e 12, credenciou 59 (cinquenta e nove) agentes públicos A 3ª edição do Curso Nacional de Auditoria em I...

LEGISLAÇÕES

sexta-feira, 26 de março de 2021

0

GUARDA PORTUÁRIA FLAGRA EMBARCAÇÃO TRANSPORTANDO COCAÍNA NA BAÍA DE GUANABARA

 

Pelas características da embalagem, e a utilização de bolsas, se supõe que ela poderia ser içada a bordo de um navio com destino ao exterior

No início da noite de ontem (25), por volta das 19h, tripulantes de uma pequena embarcação, ao avistarem a lancha da Guarda Portuária ir a sua direção, jogaram ao mar duas malas, com 21 tabletes de cocaína, empreendendo fuga em alta velocidade.

A ação ocorreu quando o Grupamento de Ações Extraordinárias da Guarda Portuária (GAEX) realizava patrulha de escolta do navio Navio Maersk Yangtze, durante a Operação Ramp Up, que acompanha a saída de navios no Porto do Rio.

No meio do Canal de Cotunduba, na altura da Urca, os guardas portuários perceberam uma pequena embarcação em baixa velocidade no caminho do cargueiro até o mar aberto.

A equipe do Patrulhamento Marítimo então acionou o giroflex e a sirene da lancha, seguindo em direção da embarcação, com pelo menos dois ocupantes, visando intercepta-la e tirá-la do Canal.

Ao avistar a lancha da Guarda, um dos ocupantes da embarcação arremessou duas bolsas no mar. Em seguida, empreenderam fuga com toda a velocidade, efetuando disparos de arma de fogo, impossibilitando uma perseguição e maiores identificações.

Em seguida a equipe da Guarda Portuária continuou a escolta do navio até a bóia de Águas Seguras.

No retorno ao porto, os guardas realizaram buscas no local onde as bolsas foram lançadas ao mar, logrando êxito em encontra-las boiando e em seu interior havia 21 (vinte e um) tabletes acondicionados com saco plástico, aparentando ser cocaína.

De acordo com superintendente da Guarda Portuária da Companhia Docas do Rio de Janeiro, José Tadeu Diniz Paixão, "a ação de escolta é de vital importância para a operação do Porto do Rio de Janeiro e faz parte da operação ramp up, que visa assegurar a entrada e saída navios mercantes no período noturno pelo canal de Cotunduba".

O diretor-presidente da CDRJ, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, agradeceu o empenho da equipe em garantir a segurança dos navios e das instalações portuárias, combatendo as ações criminosas e destacou que "o objetivo é aumentar, cada vez mais, a segurança nos portos da CDRJ".


O produto localizado foi apresentado na sede da Polícia Federal (PF), que após teste, constatou ser cocaína. Os tabletes foram pesados, totalizando 23,1 kg.

As autoridades acreditam que os traficantes deveriam ter uma quantidade maior na embarcação e só jogaram duas bolsas ao mar para distrair a equipe da Guarda Portuária e empreender fuga.


Pelas características de como a droga estava embalada, e a utilização de bolsas de borracha, se supõe que ela poderia ser içada àquele ou a outro navio com destino ao exterior.

 

A nossa missão é manter informado àqueles que nos acompanham, de todos os fatos, que de alguma forma, estejam relacionados com a Guarda Portuária e a Segurança Portuária em todo o seu contexto. A matéria veiculada apresenta cunho jornalístico e informativo, inexistindo qualquer crítica política ou juízo de valor.    

* Direitos Autorais: Os artigos e notícias, originais deste Portal, tem a reprodução autorizada pelo autor, desde que, seja mencionada a fonte e um link seja posto para o mesmo. O mínimo que se espera é o respeito com quem se dedica para obter a informação, a fim de poder retransmitir aos outros.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários publicados não representam a opinião do Portal Segurança Portuária Em Foco. A responsabilidade é do autor da mensagem. Não serão aceitos comentários anônimos. Caso não tenha conta no Google, entre como anônimo mas se identique no final do seu comentário.